A revista trimestral Gerador dedica-se à cultura portuguesa. Atualmente no seu segundo número, é um verdadeiro cartaz para os que procuram conhecer o que se faz de melhor a nível de ilustração e design no nosso país. E noutras áreas da cultura portuguesa também; entenda-se a palavra cultura na verdadeira essência da palavra, sem restrições.

No entanto, não nos vamos focar neste texto em nenhuma das outras áreas (nas quais, os que seguem este espaço encontrarão também velhos conhecidos como Afonso CruzAndré da Loba e Marta Monteiro, entre outros) nas sim na banda desenhada. A BD é um dos pilares da Associação Cultural Gerador e, como tal, pretende-se que em cada número exista uma banda desenhada inédita de 7 páginas. Antes de iniciarmos a análise das propostas de cada número, registe-se ainda que, para todos os que se interessam por outras formas da arte sequencial que não a desenhada, o #1 contém uma interessante fotonovela de Sara Chéu com fotografias de Herberto Smith, intitulada Comics Balloons. No segundo número, a fotonovela foi da autoria de Ana Vilela da Costa com fotografias e montagens de Martim Ramos, de seu título Gooble Goble.

Xico Santos foi o autor de banda desenhada presente no primeiro número da revista, cujo tema era uma declaração de amor à cultura portuguesa. Em Ti Vi Vida aborda a coadoção entre casais do mesmo sexo, com recursos a analepses na vida privada e política. Com um ritmo praticamente perfeito, a história contada é afinal uma história de partidas e das saudades de quem fica, à qual é impossível ficar indiferente.

No segundo número da revista, de seu tema «os números um estão sobrevalorizados», foi publicada a banda desenhada de Miguel Santos. A Medalha de Prata demonstra quem nem sempre os números um são melhores do que os números dois (algumas vez serão?). Num mundo onde a palavra “competitivo” é vangloriada pelos projetos vencedores e a palavra “inclusivo” foi relegada para aquele conjunto de valores sociais que existem para relembrar que não se adotam, uma história como a que aqui é contada é sempre salutar.

Em nota de rodapé, refira-se que um dos ilustradores da revista Gerador #2 utilizou a banda desenhada. A BD de Wasted Rita é a antepenúltima das imagens infra-apresentadas.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão e com dimensões mais generosas:

Eis a reportagem que o Canal 180 fez à revista:

E o vídeo promocional da revista:

Também abordámos as primeiras duas revistas na 34.ª emissão do programa radiofónico Bandas. Confirem!