torreEntre os finais de 2014 e durante o ano de 2015 desenvolveu-se um conjunto de iniciativas no âmbito da celebração dos 500 anos do início da construção da Torre de Belém (1514). Classificado como Património Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) desde 1983, a construção deste monumento ficaria concluída em 1520, sendo atualmente um dos ícones visuais internacionais não só de Lisboa mas de Portugal.

Alexandre Honrado escreveu A Minha Torre de Belém aos 500 Anos, um livro infanto-juvenil ilustrado por Susana Matos e editado pela Verbo. Ao longo do livro, acompanha-se a descoberta da Torre de Belém por Pedro Calhau Pedregulho, colecionador de pedras, pedregulhos e calhaus, após a visualizar num postal. Ao longo da sua demanda em encontrar a Torre de Belém, encontra Francisco de Arruda, o arquiteto responsável pelo seu traçado, sendo ele quem lhe apresenta a Torre e conta um pouco da sua história.

Coube a Susana Matos ilustrar este conto mágico, no qual o presente se encontra com o passado. Em página única ou dupla – e, inclusivamente, quádrupla nas folhas centrais -, a ilustradora recorre a um traço fino, acompanhado por vezes de colagem fotográfica, e a uma aplicação de cor por vezes quase omnipresente, outras vezes quase ausente, num magnífico jogos de contrastes, que certamente delicia o olhar dos leitores de todas as idades.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:
E se de repente um colecionador de pedras – que é coisa rara e pouco vista – descobrisse um monumento importante – classificado até como Património Mundial – e quisesse tirá-lo do lugar onde se encontra, desmontando-o pedra a pedra, para o trazer à sua coleção? Foi essa a vontade de Pedro Calhau Pedregulho, orgulhoso colecionador de pedras, pedrinhas, seixos, rebos, rochedos, fragas, penedos, burgaus, penhascos, rochas, cascalho – e também de pedregulhos e calhaus. O que aconteceu depois é o que conta a história do Alexandre Honrado e as ilustrações da Susana Matos, que dão a descobrir um dos mais importantes monumentos do Mundo: a Torre de Belém, uma velhinha moderna que acaba de completar 500 anos de existência.

ALEXANDRE HONRADO, nascido em Lisboa, no dia do Terramoto que assolou esta cidade em 1755, mas duzentos e cinco anos depois, Alexandre Honrado viu a luz do dia pela primeira vez na Maternidade Alfredo da Costa, a mesma que lhe atribuiu muito depois um prémio literário, pelo livro História Dentro de uma Garrafa. Aliás, em material de Prémios, acaba de receber o Prémio Cidade de Almada/Maria Rosa Colaço, pelo título Todos por um Risquinho. Um outro título, Palhincócegas, foi considerado um dos melhores títulos do Mundo para crianças (por um grupo de críticos reunidos a partir da Biblioteca Nacional de Paris). Escritor – publicado de Portugal à Coreia do Sul -, Alexandre Honrado, que é também jornalista – actualmente na Rádio e na Televisão – e realizador de TV, consegue manter a sua paixão e vontade de investigar na área da História, estando a desenvolver temas ligados à História da Cultura. É o coordenador do Núcleo de Investigação sobre Temas do Humanismo, Paz e Conflito Nelson Mandela.

SUSANA MATOS nasceu em Lisboa em 1976. Em 1998 completou o curso de Professores de Educação Visual e Tecnológica na Escola Superior de Educação de Santarém e, em 2004, o Curso de Artes Plásticas na Escola Superior de Arte e Design, em Caldas da Rainha. Leciona Educação Visual e Educação Tecnológica no 2.º Ciclo do Ensino Básico e dedica-se em simultâneo à ilustração. Foi galardoada com o Prémio Melhor Ilustração Original 2012 do Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo. Vive e trabalha em Lisboa.

A Minha Primeira Torre de Belém aos 500 Anos
Alexandre Honrado (texto) & Susana Matos (ilustrações)
Editora: Verbo
Páginas: 56
Formato: 225 x 295 mm
ISBN: 9789722231640
PVP: 15,80€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.