Dois anos depois, a Escorpião Azul volta a apostar na reedição da obra de Geral et Derradé com uma antologia denominada Edição Extra. Este livro reúne o conteúdo dos livros antológicos BestOf: Tirado da Prateleira (Calçada das Letras, 2013) e Segunda Oportunidade (Escorpião Azul, 2013).

Na capa, sobressaem as cores vivas, um certo ar punk no lettering e um ar de desânimo no músico, segundo o seu autor. Registe-se, a título de curiosidade, que é oficialmente o livro com maior número de páginas de Geral et Derradé.

Eis a sinopse:
Reúne o conteúdo dos difíceis de encontrar: BestOf e Segunda Oportunidade. O que equivale a dizer que contém material BRUTAL que saiu nos fanzines e na imprensa, além dos nossos três primeiros trabalhos para a Polvo: Fúria (1999), Fava!(2000) e Pai Natal – Um estudo morfológico (2001). Capa com badana. Não queremos que vos falte nada !… 

Extraído do prefácio, da autoria de Rui Brito:

Em 1993, no tempo em que ainda não estavam massificados os computadores e em que as fotocópias deixavam muito a desejar – na pré-história, portanto – surgiu na ribatejana Alverca uma publicação que marcou uma época de humor corrosivo pouco habitual e que dava pelo nome de “The Badsummerboys Fanzine”.
Geral (Mário Cavaco) e Derradé (Dário Rui Duarte) eram os timoneiros e o dito duraria quatro deliciosos números, até 1995. Os dois autores e amigos já colaboravam desde 1989/90, tendo mesmo iniciado as “Produções de Marda” (Mar, de Mário + Da, de Dário), mas estreitava-se ali uma ligação, com maior ou menor participação de Geral, que se materializaria através de publicações em fanzines, slimzines, revistas, brochuras, jornais, mais recentemente na web, e em… livros.
Um deles é este que estão a ler. Reúne material que foi originalmente editado em 3 nºs da colecção Primata comix, das Edições Polvo, respectivamente “Fúria”, “Fava” e “Pai Natal: um estudo morfológico”, no período 1998-2001; outro que foi publicado no jornal regional “Notícias de Alverca”, onde os autores foram ganhando tarimba na primeira metade da década de 90 do séc. XX; e ainda mais algum proveniente de origens diversas.
Funciona como uma espécie de mostra da variedade de temas e personagens saídos da imaginação da dupla, desde a sempre actual crítica social e de costumes, presente nas letras da “The Badsummerboys Band”, transversal a toda a sua obra, tal como “Traci”, a porno star, até à vertente “animal”, com “O Mosca”.
A Banda Desenhada de humor teve sempre uma grande tradição em Portugal, com uma maior ou menor verve consoante as épocas e os seus protagonistas. Geral et Derradé, como gostam de assinar, continuam a contribuir para a perpetuação dessa tradição, pela constância, pelo empenho, pela dedicação que revelam, pelos momentos de riso proporcionados. Merecem toda a nossa admiração. A sua leitura é, por isso, totalmente recomendável.

nota: imagem gentilmente cedida pelos autores.