Pela primeira vez, encontram-se compiladas num único volume as 4 obras de Álvaro Magalhães passadas na Mata dos Medos, precisamente sob o título A Mata dos Medos. Tratam-se de quatro fábulas que narram a saga de cinco animais que habitam nessa mata, inicialmente publicadas com os títulos:
Contos da Mata dos Medos (desta feita denominada “Primeiro Conto da Mata dos Medos”)
A Criatura Medonha – Novos Contos da Mata dos Medos
Um Problema Muito Enorme – Novíssimos Contos da Mata dos Medos
O Lugar Desconhecido – Últimos Contos da Mata dos Medos

Constando da listagem de livros recomendados para o 4.º ano de escolaridade do Plano Nacional de Leitura (o primeiro destinado a leitura orientada na sala de aula e os 3 seguintes a leitura autónoma), a edição da Asa aposta na transição dos leitores do livro infantil para o juvenil, mantendo um tamanho de letra generoso, mas reduzindo as ilustrações do miolo às separatas entre os tomos originais e à reprodução a preto e branco.

Estas ilustrações inéditas, bem como as da capa e da contracapa, são da autoria de Sebastião Peixoto. Se na capa é possível vislumbrar alguns dos traços e tons que habitam a obra de Peixoto, a contracapa já torna este reconhecimento mais difícil. São, no entanto, imponentes os tons de verde nela aplicados, que se revertem num único tom negro na separata de “A Criatura Medonha”, a recordar as sombras chinesas.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Quanto às 4 obras aqui reunidas do prolífico Álvaro Magalhães, poderão atingir transversalmente os diferentes grupos etários, entre as suas mensagens ambientais e as referências literárias, entre a reflexão sobre a linguagem e a questão da morte, entre a magia do lugar e a nostalgia da infância, entre a poesia e o humor.

Eis a sinopse da editora:
Quando um Ouriço se põe de barriga para o ar, a ouriçar, e canta

Não fazer nada,
não ir a lado nenhum,
não pensar nisso sequer,
que bom que é. Olarilolé!,

já sabemos que uma bela história, cheia de peripécias inesperadas e divertidas, vai começar.
Poético, sensível e com doses generosas de humor, A Mata dos Medos reeduca-nos para a grandeza da simplicidade e lembra-nos de que já não sabemos olhar e ver (e sentir) o mundo.
Adequado a leitores de todas as idades, sem exceção, este é um desses raros livros que nos mostram que não há literatura infantil ou juvenil, só literatura.

Número de Páginas:336
Dimensões: 21.5 x 2.0 x 14.0 mm
ISBN: 9789892333168
Editora: ASA