O 13.º Disney Especial é o segundo dedicado ao Natal, uma das obras mais aguardadas pelos leitores. E quais as bandas desenhadas a destacar? Todas, evidentemente!

A bonita arte de Paolo Mottura

Ao invés de várias bandas desenhadas de uma página, a revista contém 6 cartoons natalícios de diversos personagens, com argumento de Fausto Vitaliano e brilhantemente ilustrados por Paolo Mottura. Estes cartoons inéditos mundialmente, com exceção da Itália, são uma combinação explosiva, sendo provável que um ou outro, ao invés de um simples sorriso, conseguirá arrancar uma gargalhada ao leitor.

Um clássico de Martina e Bottaro

E as bandas desenhadas? A primeira é aparentemente outro inédito mundial, com exceção de Itália. Intitula-se Mickey e a Dupla Noite de Natal, publicando-se integralmente as 3 partes escritas por Guido Martina e desenhadas por Luciano Bottaro. Esta história tem o dom de reunir na mesma BD o Pai Natal, Mickey, Pateta, Tio Patinhas, Donald e Sobrinhos, Irmãos Metralha, Lobão e Lobinho, os Três Porquinhos, Tico e Teco, além de um telefonema do Coronel Cintra. Cada vez são menos os personagens da capa da Disney Comix #100 inéditos na Goody. Altamente elogiado, neste clássico dos anos 50, o Pai Natal conta com a ajuda do Mickey e do Pateta para, no Natal, diminuir a irascibilidade do Donald, a forretice do Tio Patinhas e… bem… a vontade do Lobão comer os Três Porquinhos. Para além das bizarros e hilários diálogos do Pateta, Martina socorre-se de alguns elementos dickensianos e explora algumas soluções narrativas pouco convencionais, como a resolução das questões através da imaginação do Pateta. Apesar da mensagem ser a do bem prevalecer sobre o mal no Natal – antes de regressar no dia seguinte – Martina é ousado a evocar milícias populares, mentiras dos indigentes, entre outras questões.

A primeira história do Tio Patinhas (na imagem) foi revisitada por Tito Faraci e Giorgio Cavazzano em 2007

Quando o Tio Patinhas foi criado, era bastante mais avarento, teimoso, rancoroso, hostil e tinha menos escrúpulos. Inspirado na personagem de Dickens, Ebenezer Scrooge, o Tio Patinhas (Scrooge McDuck, no original) não demonstrava ter nenhuma estima pelo seu sobrinho Donald. Na primeira BD em que surgiu, Natal nas Montanhas (Christmas on Bear Mountain, no original), Carl Barks fê-lo arquitectar um susto de morte ao seu sobrinho. No entanto, não resultou como esperado e o velho tio começou a se afeiçoar ao Donald. Esse é o ponto de partida da BD publicada na Disney EspecialTio Patinhas em Um Outro Natal em Monte Urso, no qual um tal de Tio Natal regressa com o Tio Patinhas àquela noite para alterar o passado e se atingir o objetivo inicial. Uma boa história imaginada por Tito Faraci, com os traços de Giorgio Cavazzano.

Apesar das desavenças entre os amigos, no final tudo corre bem e saboreiam-se as delícias natalícias!

Outro clássico natalino aparentemente inédito em língua portuguesa da autoria de Guido Martina, desta vez com desenhos de Romano Scarpa, é Mickey e as Delícias de Natal. Se na primeira BD, o Mickey e o Pateta eram escolhidos pelo Pai Natal graças às suas virtudes, nesta banda desenhada descobrimos do que eles são capazes quando se vêem em apuros com a polícia ou quando os seus amigos (Minnie, Tio Patinhas, Donald e Sobrinhos) falam mal deles pelas costas. Mais uma BD repleta de momentos hilariantes, com tópicos do passado sobre os quais ainda hoje é importante refletir, como a presença de um pai que só depois de dar umas nalgadas no filho reflete sobre se ele merecia algum castigo… Scarpa tem o desafio de, a dado momento, ter de centrar o seu desenho em sapatos, convidando a ajuda de um gato para as suas primeiras experiências. Uma BD que fez história…

Tio Patinhas como porta-voz do Pai Natal???

Diz-se que as tradições já não são o que eram e que o Natal se transformou numa festividade consumista. Talvez, talvez… Mas o Pai Natal também já não é o que era e concebeu uma estratégia de puro marketing. O Tio Patinhas será o seu porta-voz natalício. Se um sovina como o Patinhas se tornar generoso, todos passarão a acreditar novamente no espírito natalício. Emanuela Negrin e Lucio Leoni criaram no final do milénio passado este clássico contemporâneo – Tio Patinhas: Porta-Voz Natalício. Trata-se aparentemente de outro inédito em língua portuguesa.

Mickey e o Casaco de 5 Euros é a banda desenhada de Casty. Aparentemente, foi inspirada no conto Il rublo fatato de Renato Facini, publicado em 27 de dezembro de 1908 no primeiro número do Corriere dei Piccoli, suplemento infantojuvenil ilustrado (que também continha BD) do jornal Corriere della Serra. Publicada originalmente em 27 de dezembro de 2011, esta BD apresenta um Casty em plena maestria de ritmo e técnica narrativa.

Corrado Mastantuono não se limita a ilustrar a capa deste volume. BomBom e o ardor pré-natalício mostra que o sonhar acordado de BomBom pode não ser tão motivador quanto o sonhar com o Pai Natal. Uma história divertida, com a redenção do protagonista no final, como convém. Aparentemente, trata-se de outro inédito em língua portuguesa.

“A Espada de Gelo” é uma das mais conceituadas BD Disney de sempre!

O Disney Especial termina com a BD A Espada do Gelo da autoria de Massimo De Vita. Nesta narrativa fantástica tão aclamada e considerada uma das melhores da Disney, o Mickey e Pateta, a propósito do Natal,  envolvem-se em aventuras com elementos tolkienianos e da mitologia escandinava, encerrando a revista com chave de ouro.

Está portanto reunido um conjunto de histórias natalícias escolhidas a dedo, produzidas entre 1954 e 2011, que farão certamente as delícias natalícias dos leitores.

A Disney Especial #13: Natal está planeada para chegar às bancas no dia 28 de novembro.

Boas leituras e até breve!

Tio Nuno