Após o pico de 2010, o número de espetadores e o valor da receita nas salas de cinema portuguesas tem estado sempre em decréscimo. Em 2012, existiram menos 12% de espetadores, o que  gerou uma receita de menos 7,5% quando comparada com o ano anterior. O Instituto do Cinema e dos Audiovisuais (ICA) refere que a tendência permanece com os primeiros 7 meses deste ano a cativar menos 200000 espetadores que o ano passado em período semelhante.

Nesse sentido, iremos divulgar neste espaço os vários filmes que se forem estreando no nosso país e que estejam relacionados com a banda desenhada, um meio de inspiração aparentemente tão apelativo nos últimos tempos pela indústria de cinema norte-americana.

Se, como já tive oportunidade de comentar, no passado dia 1 de agosto estreou Smurfs 2 de Raja Gosnell, no dia 8 de agosto surgiram nas salas portuguesas 2 filmes que interessa referir.

RED 2 – Ainda Mais Perigosos de Dean Parisot é a sequela de RED, o filme de 2010 realizado por Robert Schwentke. Estes filmes inspiraram-se nos acontecimentos e personagens da minissérie de banda desenhada homónima de autoria de Warren Ellis e Cully Hamner. Composta por 3 números, foi publicado no selo Homage da editora Wildstorm em 1995. Com a aquisição da Wildstorm pela DC Comics, passou a ser propriedade desta em 1998.

Curiosamente, aquando da estreia do primeiro filme, este originou mais 5 revistas. RED: Eyes Only é uma prequela da BD com argumento e arte de Hamner. Paralelamente, foram lançadas em BD 4 prequelas do filme, cada uma centrada numa das personagens e duas das quais escritas pelos guionistas do filme:
– RED: MARVIN SPECIAL #1, argumento de Erich Hoeber e arte de Diego Olmos;
– RED: VICTORIA SPECIAL #1, argumento de Jon Hoeber e arte de David Hahn;
– RED: JOE SPECIAL #1, argumento de Doug Wagner e arte de Bruno Redondo;
– RED: FRANK SPECIAL #1, de Gregory Noveck e arte de Jason Masters.
Quanto à arte das capas destes 4 especiais, coube a Hamner.

Eis a sinopse do filme RED 2:
Sequela da famosa comédia de ação em alta velocidade, em que o reformado agente da CIA Frank Moses reúne a sua equipa de improváveis agentes de elite para a missão de descobrir um dispositivo letal de última geração desaparecido, que pode alterar o equilíbrio do poder mundial. Para tal, eles precisam de sobreviver a um exército de assassinos implacáveis, terroristas impiedosos e funcionários do governo obcecados com o poder, todos ansiosos por meter as mãos nesta arma tecnológica super avançada. A missão leva Frank e o seu bizarro grupo a Paris, Londres e Moscovo. Com menos armas e menos homens, eles contam apenas com a sua astúcia, as suas técnicas “old-school”, e uns com os outros, para salvar o mundo e sobreviver a esta missão. Com Anthony Hopkins, Bruce Willis, Catherine Zeta-Jones, Helen Mirren, John Malkovich, Mary-Louise Parker, Neal McDonough.

O Mascarilha (The Lone Ranger) de Gore Verbinski inspira-se na famosa personagem homónima. A verdade é que a sua origem não remonta à BD mas sim à rádio, tendo surgido num programa de rádio em janeiro de 1933 na Rádio WXYZ de Detroit. O seu companheiro de aventuras Tonto surgiria no 11.º episódio desse programa (que teve direito a 2956 episódios).

A série surgiria noutros meios, nomeadamente em livros de ficção (18 volumes entre 1936 a 1956), duas séries de cinema (1938  e 1939), televisão (na ABC entre 1949 e 1957, sendo a  última temporada a única colorida; no total, produziram-se 221 episódios), dois filmes no cinema baseados na série televisiva (1956 e 1958), uma série de desenhos animados (1966 a 1968), um filme no cinema (1981), uma série de animados em que dividia metade da hora com animados de Tarzan (início dos anos 80), um videojogo para a plataforma NES (1991), um telefilme (2003) e… obviamente, banda desenhada.

A primeira tira de BD d’ O Mascarilha foi publicada nos jornais norte-americanos entre setembro de 1938 e dezembro de 1971, sendo distribuída pelo King  Features Syndicate. O argumento era inicialmente escrito pelo guionista da série de rádio, Fran Striker, sendo posteriormente substituído por Bob Green e Paul S. Newman, entre outros. Quanto à arte, esteve a cargo de Ed Kressy que em 1939 foi substituído por Charles Flanders, que a desenhou até ao final.

Com a estreia do filme no cinema em 1981, entre 1981 e 1984, existiu uma nova tira de BD, desta vez lançada pelo New York Times Syndicate, com argumento de Cary Bates e arte de Russe Heath.

Quanto a revistas de banda desenhada com estórias originais, a Western Publishing, associada à Dell Comics, publicou a revista The Lone Ranger durante 145 números, entre 1948 e 1962. Se os primeiros números eram reimpressões da tira, a partir do n.º 38 (agosto de 1951), Paul S. Newman criou material novo, ilustrado por Tom Gill. Tonto teve direito à sua própria série em 1951, que durou 31 números. E o cavalo Silver também, a partir de 1952, com 34 fascículos.

A segunda série do personagem, publicada pela Gold Key Comics, entre 1964 a 1977, apenas contou com histórias originais nos últimos 4 números. No final dos anos 70, uma história suíça foi publicada na revista Hemmets Journal da editora Egmont.

Somente em 1994 surgiria uma nova minissérie d’O Mascarilha, desta feita pela norte-americana Topps Comics, da autoria de Joe R. Lansdale e Timothy Truman. Desde 2006, tem sido a editora Dynamite que tem dado continuidade às suas aventuras pela mão de Brett Matthews e Sergio Cariello.

Em Portugal, O Mascarilha teve direito a revista homónima com 116 números, publicados entre 1972 e 1983 pela Agência Portuguesa de Revistas, tendo também sido publicado anteriormente noutras, como a Mundo de AventurasGrilo, TigreCondor e Condor Popular (com a denominação inicial de Bronco Bustin e posterior de Máscara Negra). Refira-se ainda que graças à importação de revistas Zorro da brasileira EBAL, tal como naquele país, existiu alguma confusão entre o Lone Ranger e o Zorro, personagem de capa e escada criada por Johnston McCulley. Atualmente, O Mascarilha designa-se por Cavaleiro Solitário no Brasil.

Eis a sinopse do filme:
Tonto, um nativo Americano de espírito guerreiro, relata as histórias inéditas que transformaram John Reid, um homem da lei, num lendário justiceiro – levando o público numa corrida desenfreada por entre surpresas épicas e momentos de tensão humorística, enquanto estes dois heróis improváveis, aprendem a trabalhar juntos no combate à ganância e corrupção. Tonto, nativo Americano de espírito guerreiro e John Reid, um homem da lei, são opostos que se atraem, unidos pelo destino e juntos no combate à ganância e corrupção. Com Armie Hammer, Helena Bonham Carter, Johnny Depp, Tom Wilkinson, William Fichtner.