A Arcádia, editora pertencente ao grupo Babel, decidiu apostar numa nova série de banda desenhada franco-belga num momento em que são raros os lançamentos de BD francesa no nosso país.

Curiosamente, a série O Comboio dos Órfãos, da autoria de Phillipe Charlot e Xavier Fourquemin, tem os EUA como cenário, apesar da Europa ter um papel crucial na narrativa. Esta série está incluída no catálogo da coleção realista Grand Angle da editora Bamboo, distinguindo-se das publicações cómicas da editora, algumas publicadas entre nós em formato de álbum ou em revistas (pergunta milionária: em março de 2015, em que revista foram publicadas pranchas de BD da Bamboo com a generosa dimensão 42 cm x 30 cm? resposta: revista MegaPower #49, editora Goody).

Em França, a série encontra-se em publicação, tendo sido publicados 5 álbuns até ao momento, a qual conta com as cores de Scarlett Smulkowski. Os primeiros dois, Jim e Harvey, foram originalmente publicados em 2012 e 1013 e encontram-se reunidos neste primeiro álbum da Arcádia, com o subtítulo Ciclo 1 – Jim e Harvey.

Ficamos a aguardar que a resposta dos leitores seja positiva e que brevemente a editora publique entre nós o segundo ciclo, com os terceiro e quarto álbuns (Lisa e Joey).

Eis a sinopse da editora:
Na costa leste dos Estados Unidos, a onda de emigração maciça leva ao abandono de muitas crianças vindas da velha Europa. Miseráveis entre os mais miseráveis, crianças órfãs, abandonadas e maltratadas, sobrevivem à custa de pequenos furtos e mendicidade nas ruas de Nova Iorque. Só nesta cidade, eram cerca de 20 mil em 1854, ano em que foi posto em prática o primeiro programa de adoção, conhecido por “Orphan Train Riders”. O sistema adquiriu rapidamente uma dimensão e eficácia quase industrial. Quando a iniciativa terminou, em 1929, cerca de 250.000 crianças haviam sido enviadas para o Oeste. 1920. Nova Iorque é uma cidade vibrante mas cruel para com os mais fracos. O número de órfãos a viver nas ruas multiplica-se e o programa é intensificado. Os órfãos são oferecidos a quem os quiser receber. A sua vida dependia dos “pais” que os acolhessem. Este livro relata uma longa viagem pautada pela amizade, pela entreajuda… mas também pela traição. As primeiras adoções lembram uma feira de gado e há quem esteja disposto a tudo para ser bem adotado…

PHILIPPE Charlot (argumentista), escritor de canções e novelas, cruzou estas experiências com a BD. O seu 1º projeto relaciona-se com o percurso de um homem de jazz de nome Bourbon Street. Publicado pela Grand Angle/Bamboo, foi bem recebido pela crítica e vence o Prémio de Álbum ano de 2012 no Festival Internacional de Chambéry. Participou em: GAME OVER T4, 5 e 8 – A VOUS COGNACQ JAY T1 e 2. XAVIER Fourquemin (desenhador). Frequentou o curso de B.D. na Academia de Belas Artes de Tournai. 1996, publica na revista  Gotham editada pela Vent-d’Ouest,  L’immonde Bête. 1997, pré publicação de Alban; a sua 1ª série, na revista Golem – editora Le Téméraire.Trabalhou: Miss Endicott e La Légende du Changeling publicadas pela Lombard, antes de se aliar à Bamboo/Grand Angle em O Combóio dos Orfãos.

PVP: 20.80€