Amanhã, com a publicação de Operação Átila, terminarão, por enquanto, as aventuras e desventuras de Marsupilami, personagem criada por Franquin há 61 anos.

Desde o dia 29 de maio, a parceria Público/Asa tem vindo a publicar às quarta-feiras a série Marsupilami, com aventuras inéditas em Portugal, ao preço simpático de 4,95 €. Eis a cheklist de toda a série:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Marsupilami 1: Na Pista do Marsupilami (29 de maio)
Argumento de Stéphane Colman baseado em história original de Alain Chabat e Jeremy Doner
Desenho de Stéphane Colman e Batem  |  Cor: Cerise
Um jornalista especializado em temas sensacionalistas, acompanhado por um guia aldrabão, prepara-se para fazer uma reportagem rocambolesca na Palômbia sobre os índios payas. O seu destino cruza-se com o mais do que improvável – e para muitos mítico – Marsupilami. Este é o ponto de partida desta agitada e acidentada história, que faz a adaptação à banda desenhada da longa-metragem com o mesmo nome que, por sua vez, se inspira directamente na famosa e fascinante personagem criada pela imaginação de Franquin.
(Marsupilami
25: Sur la piste du Marsupilami, abril de 2012)

Marsupilami 2: A Borboleta Exótica (5 de junho)
Argumento: Yann  |  Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Como de costume, a história passa-se na floresta palombiana, habitat natural do Marsupilami. Uma equipa de investigadores realiza uma expedição para estudar diversos aspectos da fauna e flora locais. A sua base de apoio localiza-se exactamente por cima das copas das árvores, a partir da qual desenvolvem as suas observações. É aí que o Marsupilami a vai descobrir, depois de ser surpreendido pela queda de estranhos objectos vindos do alto. O líder da missão está a braços com a acção nefasta de um sabotador infiltrado no campo. Mas as suas dores de cabeça não ficam por aqui…
(Marsupilami 9
: Le papillon des cimesoutubro de 1994)

Marsupilami 3: Sarilhos na Palômbia (12 de junho)
Argumento: Xavier Fauche, Éric Adam  |  Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Uma reportagem sobre um pescador de piranhas na floresta da Palômbia chama a atenção de Rémi quando ouve um papagaio pronunciar uma palavra específica: cavernabrole. É quanto lhe basta para acreditar que talvez possa saber algo mais sobre a morte do avô. No entanto, quando fala do assunto a Jules Santoni, um velho amigo do seu familiar desaparecido, é desaconselhado a fazer a viagem. Tais palavras parecem muito sensatas, sobretudo depois de alguns acidentes envolvendo o nosso herói. Quem poderia estar interessado em impedir o jovem de descobrir as verdadeiras razões da morte do avô?
(Marsupilami 10
: Rififi en Palombie, abril de 1996)

Marsupilami 4: Huba Banana ® (19 de junho)
Argumento: Xavier Fauche, Éric Adam  |  Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Uma das últimas operações de Shark foi a aquisição de uma ilha que tem como principal actividade económica a produção de bananas. Decide utilizar a mão-de-obra nativa para produzir uma bebida à base de extracto daquele fruto tropical, esperando servir-se do Marsupilami como peça central de uma estratégia de marketing. O álbum inclui uma segunda história, Happy Birthday, Douglas!, que narra com humor todas as atribulações, mal-entendidos e confusões geradas pelo Marsupilami durante a festa de anos do filho do embaixador na Palômbia.
(Marsupilami 11
: Houba Banana ®, julho de 1997)

Marsupilami 5: Tráfico em Jollywood (26 de junho)
Argumento e Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
O Marsupilami e a sua família continuam na cidade. Os seus amigos Collin e Rémi são incumbidos de investigar o desaparecimento em massa de animais de companhia. Descobrem que o elemento comum a todos os raptos é uma marca específica de comida. As diligências efectuadas levam-nos a constatar que uma substância nociva para a saúde dos animais poderá ter sido incorporada nos alimentos. O mistério adensa-se quando o tratador Noé é contratado para assistir o produtor de um novo filme sobre o tráfico de espécies animais….
(Marsupilami 12
: Trafic à Jollywood, julho de 1998)

Marsupilami 6: O Desfile do Jaguar (3 de julho)
Argumento: Jérémie Kaminka, Marais (adaptado por Batem)  | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
A estada do Marsupilami e da família na cidade começa a fazer mossa e as saudades da floresta tropical revelam-se difíceis de ultrapassar. Por isso, é sem surpresa que decidem regressar a casa e, uma bela noite, despedem-se de Collin e Rémi, que ficam inconsoláveis. No regresso a casa o Marsupilami descobre que as coisas mudaram substancialmente: o seu ancestral inimigo jaguar também tem agora uma família… Em breve as crias das duas raças estabelecem relações de amizade e, por uma vez, a paz e a harmonia reinam na selva. Até quando?…
(Marsupilami 13: la défilé du jaguar
, setembro de 1999)

Marsupilami 7: Todos na Pista (10 de julho)
Argumento: Dugomier  | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
O Marsupilami é a grande atracção do Circo Zabaglione, onde brilha todas as noites numa actuação que esgota a lotação do recinto. Pela mão do jovem Lucas, o simpático animal presta-se a promover os espectáculos da companhia na cidade, mas nem sempre as coisas correm de forma feliz. O Marsupilami também não se faz rogado para ajudar os restantes membros do circo, nomeadamente no desenvolvimento de novas situações. Acontece, porém, que desta vez ele não está sozinho, pois conta com a companhia dos demais elementos da sua família.
(Marsupilami 16
: Tous en piste, junho de 2003)

Marsupilami 8: A Orquídea dos Chahutas (17 de julho)
Argumento: Dugomier  | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Um coleccionador de orquídeas está disposto a gastar uma fortuna para obter um exemplar de uma espécie muito rara. O grande problema é que ela só existe num ecossistema muito específico da floresta palombiana, o habitat natural do Marsupilami. Há outro pretendente à mesma espécie de orquídea: o líder dos índios Chahutas. Para este último, a motivação é bem distinta do seu concorrente, pois a orquídea confere poder e autoridade incontestados a quem a possuir e exibir. Uma das recompensas que oferece é a mão da sua filha…
(Marsupilami 17
: L’orchidée des Chahutas, junho de 2004)

Marsupilami 9: Magia Branca (24 de julho)
Argumento: Stéphane Colman | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Ao acordar, a família dos marsupilamis tem a surpresa da sua vida: a floresta tropical da Palômbia está coberta por um espesso manto de neve. Para os mais pequenos, a nova situação é imediatamente aproveitada para desenvolver brincadeiras nunca antes vistas. Para os pais e para as restantes espécies da floresta, o momento é de perplexidade é total. O que se passou e, sobretudo, porquê? Para responder a estas perguntas é preciso recuar duas semanas no tempo para fixar o início da acção em Chiquito, capital palombiana…
(Marsupilami 19
: Magie blanche, novembro de 2006)

Marsupilami 10: Viva a Palômbia! (31 de julho)
Argumento: Stéphane Colman | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Omer Houston e a jovem Terry, que se acha incapaz de agradar a quem quer que seja, chegam à floresta palombiana para estudar a fauna e a flora locais. Por coincidência, a altura em que chegam é o equinócio da Primavera, a estação dos amores. Numa aldeia da selva, o velho feiticeiro Tapalahtélé relata às crianças a lenda do Marsupilami e da flor do amor. É uma bela história, com ressonâncias fantásticas e mágicas, mas o pequeno Tahpété está mais interessado em encontrar a flor que lhe permita encantar a jovem Tatoutastikoté.
(Marsupilami 20
: Viva Palombia!, junho de 2007)

Marsupilami 11: Red Monster (7 de agosto)
Argumento: Stéphane Colman | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Terry foi-se embora, mas Omer Houston continua a estudar a fauna e a flora da floresta palombiana. Estabeleceu uma sólida ligação com a família dos marsupilamis, mas o temperamento irrequieto destes animais não lhe facilita em nada o seu trabalho. Quando sabe que os índios declararam guerra a um monstro vermelho, tema o pior pela sorte da jovem Terry e decide partir para os avisar dos perigos que correm. Infelizmente, está muito longe de imaginar que três passageiros clandestinos estão por perto com intenções preocupantes…
(Marsupilami 21
: Red Monster, abril de 2008)

Marsupilami 12: Chiquito Paradiso (14 de agosto)
Argumento: Stéphane Colman | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
A mãe marsupilami e as suas três crias são raptadas por caçadores furtivos enviados pela senhora Devort. Objectivo: fazer da família a principal atracção do parque temático Chiquito Paradiso, de que é proprietária. Quase seria desnecessário acrescentar que esse gesto enfureceu enormemente o Marsupilami. Por isso, quando os caçadores regressam para o capturar, a operação não corre nada bem. Que o diga o piloto do helicóptero, feito refém e obrigado a transportar o Marsupilami, e dois índios chahutas que o acompanham…
(Marsupilami 22
: Chiquito Paradiso, abril de 2009)

Marsupilami 13: O Monstro Verde (21 de agosto)
Argumento: Stéphane Colman | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
O jovem Hector Forrest escreve no seu diário íntimo que está prestes a deixar Londres na companhia da sua tia Diane Fossette, uma botânica míope, para viver uma aventura única na floresta palombiana. Sonha descobrir ali o seu ídolo animal, o raríssimo Marsupilami, e para que a iniciativa seja um sucesso faz todos os preparativos até ao mais ínfimo detalhe. Uma vez chegados aos trópicos, penetram na selva na companhia de um grupo de guias locais. Instala-se o alvoroço no dia em que Diane encontra uma espécie misteriosa de uma flor selvagem…
(Marsupilami 23
: Croc vert, maio de 2010)

Marsupilami 14: Operação Átila (28 de agosto)
Argumento: Stéphane Colman | Desenho: Batem  |  Cor: Cerise
Hector e a tia montam o acampamento na margem do lago Tapahpié. Desconhecem que uma lenda índia muito antiga refere a existência no fundo do lago de uma quantidade incontável de jóias e pedras preciosas que os nativos teriam lançado às águas como ofertas aos deuses. É claro que a mesma lenda atraiu à região a malvada Felícia Devort e o seu bando. Indiferente a estas movimentações, o Marsupilami delicia-se com as suas explorações anfíbias, apanhando a grande profundidade os deliciosos peixes que fazem parte da sua alimentação.
(Marsupilami 24
: Opération Attila, maio de 2011)

Com esta iniciativa, em conjunto com os álbuns desta série anteriormente publicados pela Asa, o único álbum inédito em Portugal será o 26.º, de Colman e Batem, intitulado Santa Calmidad, o qual foi publicado originalmente em novembro de 2012.