Depois do sucesso crítico da revista Disney Comix #105, o que podem os leitores esperar da #106?  Algo que as duas revistas têm em comum são BD da autoria de Casty. Mickey e o Pateta Sortificado reúne Casty a Lorenzo Pastrovicchio, responsável pelo desenho. Trata-se de um inédito em língua portuguesa. Esta BD é a quarta colaboração entre estes dois autores, tendo-se publicado recentemente a primeira na Disney Comix #102 (Mickey e O Caso Subtilíssimo). Casty joga com o facto do Pateta ser frequentemente considerada um “palerma” (sic) e “duas vezes idiota” (sic) para nos demonstrar que talvez não seja isso que define a personagem, mas sim a sua bondade, a generosidade e a valorização da amizade. Graficamente, são realizadas diversas homenagens. Repare-se, por exemplo, no segundo disfarce de Mickey enquanto criança…

Uma das histórias mudas de Enrico Faccini mais aclamadas é Peninha e o Duelo Canino, onde uma disputa entre Donald e o seu primo para verificar quem tem o maior cão vai aumentando o tom do absurdo da situação, sempre em crescendo, até ao final.

Outra BD aclamada pela crítica foi a homenagem  de Corrado Mastantuono a Tex Willer, recentemente publicada na Disney Comix #101 e protagonizada por Bombom Sorriso. Criado há 17 anos, temos a oportunidade de ler a BD em que surgiu pela primeira vez em Donald e a Máquina do Conhecimento. Esta verdadeira pérola, que também explora a amizade do Donald e o Prof. Pardal em  situações raras vezes narradas, apresenta-nos a génese do Bombom Sorriso, sem se adivinhar o quão popular se tornaria a personagem nem como iria evoluir. Esta BD nunca foi publicada no Brasil.

Outra BD que remete para as origens de uma personagem é Coronel Cintra e a Dieta da Fome, com argumento de Giorgio Pezzin e desenhos de Romano Scarpa. A esposa do Coronel Cintra, Petúlia, surge pela primeira vez nesta BD, acrescentando outra vertente à vida do Coronel, permitindo ao leitor que não o conheça apenas enquanto força-da-lei, mas apresentando também a sua vida familiar. Apesar de ser uma personagem recorrente nas histórias italianas, nunca mais foi utilizada pelos seus criadores, o que confere a esta curiosa história um significado ainda mais especial. Esta BD nunca foi publicada no Brasil.

Mas ainda não me debrucei sobre a história ilustrada na capa. Trata-se da primeira BD da subsérie italiana A História de Arte do Mickey. O argumento é de Roberto Gagnor, os desenhos de Paolo de Lorenzi e a colorização especial esteve a cargo de Mirka Andolfo. E, ou não fosse o primeiro episódio, a proposta é levar o leitor a Lascaux, as famosas cavernas francesas conhecidas pelas suas pinturas rupestres desenhadas há cerca de 15000 a 18000 anos. Esta BD tem a curiosidade de 3 das suas páginas serem desenhadas com signos próximos dos da pintura rupestre bem como a de conter a imagem da Branca de Neve pela primeira vez numa Disney Comix.

Existem ainda 3 BD que têm em comum a série «Histórias Fantásticas» («Amazing Papers», no original), uma série de BD de ficção científica colecionada pelo Donald Menino, numa homenagem à revista pulp norte-americana Amazing Stories, a primeira inteiramente dedicada à ficção científica. Uma delas (Uma Missão Horrível) encontra-se no formato de BD de 1 página (inédita, além de Itália) e outra em tira cómica (inédita em língua portuguesa). Em Histórias Fantásticas: A Patrulha Espacial e o Lunático Apático de Alberto Savini e Stefano Intini, o Donald Menino e os seus amigos encarnam pela primeira vez as personagens da Patrulha Espacial. É mais um inédito em língua portuguesa.

A Disney Comix #106 chega às bancas no dia 10 de dezembro.

Boas leituras e até breve!

Tio Nuno