Inicia-se hoje a Comic Con Portugal 2015. Ao longo do último mês, temos noticiado semanalmente as novidades anunciadas. Compilamos toda a informação neste único artigo, para sua maior comodidade, bem como apresentamos as mais recentes novidades desta semana.

Relembramos que nos referimos principalmente aos convidados e atividades relacionadas com a BD e ilustração, existindo uma miríade de outras relacionadas com séries televisivas, cinema, gaming, cosplay e outras temáticas da cultura pop.

HORÁRIOS
Dia 04/12 – Abertura – 12h30 | Encerramento: 22h00
Dia 05/12 – Abertura – 10h00 | Encerramento: 22h00
Dia 06/12 – Abertura – 10h00 | Encerramento: 22h00

CONVIDADOS BD e ILUSTRAÇÃO

Brian Azzarello é um argumentista de BD norte-americano, conhecido internacionalmente pelo seu trabalho em 100 Balas e pela colaboração com grandes editoras, em especial a DC Comics/Vertigo. O seu primeiro trabalho, An Undead Evolution, foi publicado em 1993. Alguns anos depois, juntamente com Eduardo Risso, lança a obra 100 Balas, para a editora Vertigo. A notoriedade que a publicação alcançou é reveladora do enorme sucesso obtido. Para além disto, Azzarello escreveu para diversas edições de Batman e Super-Homem. Contam-se ainda várias iniciativas próprias, como o western Loveless, criado juntamente com Marcelo Frusin. Em abril de 2015, foi anunciado como co-argumentista da segunda sequela de The Dark Night Returns, juntamente com Frank Miller. A qualidade de Azzarello já lhe valeu diversas distinções, entre elas o famoso prémio Eisner, em 2001, pelo seu trabalho na série 100 Balas, em colaboração com Eduardo Risso.


Nascido em Espanha, Juan Diaz Canales é um argumentista e realizador de filmes de animação. É conhecido por ser o argumentista da série “Blacksad”, bastante aclamada internacionalmente. Canales trabalhou e colaborou com diversas companhias europeias e norte-americanas, onde escreveu vários argumento para banda desenhada e para filmes de animação, tendo chegado a realizar alguns dos mesmos. Para além disto, dirigiu ainda séries de animação. Juntamente com Juanjo Guarnido, criou “Blacksad”, com o qual viria a destacar-se além fronteiras. Ao longo dos anos, foi acumulando prémios, dos quais se destaca o prémio Eisner, em 2013. Juntamente com Rubén Pellejero, vai lançar uma nova edição da conceituada Banda Desenhada franco-belga, “Corto Maltese”. Entrevista aqui.


Eduardo Risso é um ilustrador argentino com uma linha de trabalho bastante própria. Vencedor do prestigiado Prémio Eisner, em 2001, pela obra “100 Bullets”, Risso é elogiado pela profundidade da sua produção, bem como pela sua capacidade no equilíbrio dos tons. Colaborou com vários autores, tendo começado no seu país de origem, onde aumentou a sua notoriedade. Em 1987, publicou a sua primeira BD, “Park Charles: The Call”. Posteriormente, passou por uma fase europeia, onde publicou várias obras, fortalecendo a sua posição no mundo da BD. Entrou depois no mercado norte-americano, onde triunfou na Dark Horse Comics e na DC Comics. Risso é aclamado pela sua versatilidade, tendo trabalhado com argumentistas extremamente talentosos, o que lhe possibilita desenvolver vários tipos de ilustração. Entrevista aqui.


Rubén Pellejero é um desenhador espanhol e um nome reconhecido na banda desenhada franco-belga. Começou a sua carreira como ilustrador, ainda na década de 70. Nos anos 80, viria a assumir-se como desenhador, publicando a série “Historias de una Barcelona”. Pouco depois, iniciou uma frutífera colaboração com Jorge Zentner, juntamente com o qual publicou várias obras, das quais se destacam “El silencio de Malka”. Lançou-se no mercado francês com o argumentista Denis Lapière, tendo publicado grandes êxitos, como “El vals del gulag”. Juntamente com Juan Diaz Canales, vai lançar uma nova edição da conceituada Banda Desenhada franco-belga, “Corto Maltese”.


Miguelanxo Prado (A Coruña, Espanha, 1958). Em 1982, publicou o seu primeiro desenho animado. Desde então, desenvolve trabalho criativo como pintor, escritor, ilustrador de imprensa e, mais notavelmente, como cartoonista. Entre os seus livros dignos de nota, contam-se títulos como Trazo de Tiza, Quotidianía Delirante, Tangências ou Ardalén. Recebeu duas vezes o prémio de melhor obra estrangeira no FIBD Angoulême e seis prémios no Salón Internacional del Cómic de Barcelona, ​​nas categorias de melhor obra, melhor desenho, melhor argumento e Grande Prémio. Recebeu, em 2013, o Prémio Nacional pelo seu trabalho em Ardalén. Prado já trabalhou com escritores como Laura Esquivel (A Lei de Amor) ou Neil Gaiman (Eternal Night). No domínio do audiovisual, entre outras obras, é criador do personagens e realizador da série de animação Men in Black, bem como criador e realizador do filme de animação De Profundis, em colaboração com o músico Nani García.


Nascido em 1963, o dinamarquês Peter Snejbjerg desde sempre desenhou comics. Começou a sua carreira trabalhando sobretudo para a DC Comics, onde ilustrou uma série de títulos da Vertigo, nomeadamente Starman, bem como projectos independentes como Light Brigade e A God Somewhere. Colaborou também numa série de livros com Garth Ennis e é um contribuidor regular para a série B.P.R.D.(parte do universo Hellboy, na Dark Horse). Actualmente, trabalha para a editora alemã Cross Cult na série de fantasia Die Orks. Light Brigade é o seu primeiro trabalho editado em Portugal, sob o título Esquadrão da Luz. Peter vive em Copenhaga, onde está constantemente a chover. Entrevista aqui.


Juan Cavia é um ilustrador e diretor de arte argentino. Desenvolveu as suas capacidades em pintura, desenho, composição, dinâmica e diversas técnicas de representação e animação. Depois de sair do ensino secundário, começou a estudar cinema enquanto trabalhava como artista de storyboard e concept designer. Desde 20015, começou a trabalhar como diretor de arte para filmes, teatros e publicidade. Foi co-autor de “The Adventures of Dog Mendonça and Pizzaboy” – volumes I e II. Colabora frequentemente com o argumentista Filipe Melo e com o artista Santiago Villa. Em 2012, ilustrou a história para uma antologia comemorativa do 25.º aniversário da Dark Horse Comics, com a participação de Frank Miller e Mike Mignola. Entrevista aqui.


Carlos Pacheco vai abrilhantar o segmento de banda desenhada (BD) da Comic Con Portugal.O nosso país receberá uma das principais figuras da indústria da BD: o autor espanhol tem inúmeros trabalhos publicados pela Marvel Comics e DC Comics, as duas grandes editoras norte-americanas, tendo desenhado a maioria das personagens destas editoras, entre as quais não podiam faltar os míticos Superman, Batman ou X-Men.
.
.


Filipe Melo é pianista, realizador de cinema e autor de banda desenhada. Desenvolveu desde cedo uma paixão pela música, em especial pela improvisação e pela linguagem do jazz. Estudou no Hot Clube de Portugal e, mais tarde, no Berklee College of Music, em Boston. Depois de muitos anos como pianista freelancer, tornou-se também compositor, arranjador e orquestrador, tendo trabalhado com músicos de áreas diferentes como Benny Golson, Peter Bernstein, Deolinda, Legendary Tigerman, Camané, Carlos do Carmo, entre muitos outros. Foi também músico convidado de várias orquestras – Big Band do Hotclube, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Sinfonietta de Lisboa e Orquestra Sinfónica Nacional. Na área do cinema, foi o criador de vários projectos de culto: “I’ll See You in My Dreams”, curta-metragem vencedora do Fantasporto, do Méliès d’Or e de outros 12 prémios internacionais e “Um Mundo Catita”, a primeira série de ficção produzida pela RTP2. Na banda desenhada, foi autor da trilogia “As Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy”. Os seus livros de banda desenhada contam com prefácios dos lendários realizadores John Landis, George A. Romero e Tobe Hooper, e estão editados em vários países. É também convidado para escrever para a lendária colectânea de BD “Dark Horse Presents”, ao lado de nomes como Frank Miller e Mike Mignola. Em 2015, colabora com Bruno Nogueira nos projectos “Deixem o Pimba em Paz” (como um dos directores musicais) e no podcast “Uma Nêspera no Cu”, juntamente com Nuno Markl. Actualmente ensina na Escola Superior de Música, em Lisboa. Prepara-se para editar um novo livro: “Os Vampiros”, passado na guerra colonial. Entrevista aqui.


José Domingo inicia a sua atividade profissional no âmbito da animação como desenhador de personagens e storyboards. Durante estes anos, integra o grupo Polaqia e em 2008 publica a sua primeira obra “Cuimhne: El Fuego Distante”, com guião de Kike Benlloch, ao mesmo tempo que desenha diversas histórias mais curtas. Em 2011, publica com as Bang Ediciones “Aventuras de um oficinista japonês”, a sua primeira obra longa a solo e que lhe vale o Premio Melhor Obra Nacional do 30º Salón del Cómic de Barcelona. Também publicado no Reino Unido e EUA pela editora Nobrow Press, recebeu por esta edição a nomeação ao Eisner 2014 na categoria Melhor Comic Internacional. “Pablo & Jane en la dimensión de los monstruos”, publicado em espanhol por Astiberri, é a sua ultíma obra, a primeira infantil. Uma mistura de BD, livro ilustrado e livro-jogo. Originalmente publicado como “Pablo & Jane and the Hot Air Contraption” pela Flying Eye para o Reino Unido e EUA. Entrevista aqui.


Daniel Henriques especializou-se em arte-final para o mercado de comics norte-americano, correntemente a colaborar com o artista Bryan Hitch no relançamento da Justice League of America para a DC Comics, e recentemente tendo trabalhos também no Green Arrow, Mortal Kombat X, Lobo entre outras.  Estreou-se profissionalmente na indústria de comics dos EUA em 2011, sob a alçada do veterano arte-finalista Danny Miki, de quem foi aprendiz enquanto participou no estúdio Crime Lab Syndicate deste, trabalhando em vários títulos da Marvel Comics (i.e. Venom, The Incredible Hulk, a mini-série Fearl Itself: The Fearless, e X-Force). Passando depois por outras editoras e projectos, em 2013 começou a colaborar em full-time com artistas da DC Comics – como o arte-finalista Jonathan Glapion, trabalhando em diversas revistas (i.e. Batgirl, Birds of Prey, Action Comics). Entrevista aqui.


André Oliveira. Licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, é hoje copywriter numa agência de comunicação. Foi co-editor da antologia de banda desenhada Zona e comissário da Trienal Movimento Desenho 2012, tendo organizado o evento BD ao Forte. Escreveu os livros de BD “Há Sempre um Eléctrico que Espera por Mim” (ilustrado por Maria João Careto, Bedeteca de Beja), “Hawk” (ilustrado por Osvaldo Medina, Kingpin Books), “Casulo” (ilustrado por vários autores, Kingpin Books), “Vil – A Tragédia de Diogo Alves (ilustrado por Xico Santos, Kingpin Books), “Tiras do Baralho!” (ilustrado por Pedro Carvalho, El Pep), “Volta – O Segredo do Vale das Sombras” (ilustrado por André Caetano, Polvo), “Tormenta” (ilustrado por João Sequeira, Polvo), Milagreiro (ilustrado por André Caetano, Filipe Andrade, Nuno Plati, Ricardo Cabral, Ricardo Tércio, Ricardo Drumond e Jorge Coelho), os cinco primeiros números da série “Living Will” (ilustrados por Joana Afonso e Pedro Serpa, Ave Rara) e o primeiro da série “Gentleman” (ilustrado por Ricardo Reis, Ave Rara). Ao longo do seu percurso, tem contado com várias exposições e prémios, entre os quais o Prémio Nacional de BD de Melhor Argumento para álbum Português com “Hawk” (2014) e “Volta – O Segredo do Vale das Sombras” (2015). Actualmente, edita curtas de banda desenhada na revista Cais, faz parte do colectivo The Lisbon Studio e está a trabalhar em diversos projectos editoriais com diferentes ilustradores. Entrevista aqui.


Javier Pulido Rodríguez nasceu em Las Palmas, 1970. Gosta de Banda Desenhada desde a sua infância. Estudou Belas Artes na Universidade de Barcelona. Javier faz parte da segunda grande onda de autores espanhóis que entraram com sucesso no mercado dos EUA nos anos 90, juntamente com Germán García e Kano (seguindo o exemplo da “primeira onda” formada por Carlos Pacheco, Salvador Larroca e Pasqual Ferry alguns anos antes). O estilo de Pulido é influenciado por David Mazzuccheli e Steve Rude. Do seu trabalho, destaca-se o facto de ser um excelente narrador. Neste período, consegue os primeiros trabalhos profissionais, realizando ilustrações e alguns covers para as edições espanholas de BD da Marvel. Em Dezembro de 1996 estreia Mentat, uma minissérie de 4 números, que seria o seu primeiro e último trabalho realizado diretamente para o mercado espanhol. Menos de um ano depois, a Marvel já se tinha colocado em contato com ele e estava a realizar os seus primeiros trabalhos para a EEU. Os seus trabalhos mais conhecidos são Robin Ano Um, Catwoman, Human Target, The Amazing Spiderman e She-Hulk.

Yves Sente descobre “Tintim no Congo” aos 6 anos e “A Marca Amarela” aos 11. Apesar dos estudos lhe darem a oportunidade para criar as histórias de algumas pranchas, enquanto amador, acaba por seguir o caminho do Direito numa primeira fase, mas nunca pôs inteiramente de parte a banda desenhada. Obtendo o diploma de secundário da American High School de Chicago e tendo-se licenciado em Relações Públicas e Internacionais, arranjou tempo, mesmo assim, para publicar alguns desenhos no Wall Street Journal Europe. É uma abordagem multifacetada, que acaba por conciliar naturalmente quando, em 1991, se torna chefe de redação das várias revistas da editora Lombard. Em 1992, é nomeado diretor de edição e dá início a uma renovação profunda, que coloca o editor no lugar cimeiro da profissão. Mas não abandonou as suas aspirações artísticas e, em 1997, em anonimato, entrega à editora Dargaud uma história de Blake e Mortimer, que se tornará “A Conspiração Voronov”. Continua com as duas atividades durante algum tempo, criando histórias para artistas de renome como Boucq (”Janitor”) ou Rosinski (La Vengeance du Comte Skarbek” e ainda “Thorgal”). Por fim, opta por se dedicar inteiramente à escrita. Cria com Giulio De Vita, a série à volta de “Kriss de Valnor”, a primeira personagem a ser reconhecida em “Mundos de Thorgal”, e ambos têm a ambição de enriquecer a série de origem propondo técnicas de diálogos modernas. Entre “Thorgal”, “Blake e Mortimer” e “XIII”, não é de todo incorreto dizer que Yves Sente é, hoje em dia, um depositário de uma parte considerável e significante do património franco-belga.


Nascido em Moscovo, em 1967, Iouri Jigunov contorna a censura graças a um amigo da família que lhe dá alguns exemplares do jornal “Tintim” e é onde encontra a inspiração para a sua profissão futura. Após ter passado alguns anos a desenhar para um estúdio moscovita, ele aproveita uma viagem ao Ocidente para ir bater à porta da Lombard, obviamente, com “As Cartas de Krivtsov”, um one-shot realizado integralmente por ele. Yves Sente, na altura diretor de edição, encantou-se e aceitou editar o projeto. Melhor ainda, apresentou-lhe Pascal Renard, que estava a trabalhar nos primeiros tomos de uma série de espionagem, “Alpha”, que se desenrolava na Rússia. Realista, elegante e eficiente, os desenhos de Jigounov põem-no nas bocas do mundo que, em pouco tempo, o colocam entre os grandes nomes do futuro da “Nona Arte”. Atualmente, após ter colocado em imagens oito álbuns projetados por Mythic, está a desenvolver ele mesmo a história do 11º tomo desta série que se tornou uma das mais vendidas da coleção “Troisième Vague” da Lombard.


André Caetano nasceu em Coimbra, em 1983. Licenciado em Design de Comunicação pela Escola Universitária de Artes de Coimbra, é hoje freelancer em ilustração e design gráfico. Tem ilustrado para editoras como a Porto Editora, Edições Asa, GATAfunho, Calendário de Letras, Minerva Coimbra, Lápis de Memórias entre outras. Das várias obras que ilustrou, destaca-se a obra “Sem Palavras” (escrita por Eugénio Roda, Porto Editora), que foi seleccionada para fazer parte dos “100 Livros do Futuro”, em exposição na Feira do Livro Infantil de Bolonha, quando Portugal foi o país convidado. Com o trabalho desenvolvido na obra “Uma Aventura Estaminal”, escrita por João Ramalho-Santos, e editada pela Imprensa (da Universidade de Coimbra) foi nomeado para Desenhador e Legendador do Ano, e distinguido com o prémio de Colorista do Ano, na edição de 2014 dos Prémios Profissionais de BD. Ilustrou a obra VOLTA – O Segredo do Vale das Sombras, escrito por André Oliveira, e editado pela Polvo, que foi nomeada para Melhor Desenho, e Livro do Ano, tendo ganho na categoria de Melhor Argumento. Recentemente, ilustrou um dos capítulos da obra Milagreiro, escrita por André Oliveira e com ilustração de Filipe Andrade, Nuno Plati, Ricardo Cabral, Ricardo Tércio, Ricardo Drumond e Jorge Coelho, com edição da Polvo. Tem participado em diversas exposições colectivas e individuais. Continua a desenvolver projectos na área da ilustração, design e banda desenhada para diversos clientes. Entrevista aqui.


António Altarriba é ensaísta, critico, romancista, argumentista e professor de literatura francesa. O seu livro Arte de Voar, ilustrado pelo grande cartoonista espanhol Kim, venceu vários prémios, incluindo o Prémio Nacional do Comic e o Prémio Nacional da Catalunha, e é uma das obras nomeadas este ano para os Galardões BD Comic Con na categoria de Excelência na BD em Português de autores estrangeiros.
.
.


Tsuneo Sanda nasceu em Osaka e reside atualmente no Japão. Começou o seu percurso a gerir a sua própria empresa de publicidade, ao mesmo tempo que criava obras de arte originais no tempo livre. Depois de ganhar o primeiro prémio num concurso de arte de ficção científica japonesa, Sanda chamou a atenção da revista OMNI, sediada em Nova York e, em 1989, a revista colocou o seu trabalho de art cover numa das suas edições. Nos anos que se seguiram, Sanda começou a produzir mais arte temática de ficção científica e fantasia, com um foco especial em personagens de Star Trek e Star Wars. Alguns dos seus trabalhos podem ser vistos em cartazes de arte produzida para a Paramount Picture’s Star Trek; posters especiais comissionados para o 30.º aniversário de Star Trek; arte de capa para a revista de fãs de Star Trek, o Communicator; e arte do cartaz para a abertura da Paramount Parks / Experience. Desde 1996, Tsuneo vem produzindo arte para cartazes e capas de livros para Star Wars da Lucasfilm. A Lucasfilm vem adquirindo o trabalho de Sanda e atualmente detém a maioria das suas pinturas temáticas originais de Star Wars. Desde 2008, Tsuneo Sanda dedicou-se a tempo inteiro à arte da pintura. Em 2010, ele começou a produzir arte da Disney através da ACME.

AUDITÓRIOS

Os auditórios concentram sempre grandes atenções por parte dos aficionados das várias áreas. Aqui, serão apresentados programas gerais de conteúdos em cada área especifica. Cada auditório vai dispor de um cartaz próprio, adequado à sua temática (cf. programa, infra).
Auditório A (Cinema & TV);
Film & Video Expo;
Auditório Comics;
Auditório Gaming.
De realçar que a presença nos auditórios e respetivos conteúdos está sujeita ao preenchimento da totalidade da sua capacidade.
Refira-se ainda que, justaposto ao Auditório Comics e Literatura, encontra-se a sala Tertúlia Comics.

AUTÓGRAFOS DE AUTORES DE BD
Existe uma espaço destinado aos Autógrafos Comics, perto da sala de Tertúlia Comics. Para além disso, os expositores de editores e livreiros providenciam também sessões de autógrafos.

LANÇAMENTOS

  • A Vida Oculta de Fernando Pessoa – Daniel Morgado & Alexandre Leoni (SESI-SP); argumentista presente no expositor Arena Porto.
    – Wolverine: Logan – Brian K. Vaughan & Eduardo Risso (G. Floy Portugal)
  • Southern Bastards Vol. 1: Aqui Jaz um Homem –  Jason Aaron & Jason LaTour (G. Floy Portugal)
  • Zombies para Colorir – Juscelino Neco (Polvo)
  • Batman Noir – Brian Azzarelo & Eduardo Russo (Levoir)
  • Free Lance – Diogo Carvalho (Moon Kid Comics)
  • A Humidade – Joana Afonso (zine)
  • A Energia – Joana Afonso (zine)
  • O Tempo – Joana Afonso (zine)
  • A Quinta – Joana Afonso (zine)
  • O Clemente #1 – VA (zine)

ARTIST’S ALLEY

O Artists’ Alley é o espaço onde artistas independentes podem apresentar e vender os seus trabalhos. Com uma banca individual, os artistas podem expor os seus trabalhos para todos os visitantes. Este local também servirá para os artistas que trabalham em editoras interagirem com o público.

Bruno Teodoro Neves dos Santos Maio, nascido a 01-12-1989, em Guarda-Pinhel. Licenciado pelo Instituto Politécnico de Tomar, na área das Artes Plásticas Pintura-Intermédia. Presentemente a concluir o Mestrado no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, em Barcelos, nas áreas de Ilustração e Animação. Realiza também trabalho freelance nas áreas de Ilustração, Banda-Desenhada e Animação.
.
.


Gabriela Torres, nascida em 1984, é uma pintora e ilustradora autodidata que vive em Lisboa, Portugal. Trabalha principalmente com aguarelas e acrílicos, preenchendo a tela com salpicos de cores vivas, reforçando o mundo dos sonhos em que se inspira. As suas pinturas são criações surrealistas na sua natureza, influenciadas pela cultura pop.  Para além das suas exposições de pintura, vai lançar o seu primeiro livro de BD escrito e ilustrado por ela.
.
.


Brígida Antunes finalizou, recentemente, o curso de Artes Visuais do ensino secundário, e utiliza meios tradicionais e digitais para desenhar e pintar. Tem uma grande admiração pela cultura japonesa, estudando a linguagem falada e escrita desde 2011. Foi esta cultura que muito contribuiu para o seu interesse pelas artes visuais, através do anime e do manga, tendo adoptado esse estilo de representação gráfica nas suas ilustrações. Tem feito exposições com os seus trabalhos desde os 14 anos e ambiciona trabalhar na indústria da animação e videojogos nas áreas de ilustração e arte conceptual.


Adão Silva nasceu em Braga em 1974 e é formado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes do Porto. Atualmente é ilustrador freelancer na Porto Editora onde já colaborou em centenas de livros e é cartoonista no jornal Correio do Minho, onde tem um espaço semanal. Irá marcar presença no Artist’s Alley a fazer caricaturas individuais aos presentes interessados e a expor algumas das suas caricaturas de celebridades ligadas ao mundo do entretenimento.
.


Diogo Carvalho faz parte do mundo da Banda Desenhada portuguesa desde o liceu, tendo vários trabalhos nesse campo. Alguns dos trabalhos publicados estão no “Mutate & Survive”, no BDJornal, na Terminal, no“Venham +5”, nos 3 “Celacanto”, na “Zona Nippon”, nos livros “Murmúrios das Profundezas” (vencedor de melhor fanzine nos Troféus Central Comics 2008) e “Voyager”. Como autor a solo, fez o fanálbum “Cabo Connection”, nomeado para melhor fanzine nos Troféus Central Comics 2007, e  lançou em 2014 a Graphic Novel “Obscurum Nocturnus”, tendo sido bem recebida pelo público em geral e nomeada para o Prémio Adamastor de Ficção Fantástica em Banda Desenhada 2014. Brevemente terá uma história em que participou como desenhador /inker publicada pela editora canadiana Internacional Arcana Comics no “Steampunk originals” volume 7. É professor do 1º ciclo do Ensino Básico, do 2º ciclo da disciplina de EVT e tem trabalhos realizados nas áreas de multimédia, TV, cinema (tendo já recebido prémios nesta área), teatro e ilustração. Vive com a sua esposa e o seu filho na vila da Torreira. Conteúdos que serão apresentados no evento: autógrafos desenhados; arte original feita no momento; comissions e fan art; postais de fan art edição limitada; venda de arte original, livros Obscurum Nocturnus e fanzines.


Manuel Morgado é um ilustrador inspirado por diferentes tipos de arte, como banda desenhada, filmes, música ou pintura. Para a pintura, busca inspiração principalmente num estilo renascentista ou barroco, como Caravagio, Rubens, Vermeer, entre outros. Na ilustração, inspira-se em artistas contemporâneos, tais como Luis Royo, Jude Palencar John, Matt Stawicki, Tood Lockwood entre outros nomes.  Manuel Morgado tem sido, desde 2005, designer de comunicação e ilustrador com trabalhos na área da publicidade em jornais como por exemplo O Expresso, a revista Visão, o jornal O Jogo ou o Jornal de Noticias e editoras como Porto Editora, Edições Asa e Sebenta, e ainda em agências como Young and Rubican, McCann Erikson ,entre outras.


MJ Lima & Patrik Caetano
M.J. Lima (Argumento) nasceu no Porto em 1983. Em 2004 entrou no Balleteatro Escola Profissional, onde estudou Teatro Contemporâneo. Em 2006 trabalhou como jornalista de cinema onde chegou a entrevistar nomes como Eli Roth e Eduardo Serra. A sua paixão pelo Cinema levou­-a a Londres, onde vive actualmente e trabalha como argumentista e escritora para Banda Desenhada.
Patrik Chinita Caetano (Desenho) nasceu na Suiça a 12/07/1989, cresceu e estudou em Portugal. Frequentou o Curso de design de Equipamento na Escola Superior Daniel Sampaio, o curso de Arquitectura na UAL, estudou Artes Visuais e concluiu a Licenciatura em Desenho pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Desenvolve trabalhos nas áreas de Ilustração, Banda Desenhada, Concept Art e Gaita de Fole Transmontana. Realizou exposições de desenho, em grupo e individualmente entre 2007 e 2013. Trabalhou na Lusoartes de 2012 a 2013. Ganhou três prémios no campo das Artes, entre eles o prémio Anselmo de Andrade na categoria de Artes Visuais em 2008 e o prémio “Pila Moreno Diaz de Peña” concedido pela embaixada Espanhola em 2007.
Patrik e M.J. estarão presentes na Comic Con Portugal pela primeira vez para apresentar Patient EV­136, editada pela Chiado Editora.


David Buceta & David Braña
David Buceta. No ativo desde 2005, tem sido o artífice de publicações como “Sinónimos de lucro” ou “Comic’Zine Low Cost”; Colaborador regular de “A Arca da Comic” e criador de personagens tão díspares como Codename: Frango, Capitán Pepinillo ou El Ángel Golondrino. Trabalhou a nível regional, nacional e internacional como artista, escritor, coordenador, argumentista ou designer. Podemos ver parte do seu trabalho nos Estados Unidos, Argentina, Brasil e Londres. Buceta contribuiu para publicações solidárias, como “Ilusório”, “Cómic21” ou “Um mundo de recursos”; em webzines como “Stripster”, “Mirai Webzine”, “Horror Vacui” ou “Last Stop”; antologias como “Slam Bang,” “The End”, “Eurocorps para sempre”; projetos audiovisuais como “Our RoboCop Remake” ou capas para álbuns como “Electric Butter: A Big Band tribute to Paul Butterfield and Michael Bloomfield” e “The Original Blues Brothers Band: Live From Bonneville”.
David Braña. Nascido em Barcelona, reside em Vigo. Começou a ler BD muito jovem, que o levou a escrever os seus próprios argumentos e a editar vários fanzines. Ganhou vários prémios e tem trabalhado para várias editoras: Burz, Dolmen, Drakul, FXGràfic, Diabolo, Markosia. Criador da revista “El Arca de las historietas” e vencedor do prémio “Mejor Revista” em 2015. Entre os seus trabalhos mais conhecidos estão as novelas gráficas de “DOS” (Editorial Drakul) e “Mercury”, a peça vencedora dos prémios “Melhor escritor”, “Melhor Artista” e “Melhor Comic” no Festival de Cómic Europeo de Úbeda y Baeza 2014.


Nuno Sarabando é um ávido entusiasta de Banda Desenhada, natural da Gafanha da Nazaré, Aveiro. Autodidacta, começou em 2002 a trabalhar no estúdio de animação do Cineclube de Avanca onde ajudou na animação de várias curtas-metragens tais como “Raio de luz”, “Zé e o Pinguim” e “Timor Loro Sae”. Como Ilustrador freelance e artista de storyboard trabalhou para clientes como a Porto Editora, Produções Fictícias e The Lisbon Labs. Como desenhador de BD foi ilustrador em co autoria com João Brandão de duas tiras cómicas, uma online intitulada “Insert Coin” e outra chamada de “Loading…” publicada mensalmente na extinta revista “Hype”. Participou com uma história curta no “BD Jornal” e teve trabalhos integrados em vários fanzines destacando-se o ciclo de homenagem a Robert E. Howard com a história “Kull o Fim” (Hugo Jesus no Argumento) e “Volta a Portugal em 24 horas” . No evento, será possível adquirir desenhos originais, prints e mercadoria com arte do Autor.


Joana Nogueira. Ilustradora e Escultora, licenciada em Artes Plásticas pela ESAD das Caldas da Rainha e a terminar Mestrado em Ilustração e Animação no IPCA de Barcelos, a Joana trabalha sobre um universo de monstros que transpiram cor. Depois de dar aulas de EVT e Comunicação Gráfica e Audiovisual, aventurou-se na realização de uma curta-metragem em animação de volumes, onde criou as personagens e construíu as marionetas para animação. Gosta de trabalhar em ‘ilustração 3D’, passando do esboço para a escultura, e aplicando-a em vários objectos, e partir destas experiências criou a marca The Punpis Family. Depois de os construir gosta de fotografá-los e brincar com os espaços onde os coloca. Na Comic Con, onde estará pela primeira vez, irá apresentar um novo projecto onde alia o seu universo ao da banda desenhada, e terá em exposição esculturas e ilustrações originais, assim como coleções limitadas de postais ilustrados.


Mitsu & Joana Varanda
Prémio Comic Con Portugal para as vencedoras do concurso de banda desenhada “A Mulher e o Mundo”.
Vanessa Ribeiro aka Mitsu aka Brodare (DA), nascida em Queluz, é divertida, carismática e sonhadora. É uma jovem artista que trabalha com processos tradicionais e digitais e também com animação 2D e 3D. Estagiou na escola de artes e multimédia, L’idem, Perpignan, França. Divulga as suas ilustrações e cosplays nos eventos de anime, através da Fantastic Banca. Depois de terem sido publicadas em livro as suas mangás “As 7 Cores de Oníris” e “As Sementes de Ciordamo”, ambos escritos por Rita Vilela, sonha em também conseguir publicar “Oshimaro”, entre outros, e um artbook. Prémios: Manga PT – Segundo lugar da Mascote Mieko; Asian Culture Party – Primeiro lugar em animação e Concurso de Manga; Gurupop 2012 – Primeiro lugar em ilustração; Midori fest 2009 – Menção honrosa manga; Banzai Mulher e o Mundo – Primeiro lugar em Manga; Midori – Menção Honrosa com o Manga, “Oshimaro”.
Joana Varanda (Led), artista polivalente. Natural de Sintra, encontra no misticismo da Serra muita da inspiração para os seus trabalhos. O seu curioso percurso já incluiu de tudo desde animação, adereços, guarda-roupa, e ilustração, não esquecendo as suas origens: a escrita. Em 2011, colaborou na revista Zona Nippon 1. Em 2014, foi uma das ilustradoras da BD “As Sete Cores de Oníris – A Grande Aventura”. Este ano, a sua história “Imposição” foi vencedora do concurso de BD “A Mulher e o Mundo”, organizado pela Banzai.  As duas artistas trabalham em sintonia frequentemente, estando neste momento a prepararem-se para publicar uma BD no álbum H-Alt, em conjunto, bem como com outros artistas.


Daniela Viçoso & Mariana Cândido
Daniela. Pintora e ilustradora, nasceu em Faro em 1990. É licenciada em Pintura nas Belas-Artes de Lisboa e está a terminar o mestrado de Ilustração na Universidade de Kingston em Londres. O seu trabalho pessoal foca-se sobretudo em folclore e história portugueses e em temáticas do género boy’s love (BL). Projectos a lançar nesta edição incluem um fanzine de ilustração, entre outras surpresas.
Mariana. Natural de Vila Real, está no quarto ano de Pintura nas Belas-Artes do Porto. Desenha coisas de índole variada. Mas foca-se mais em temas homoeróticos.


José Antonio Méndez. Artista de Pontevedra (Galicia) e um grande aficionado da tématica de terror em todas as suas vertentes. Para além do terror, desenvolve trabalhos em diversas outras temáticas.
.
.
.
.
.


Carlos Pedro nasceu em Lisboa há 29 anos. Começou a produzir Banda Desenhada em 2006 com Super Pig # 1, publicada pela Kingpin Books. Continuou a trabalhar com a editora em Super Pig # 2, em 2007, e Super Pig # 4 em 2009. Depois de terminar a sua licenciatura em arquitectura, Carlos mergulhou em trabalhos freelance. Trabalhou com editoras independentes estrangeiras, pela primeira vez em “Fast and Frightening” pela editora Freaktown e depois em “Keeper” por Atypical Comics, entre 2012 a 2014. Também em  2014, escreveu, desenhou e publicou “SOLOMON”, um comic book com 36 páginas a preto e branco que levou  ao Festival “Thoughtbubble” de Leeds. Aí conheceu e despertou a atenção de  Richard Starkings, editor e escritor da série “Elephantmen”, publicada pela Image Comics. Até agora, em 2015, Carlos terminou uma edição de “Elephantmen” e está actualmente a trabalhar no lançamento de mais duas até ao final do ano. Vai ainda relançar “SOLOMON”, numa nova edição de luxo em colaboração com a Kingpin Books. Na Comic Con Portugal, vai ter para o público uma série de prints, cópias de “Elephantmen” e da nova edição de “SOLOMON”, aceitando comissões e assinando autógrafos.


Francisca & Soraia
Francisca Sá. Licenciatura em Artes digitais e Multimédia, ESAD. Concluiu recentemente a Pós-Graduação em Ilustração e Animação na mesma. Ilustradora Freelancer, participou em vários projectos relacionados com ilustração.
Soraia Lopes Pereira.  Mestrado em Artes Sequenciais, Narrativa e Animação, Kobe Design University. Aluna de Yasuhiro Yoshikazu, Ashida Toyoo e Ohtsuka Eiji. Ilustradora, Comic Artist; publicou a Manga original R.E.D no Japão e participou em vários projectos B.D. e ilustração indie internacionais.


Raquel Costa aka little black spot ilustra para os mercados editorial e de publicidade. Também dirige o seu próprio estúdio e marcas de produtos ilustrados.  Nasceu no Porto e formou-se em Artes Plásticas – Escultura pela Faculdade de Belas Artes do Porto e é Mestre em Ensino de Artes Visuais.  Participa em exposições a solo e coletivas, tanto em território nacional, como fora de portas.  Em 2011 cria o projecto de ilustração little black spot e funda o little black spot studio.  Tem em carteira clientes nacionais, como a Porto Editora, a Opera Omnia, a Startup Braga e o Theatro Circo ou a Capote Música. Mantém uma colaboração internacional com a marca australiana Laikonik.au. Também dirige oficinas de ilustração e realiza sessões de desenho ao vivo.  Raquel edita – sob o signo little black spot paper goods – produtos de papel ilustrados, que comercializa online e em várias lojas físicas. Prepara, para 2016, o lançamento de produtos têxteis e de cerâmica.  Apresenta na COMIC CON Portugal 2015 o picture book “Baby Grace and the Deadliest Creatures from Outer Space”.


Joel Sousa. Natural de Vila Nova de Gaia e entusiasta de Banda Desenhada e jogos de vídeo. Autor e ilustrador amador no tempo livre, contribui com ilustrações para vários websites de jogos de vídeo. Formado em Artes, Joel é grande fã de Banda Desenhada, animação e jogos de vídeo, predominantemente jogos produzidos pela Nintendo que lhe conferem grande parte da sua inspiração. Joel é influenciado por Joe Madureira no que toca a Banda Desenhada. Contribuiu com ilustrações para Metroid Database e Game Art-HQ. Correntemente trabalha em projectos pessoais relacionados com B.D.


Luis Figueiredo é ilustrador, concept artist, artista de BD e animador. Nasceu em 1989 no Porto. Começou a aprender a desenhar com 21 anos depois de ter tirado um curso de Economia, no qual o exerceu como profissão durante 1 dia, e foi o suficiente para saber que nao era aquilo que queria. Assim viajou para Itália, país no qual esteve 3 anos, e depois 1 outro para o Canadá, onde aprendeu animação e no qual elaborou em curtas. Trabalhou em vários comics para o Brasil, Estados Unidos e Reino Unido e tem em vista poder trabalhar para Marvel e DC, quando achar que o tempo é o mais certo para tal.


Daniela Policarpo. É uma pintora e videogame developer movida pela sua paixão pela arte. Tem desenhado desde criança e a arte nunca deixou o seu coração até este dia. Começou a pintar digitalmente em 2013 e rapidamente se tornou claro que essa seria a forma de arte que iria querer produzir. Os videojogos sempre foram parte da sua vida por isso está atualmente a estudar programação de videojogos na Universidade Lusófona, em Lisboa.  Daniela sonha ter um emprego no qual possa criar usando os seus lados lógico e artístico – na indústria dos videojogos. O que gosta mais de fazer é auto-retratos psicológicos e outras pinturas de temática conceptual.


The Lisbon Studio. É um Atelier colectivo de artistas portugueses oriundos das mais variadas áreas com predominância para o universo da Banda Desenhada e Ilustração Editorial dentro do actual cenário profissional nacional e internacional. A representar este atelier estarão na Artist Alley os seguintes autores: Dileydi Florez, Gonçalo Duarte, Hada, Joana Afonso, João Tércio, Jorge Coelho, Marta Teives, Nuno Duarte, Nuno Rodrigues, Nuno Saraiva, Paula Carichas, Pedro Brito, Pedro Ribeiro Ferreira, Ricardo Cabral e Ricardo Drumond.


Sama é um artista brasileiro, cujos os trabalhos mais conhecidos são “A balada de Johnny Furacão” e “Motel Sama”.  Através de um humor ácido e sofisticado, Sama apresenta-nos nas suas narrativas um mundo retro-alternativo, niilista, distópico e existencial. As influências de autores como, Nelson Rodrigues, Carlos Zéfiro, e do “film noir”, estão subtilmente presentes em sua obra. Soma-se a isto, uma sensibilidade ímpar em retratar o drama do indivíduo urbano contemporâneo em constante confronto com o meio que o cerca. Com um pensamento que já vem singrando o oceano, como o conteúdo de uma garrafa perdida(e encontrada) no Atlântico desde 2011, conseguimos detectar ligações deste ‘universo Samânico’ através das recentes obras: Motel Sama (curta­metragem), a BD ‘La Dolce Vita‘  e outras narrativas curtas apresentadas nos “Cadernos do Sama“. Em seu novo livro, “A Entrevista“, o autor mais uma vez apresenta-nos uma iguaria deste mundo distorcido, corrupto e sensualmente onírico de sua fértil imaginação, apesar da trama pouco parecer ficcional…  Em “A Entrevista” as personagens, desta vez, em duas cores, encontram-se numa ilha, no litoral de um Rio de Janeiro re-imaginado pela sua memória num imbróglio místico e político.


Miguel Montenegro foi o primeiro ilustrador português a trabalhar para a Marvel Comics. Uns anos depois, enquanto estudava Psicologia Clínica no ISPA, começou a escrever e a desenhar PSICOPATOS, uma tira humorística sobre um mundo de patos, vítimas frequentes de outros animais que se aproveitam da sua boa vontade e ingenuidade. O protagonista, Patareco, é um pato estudante de psicologia – tal como o autor foi. Quase todos os temas são abordados, embora o humor de PSICOPATOS resvale para a Psicologia e as suas muitas contradições. O primeiro livro de PSICOPATOS – volume 00 – foi publicado pelo ISPA em fevereiro de 2014, inserido nas comemorações do cinquentenário da instituição. Seguiu-se o volume 01, em Junho de 2015, editado pela Arcádia-Babel, que se revelou um dos maiores sucessos de vendas da Feira do Livro de Lisboa. O segundo volume será apresentado durante a COMIC CON PORTUGAL 2015. Contando à data com cerca de 27 mil seguidores no Facebook, os PSICOPATOS estão traduzidos em cinco línguas diferentes no website internacional www.psicopatos.com e, já em 2016, serão publicados em França pela editora Marabout (Groupe Hachette).


João Moura é artista 2D e 3D. Em 2011 formou-se como arquitecto e em 2012 dá início ao curso de Animação por Computador. Em 2014 conclui o Mestrado com o projecto final do qual foi co-autor, a curta de animação ‘Night Fright’. No seu percurso profissional trabalhou em design de personagens/cenários para jogos, em animação 2D/3D e actualmente trabalha como generalista e concept artist e faz freelance para trabalhos de animação e ilustração.
.
.


Tiago Araújo (1991). Actualmente vive no Porto. Estudou Artes Plásticas – Ramo Multimédia, na Faculdade de Belas Artes da UP. Esteve em Sheffield Hallam University (Sheffield, Reino Unido), ao abrigo do programa Erasmus, no ano lectivo 2012/2013, e aí estudou Design para Videojogos. Na sua estadia no Reino Unido, envolveu-se também em projectos de teatro como actor e assistente de arte. Trabalha como ilustrador freelancer, revelando interesse nas áreas de Ilustração, Banda Desenhada e Cinema de Animação. Frequenta agora o Mestrado de Ilustração e Animação. As principais influências no seu trabalho são o cinema de David Lynch, o movimento Underground Comix, Psicanálise, Expressionismo Alemão, Mitologia Nórdica e Grega, Cultura Japonesa (Cinema e Banda Desenhada), Erotismo e Surrealismo.


João Nuno Carvalho & Inês Martins
Ópio é um bendito grupo representando submundos.
Conjunto formado por João Nuno Carvalho, “designer gráfico e desenhador de bonecos” profissional, e Inês Martins “recém formada designer que só desenha bichos.

.
.


David Azevedo da Cunha nascido em Janeiro de 1990, para sempre indeciso se é Aquário ou Capricórnio. Estudou na Escola Secundária Artística António Arroio em Design de Comunicação e Multimédia, seguido de uma licenciatura em Som e Imagem na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha. Actualmente a procrastinar e a trabalhar num comic juntamente com Miguel Lourenço (Buzzard). Os seus interesses envolvem ilustração, banda desenhada, animação, 3D e batata frita.

.


Sofia Neto estudou Belas Artes – Multimédia na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e tem um mestrado em Banda Desenhada pela École Européene Supérieure de l’Image em Angoulême. Coeditou e publicou uma BD no zine Carne e Osso #1. Participou nas antologias da Chili Com Carne QCDA 2000 e Malmö Kebab Party. Colaborou com o Jornal Único, órgão de comunicação social de São João da Madeira, no qual se publicou a BD A Ronda. Zines a solo: 789, Vial e Kra Kra.
.
.

ATIVIDADES

Os Galardões BD Comic Con Portugal são uma das grandes novidades da edição deste ano. Estes novos Galardões têm como missão destacar e premiar a melhor Banda Desenhada criada ou editada em Portugal, com particular enfoque na promoção dos autores nacionais.
Nomeados aqui.
Vencedores aqui.
.
.


Galeria. A Comic Con iniciou-se como um evento de Banda Desenhada, por isso não poderia faltar um espaço destinado à exposição deste tema. Na Galeria, poderão ser observadas de perto algumas das obras de artistas presentes no evento. Este ano com trabalhos do The Lisbon Studio.
Este ano com trabalhos do The Lisbon Studio:
4 Dezembro 14h15h: The Lisbon Studio apresenta a Web Mag#10, a revista que apresenta os mais recentes trabalhos do colectivo. Em palco os autores Filipe Pina, Nuno Saraiva e Dileydi Florez. 15h-16h: Jorge Coelho apresenta o seu mais recente trabalho. 16h-17h: Joana Afonso apresenta o seu mais recente trabalho. 17h-18h: Nuno Rodrigues apresenta o seu mais recente trabalho. 18h-19h: Nuno Duarte apresenta o Making Of da capa genérica do Lisbon Studio. 19h-20h: Gonçalo Duarte apresenta o seu mais recente trabalho.
5 Dezembro 14h15h: The Lisbon Studio apresenta a Web Mag#10, a revista que apresenta os mais recentes trabalhos do colectivo. Em palco os autores Nuno Rodrigues, Pedro RF e Joana Afonso. 15h-16h: Ricardo Drumond apresenta o seu mais recente trabalho. 16h-17h: Dileydi Florez apresenta o seu mais recente trabalho. 17h-18h: Pedro RF apresenta o seu mais recente trabalho. 18h-19h: Nuno Duarte apresenta o Making Of da capa genérica do Lisbon Studio. 19h-20h: João Tércio apresenta o seu mais recente trabalho.
6 Dezembro 14h15h: The Lisbon Studio apresenta a Web Mag#10, a revista que apresenta os mais recentes trabalhos do colectivo. Em palco os autores Ricardo Cabral, Pedro Brito, Jorge Coelho. 15h-16h: Paula Carichas apresenta o seu mais recente trabalho. 16h-17h: Pedro Brito apresenta o seu mais recente trabalho. 17h-18h: Nuno Saraiva apresenta o seu mais recente trabalho. 18h-19h: Nuno Duarte apresenta o Making Of da capa genérica do Lisbon Studio. 19h-20h: MasterClass – Aula aberta de desenho ao vivo com os vencedores do concurso Heróis do Cosplay. Formadores: Nuno Saraiva, Paula Carichas e Pedro Brito.

Realizam-se ainda as seguintes exposições, além da The Lisbon Studio:
– Ano Editorial Português com presença das editoras G-Floy, Ave Rara, Kingpin Books e Polvo, onde cada editora vai expor o seu material;
– Hanuram the Golden – exposição dedicada à personagem criada por Ricardo Venâncio e inicialmente publicada no volume I da antologia KaBOOMbox;
– Figuras Clássicas do Terror – exposição que conta com várias ilustrações assinadas por autores ligados às Artes Plásticas e à Banda Desenhada, as quais homenageiam ícones do cinema clássico de terror.


O Portfolio Review é o espaço da Comic Con Portugal destinado à descoberta de novos talentos.  Nestas sessões, que se desenrolam individualmente, cada participante reúne-se numa mesa com um influente e reputado editor da indústria e apresenta-lhe o respetivo portefólio com as melhores criações. É uma oportunidade única de impressionar profissionais experientes que podem ajudar qualquer autor e/ou ilustrador a cumprir o sonho de fazer carreira ao mais alto nível no setor da BD.
No Portfolio Review conta-se com a presença de responsáveis de algumas das maiores editoras de banda desenhada internacional, nomeadamente:

  • Dark Horse Comics – Philip R. Simon
  • Dupuis – Antoine Dujardin
  • Kingpin Books – Mário Freitas
  • Polvo – Rui Brito
  • Babel – Maria José Pereira
  • Carlos Pacheco (convidado especial que vai dar conselhos importantes sobre o mundo da Banda Desenhada)

DESENHADORES, ARTE-FINALISTAS, COLORISTAS
O portólio deve ser apresentado preferencialmente numa pasta A3, sem folhas soltas, de modo a facilitar o manuseamento e revisão pelo editor. Idealmente, deverá incluir 12 a 15 páginas no máximo, de preferência em A3. O portólio pode incluir 1 ou 2 pin-ups ou imagens de capa, mas o ideal será o máximo de páginas conter cenas com narrativa sequencial. Os editores não procuram só desenhos “bonitos”; procuram artistas com personalidade e capazes de contar uma história através das imagens. Se o forte do artista é o lápis, a tinta ou a cor, deve concentrar-se nos seus pontos fortes. Pode apresentar a mesma página nas diferentes versões (a lápis, depois passada a tinta e finalmente colorida) por questão de comparação. O editor quer saber como vocês desenham AGORA, e não como desenhavam quando tinham 5 ou 10 anos de idade, ou há 2 anos. O editor só pretende ver o vosso melhor, pelo que não encham o portfólio de material antigo e que já não represente as vossas aptidões actuais. Tentem conhecer o editor com quem vão falar, sobretudo aquilo que ele edita, de modo a terem noção se o vosso trabalho se pode adequar à linha editorial. O que não agrada a um editor pode eventualmente ser do interesse de outro. Escutem atentamente o editor e não o interrompam constantemente, nem sejam excessivamente defensivos em relação às críticas que ele vos aponte. Nehum editor quer destruir os vossos sonhos, mas nenhum editor responsável irá alimentar ilusões irrealistas. Escutem-nos, respondam às perguntas que ele vos coloque e façam as vossas próprias perguntas que vos pareçam pertinentes. Apresentem material publicado, se já o tiverem, sobretudo se for recente: fanzines, revistas, até álbuns. Nada dará ao editor uma melhor perspectiva do vosso potencial e capacidade de trabalho.
ARGUMENTISTAS
O editor pretende avaliar a vossa capacidade de escrita, através da observação dos diálogos e narrações, assim como a vossa capacidade de contar histórias em Banda Desenhada. Não tragam argumentos inteiros; nenhum editor terá tempo de os ler durante uma revisão de um portfólio. Tragam uma sinopse da história – ou histórias – que pretendam apresentar, o mais sucinta e objectiva possível, de preferência não superior a meia-página A4 por história, com fonte de dimensão normal. Incluam a seguir um sample breve de uma parte do guião, correspondente a duas ou 3 páginas de BD, onde descrevam a página, a acção em cada vinheta e os diálogos correspondentes. Poderão ainda incluir estudos ou breves descrições das personagens. De resto, aplica-se o mesmo que aos restantes artistas.

Visando dar uma maior possibilidade de contacto entre novos autores e editores, e não perdendo, por outro lado, a noção de que é impossível aos editores – sobretudo aos estrangeiros – em tão curto espaço de tempo visionarem todas as obras que possam vir a ser apresentadas, o espaço funcionará em dois períodos de tempo, sendo implementado o sistema de pré-selecção de obras.
HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO
Há dois períodos de funcionamento da área de Portfólios Reviews, de 6ª feira a domingo:
– Um horário destinado a inscrições;
– Um horário destinado ao encontro dos candidatos, com um editor.
– Os horários acima indicados serão afixados e divulgados juntamente com a programação geral e no espaço de análise de portfólios.
INSCRIÇÕES
As inscrições para a análise de portfólios são feitas diariamente, de 6.ª feira a domingo, no local e hora onde se procederá à análise de portfólios. A inscrição é feita através do preenchimento e entrega de uma ficha de inscrição.
FUNCIONAMENTO
Os candidatos que pretenderem que as suas obras sejam analisadas pelos editores presentes no espaço, deverão entregar a ficha de inscrição preenchida, juntamente com o seu portfólio, candidatando-se à pré-selecção das obras que serão presentes aos editores durante o período da tarde.
A pré-selecção será feita por uma comissão soberana nas suas decisões.
Meia-hora antes do início da sessão, será afixada a lista de candidatos/portfólios que cada um dos editores presentes analisará.
GENERALIDADES
Durante o evento, cada candidato só pode inscrever-se uma única vez e com um único portfólio.
No caso de já não existir vaga para o editor escolhido pelo candidato aquando da inscrição, e caso a obra do candidato seja seleccionada, a organização reserva-se o direito de atribuir a análise do portfólio em causa a um outro editor presente no espaço.

EDITORES INTERNACIONAIS

Philip R. Simon é editor da Dark Horse Comics há mais de quinze anos. Os seus projetos ganharam vários prémios Águia (Blade of the Immortal), Harvey Awards (o quinto Beatle, O Melhor de Comix Book) e um Prémio Eisner (O Quinto Beatle), juntamente com inúmeras nomeaçõs a prêmios. Philip é o editor de língua Inglesa da trilogia Dog Mendonça, que se passa em Portugal, bem como o adaptador do script do idioma Inglês e editor de numerosas séries japonesas e coreanas publicada pela Dark Horse (FLCL Omnibus, I Am a Hero, MPD-Psycho, Bride of the Water God). Para além de trabalhar em licenciamento (Conan, Aliens, Plants vs. Zombies), Philip tem liderado uma infinidade de projetos diferentes ao longo dos anos, desde recuperação de séries de arquivo (Crime Does Not Pay Archives,Creepy Presents Alex Toth, Tarzan: The Joe Kubert Years) a novelas gráficas de propriedade do criador (Concrete Park, Resident Alien, Flood!, and Peter Bagge’s Reset). Nascido em Porto Rico, criado no coração de Cajun, sul da Louisiana, e residindo atualmente em Portland, Oregon, Philip acredita que a diversidade e originalidade na narrativa vai manter a indústria da banda desenhada vibrante e viva para as gerações futuras.


Louis-Antoine Dujardin trabalha como um editor desde 1995. O seu primeiro trabalho na banda desenhada foi para a Humanoids. Desenvolveu as versões francesas para newstands dos Simpsons e do anime Digimon. Dujardin juntou-se depois à Dupuis Éditions, uma das mais antigas e maiores editoras de banda desenhada europeia, em 2004. Dujardin gosta de publicar diferentes tipos de livros: graphic novels (Marzi, jolies Tenebres …), sagas de aventura (Millenium, Orbital) ou comédia (Venda Bete, disquette). É também grande entusiasta de experiências com meios digitais (Spirou.Z app, Les Autres Gens, Wormworld Saga online comics).
.

OUTRAS ATIVIDADES

DEMONSTRAÇÃO WACOM COM O CARTOONISTA KING ARTHUS
Expositor FNAC – Dias 4 e 5 de dezembro
Eleve suas habilidades a um novo patamar e solte sua criatividade com as mesas digitalizadoras da Wacom em demonstração pelo cartoonista Artur Ferreira a.k.a. King Arthus.
.
.
.


AFTER PARTY COMIC CON PORTUGAL NO ESKADA PORTO
O Eskada Porto recebe a after party oficial da Comic Con Portugal. A Legião 501 vai estar presente em força, numa noite em que a animação fica a cargo do Grupo Spirit e em que os DJ’s de serviço serão Quimbé e Rubim. Os visitantes do evento não pagam entrada, mediante apresentação do bilhete. Outra forma de entrar gratuitamente é vestir a pele do personagem favorito, ou seja, entrar na onda do Cosplay. Espera-se uma noite de muita diversão e espírito de Cultura Pop.
Segundo o que consta no anúncio, estará presente no After Party o(s) autor(es) das BD 100 Balas e Wonder Woman.
.
ADAPTAÇÂO CINEMATOGRÁFICA DE BD

Anacleto: Agente Secreto. O filme baseia-se na banda desenhada espanhola homónima criada por Manuel Vázquez Gallego em 1964 para as revistas da Editorial Bruguera. Anacleto é um agente secreto como nenhum outro nos dias de hoje, um profissional à moda antiga com um passado glorioso. Ele dedicou os seus melhores anos a servir a GP, uma agência secreta que ficou gravemente afetada com a crise económica. Como se não bastasse lidar com os cortes de orçamento para as missões, o seu eterno rival, O Malvado Vázquez, escapa da prisão onde foi colocado pelo próprio Anacleto, ameaçando vingar-se. A Anacleto não resta outro remédio do que se por em ação para proteger o seu filho Adolfo, um trintão pateta que acredita que o seu pai ganha a vida a produzir enchidos, até ser encontrado pelo inimigo. Chega então esta missão, muito mais difícil do que aquelas a que está habituado, pois está treinado para sobreviver a todo o tipo de situações, mas a relação entre pai e filho não é de todo a sua melhor área! A Comic Con dedica um painel Painel ao filme, com a presença do realizador Javier Ruiz Caldera.


Javier Ruiz Caldera, realizador do filme “Anacleto: Agente Secreto”, com estreia a 10 de dezembro nas salas nacionais, estará presente numa sessão especial do filme na Comic Con Portugal 2015, no dia 4 de Dezembro. Javier graduou-se na ESCAC (Escuela Superior de Cine y Audiovisuales de Cataluña) no ano 2000 e, logo em 2001 escreve e dirige a curta-metragem Treitum galardoada com mais de 60 prémios nacionais e internacionais. No ano 2009 dirige a sua primeira longa-metragem Spanish Movie com 2 nomeações aos prémios Goya. Spanish Movie permaneceu durante 2 semanas como n.º1 em termos de box office. Em 2011 estreou a sua segunda longa-metragem Promoción Fantasma galardoada como Melhor Filme e Prémio do Público no Festival de Cinema Fantástico de Bruxelas (BIFFF 2012) e ainda de Melhor Filme no Festival de Cinema do Panamá. Em 2013 estreia Tres Bodas de Más, que veio a ser o filme espanhol com maior box office nesse ano. Tres Bodas de Más foi nomeado a 7 prémios Goya e com ele, Javier ganha pelo segundo ano consecutivo o prémio de Melhor Filme no Festival de Cinema do Panamá e ainda o Prémio Feroz para Melhor Comédia de 2013 concedido pela crítica especializada.

OUTRAS PRESENÇAS ANUNCIADAS POR EDITORAS E AFINS
– Christine Meyer (info: G. Floy)
– Filipe Andrade (info: Levoir)
– Nuno Plati (info: Levoir)
– Derradé (info: Polvo)
– Pedro Morais (info: Polvo)
– Penim Loureiro (info: Polvo)

PROGRAMA GERAL
Ver aqui.

NOVA PLANTA DO EVENTO (COLORIDA)
Ver aqui.

EXPOSITORES

Na área dos expositores da Comic Con Portugal, podem ser encontradas marcas das mais diversas áreas que o evento abrange. Desde lojas de artigos colecionáveis, gaming, livrarias, edições especiais e produtos exclusivos, tudo pode ser encontrado na zona dos expositores.

Encontrará BD nos seguintes expositores:

COMIC CON PORTUGAL 2015
4 a 6 de DEZEMBRO de 2015

EXPONOR – Feira Internacional do Porto
Av. Dr. António Macedo, 574 – Leça da Palmeira
4454-515 Matosinhos – Portugal

nota: imagem da autoria de Juan Cavia

Outras Leituras