Após três primeiras incursões, prosseguimos hoje com a construção da Leitura Recomendada, a segunda versão da bedeteca ideal do site especializado em BD e livros ilustrados bandasdesenhadas.com. Desta biblioteca imaginária constam secções dedicadas às edições de banda desenhada de países de língua portuguesa e edições de banda desenhada de países de língua estrangeira, bem como uma terceira secção dedicada aos livros ilustrados.

bandasdesenhadas.com

Relembra-se que, dado se ter realizado um vero reinício, ao invés de um upgrade, regressou-se a uma fase inicial, repleta de obras obrigatórias em falta, o que não deve ser preocupante, uma vez que, com as novas entradas que forem ocorrendo, será pacientemente construída e focalizada não nas omissões mas no que consta da mesma, pois da abrangência se encarregará o tempo.

Ao invés de atualizações invisíveis duma simples listagem que, com o passar do tempo, se torna de dimensões consideráveis, este novo modelo destaca cada uma das obras que a passam a integrar. Convidamos também os nossos visitantes a manifestarem-se nos comentários destes artigos sobre cada uma das leituras recomendadas.

Ao longo do mês de março, serão realizadas 5 atualizações da lista, com 12 obras em cada uma delas, sendo esta a quarta delas. Parece-nos importante sublinhar que não se pretende que tais obras sejam consideradas as 60 obras fulcrais. Trata-se somente de um início possível para as recomendações, que tem parcialmente em conta obras recentemente lidas e outras que já constavam da primeira versão da nossa bedeteca ideal, bandas desenhadas facilmente encontradas no mercado livreiro e outras de obtenção mais difícil mas cuja leitura se deve manter viva, e publicações quer em edição nacional quer em edição estrangeira… E, tal como na versão anterior, há um capítulo separado dedicado ao livro ilustrado.

Os editores interessados na utilização do logo Leitura Recomendada nas suas publicações, poderão verificar os procedimentos aqui.

BEDETECA (PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA)

cocina portada.fh11Título: Na Cozinha da Noite
Autor:
 Maurice Sendak
Editora: Kalandraka, 2014
Apresentação: 48 páginas | cores | capa dura
Língua: português
Faixa etária alvo: crianças, adolescentes e adultos
Descrição: Rezam as lendas que quando Sendak tinha 11 anos, na Feira de Nova Iorque, maravilhou-se frente à montra da pastelaria Sunshine Bakers, cujo lema era “nós forneamos para ti enquanto dormes” e que este livro seria uma resposta a essa recordação de infância, numa altura em que, em plena vida adulta, já teria idade para ficar acordado durante a noite e saber o que se passa “na cozinha da noite”. Trata-se de uma viagem à memória emocional da infância. Neste livro de banda desenhada, Sendak faz a devida homenagem a Little Nemo de Winsor McCay, numa narrativa igualmente onírica e repleta de referências à cultura popular, como a presença de Oliver Hardy (famoso pela personagem Bucha do duo Bucha e Estica), transformado não num mas em três padeiros da noite. Maurice Sendak refere-se a Little Nemo como «um catálogo de pesadelos, uma profusão de imagens extremamente fantasiosas apresentadas através de uma definição tão explícita que o sonho é capturado em toda a sua exatidão surrealista». Na Cozinha da Noite, explora não só a temática de Little Nemo como também o grafismo do mesmo, não só na ilustração mas também nas técnicas utilizadas por McCay, como a disposição da grelha, fazendo o leitor se olvidar das limitações que os 215 mm de altura do presente livro impõem (ao invés dos cerca de 560 mm de Nemo no formato standard ou broadsheet de então). Apesar dos prémios recebidos (Caldecott Honor Book, New York Times Outstanding Book of the Year, School Library Journal Best Book, New York Times Best Illustrated Book, American Library Association Notable Children’s Book, Library of Congress Children’s Book, Brooklyn Art Books for Children, Carey-Thomas Award – Honor Citation), Na Cozinha da Noite foi na altura censurada em bibliotecas públicas e escolares norte-americanas devido ao menino protagonista da história ser representado nu em algumas das suas páginas.
Nota: Foi publicado originalmente nos EUA pela Harper & Row em 1971. Viria posteriormente a ser enquadrada numa loose trilogy baseada no desenvolvimento psicológico, constituída por Na Cozinha da Noite (1 a 3 anos), Onde Vivem os Monstros (4 a 6 anos)  e O que Está Lá Fora (7 a 10 anos), onde estão espelhados os medos primários das crianças e como elas aprendem a lidar com os seus sentimentos
Mais informação: ler aqui.

funhomeTítulo: Fun Home – Uma Tragicomédia Familiar
Autor:
 Alison Bechdel
Editora: Contraponto/Bertrand, 2012
Apresentação: 240 páginas | preto e branco | capa mole
Língua: português
Faixa etária alvo: adultos
Descrição: Neste registo autobiográfico, a autora propõe-se a descobrir quem realmente foi o seu pai e que implicações isso tem na sua autodescoberta. A simplicidade aparente da narrativa permite uma imersão imediata numa rede complexa de relações e acontecimentos, dimensionados física e psicologicamente, nas quais a escrita, literatura, diálogo, silêncio, aproximação, isolamento, descoberta, sexo ou morte se vão sucedendo. Afinal, esta é a vida segundo Bechdel… O título é um trocadilho com o negócio familiar, uma agência funerária (funerary home); este trocadilho ganha um duplo significado ao longo da narrativa, não só por as agências funerárias não serem locais divertidos, mas por a infância de Alison também não o ter sido. Através desta obra, a autora exorciza os seus fantasmas, nomeadamente o mistério que rodeia a morte do seu pai e as dificuldades que teve em assumir a sua homossexualidade. Foi considerada pela Entertainment Weekly como o melhor livro de não-ficção do ano e pela Time como o melhor livro de 2006. The Guardian incluiu-o na sua lista de 1000 romances que todos devem ler. A obra foi galardoada com o GLAAD Media Award para a Melhor Banda Desenhada, o Stonewall Book Award para Não-Ficção, o Publishing Triangle-Judy Grahn Nonfiction Award, o Lambda Literary Award na categoria “Lesbian Memoir and Biography”, o Eisner Award for Best Reality-Based Work e o Prémio para Melhor Álbum de Autor Estrangeiro no 24.º Amadora BD.
Nota: Esta obra foi inicialmente publicada nos EUA pela Houghton Mifflin Harcourt em 2006. A obra foi adaptada a um musical, tendo a produção off-Broadway sido galardoada com 3 prémios e a posterior produção da Broadway vencido 5 Tony Awards em 2015, incluindo o de melhor musical.
Mais informação: ler aqui.

Capa Morro_FavelaTítulo: Morro da Favela
Autor: André Diniz
Editora: Polvo, 2013
Apresentação: 128 páginas | preto e branco + cores | capa mole com badanas
Língua: português
Faixa etária alvo: adolescentes e adultos
Descrição: Morro da Favela retrata as memórias do fotógrafo Maurício Hora, gerado e criado no Morro da Providência (Rio de Janeiro), também conhecido como Morro da Favela, a primeira favela brasileira, nascida em 1897. É uma narrativa necessária para se entender o dia a dia das favelas do Rio através do ponto de vista de um morador, que procurou na fotografia a sua identidade e acabou por realizar um registo que entrou para a história da cultura carioca. Recorrendo a uma narrativa linear e ao contraste do preto e branco, a arte de André Diniz surpreendentemente mantém a acessibilidade a vários tipos de leitores, não afastando os que não se interessam por personagens demasiado estilizados. A BD foi galardoada com o Troféu de Melhor Edição Especial Brasileira e Melhor Roteirista Brasileiro nos 24.º Troféus HQ Mix.
Nota: A obra foi originalmente publicada no Brasil pela Barba Negra/Leya Brasil em 2011. A edição portuguesa, publicada em fevereiro de 2013, teve direito a cinco novidades relativas à edição original, como uma capa distinta, um prefácio onde o autor relata um curioso episódio com Paulo Monteiro e sete ilustrações de autores brasileiros com base na obra, nomeadamente José Aguiar, Will, Marcelo Costa, Pablo Mayer, Magno Costa, Ricardo Manhaes e Laudo Ferreira. A versão editada em Portugal tem também algumas nnovas ilustrações na própria BD e o texto foi revisto e acrescentado.
Mais informação: ler aqui.

danca_capaTítulo: Dança
Autor:
 João Fazenda
Editora: Pato Lógico 2014
Apresentação: 32 páginas | cores | capa dura
Língua: português
Faixa etária alvo: adolescentes e adultos
Descrição: Ele quer dançar, mas o corpo não obedece; ela é leve e balança. Ele é contido e rectilíneo; ela é descontraída e voa com ritmo. Ele vive num mundo ortogonal, pesado e previsível, até descobrir que há pesos que devem ficar para trás. Fazenda cria um poema visual, no qual a forma de cada ser humano e objeto representado não é acidental. A obra é dedicada não só às relações interpessoais mas também às normas que a sociedade impõe, com os horários laborais, o stress e o cansaço a não permitirem voos dançantes.
Nota: Esta obra integra a série Imagens que Contam da Pato Lógico, sendo característica pela ausência de texto e o título só ser composto por uma única palavra.
Mais informação: ler aqui.

Título: Mundos em Segunda Mão (volume 1+2)
Autor:
 Aleksandar Zograf
Editora: MMMNNNRRRG, 2011+2015
Apresentação: 68 + 68 páginas | cores | capa mole
Língua: português
Faixa etária alvo: adolescentes e adultos
Descrição: Esta antologia reúne um conjunto de BD-crónicas do sérvio Aleksandar Zograf, um autor que tem a capacidade de imergir os leitores nas suas narrativas com tanto interesse nas entrevistas que realiza a músicos ou autores de banda desenhada (p.e., Will Eisner), como nas suas crónicas de viagem ou a sua descoberta e/ou interpretação visual de objetos ou textos obscuros encontrados em feiras ou alfarrabistas, provas existenciais de mundos e culturas desconhecidos.
Nota:
 As BD-crónicas compiladas nesta obra iniciaram a sua publicação, no formato de 2 páginas, no semanário sérvio Vreme em 2003.
Mais informação: ler aqui.

heroslitTítulo: Heróis da Literatura Portuguesa
Autores:
 Daniel Lopes & João Chambel
Editora: Íman, 2002
Apresentação: 126 páginas | duas cores | capa mole
Língua: português
Faixa etária alvo: adolescentes e adultos
Descrição: Obra onde se evoca em banda desenhada a memória coletiva de seis insignes figuras da literatura nacional – Álvaro do Carvalhal (1844-1868), Teixeira de Pascoaes (1877-1952), Fernando Pessoa (1888-1935), Mário de Sá-Carneiro (1890-1916), António Ferro (1895-1956) e Mário Cesariny (1923-2006) – para experimentar narrativas visuais com tais ícones, ao invés de transposições dos seus trabalhos para a BD, com Daniel Lopes (argumento) e João Chambel (ilustração) a realizar um dos tributos mais singulares da banda desenhada a autores da literatura portuguesa do século XIX e XX.
Nota: Edição incluída na série Livros de Oz da editora.

mdc23Título: Mesinha de Cabeceira #23: Inverno
Autores:
João Chambel, Daniel Lopes, Sílvia Rodrigues, Afonso Ferreira, Rafael Gouveia, Sara Gomes & André Coelho, José Smith Vargas, Bruno Borges, João Maio Pinto, Silas , Stevz, Martin López Lam, Lucas Almeida, Dice Industries, Uganda Lebre, Filipe Abranches, Tea Tauriainen, João Fazenda e Zé Burnay
Editora: Chili Com Carne, 2012
Apresentação: 352 páginas | preto e branco | capa mole
Língua: inglês
Faixa etária alvo: adultos
Descrição: Trata-se de uma antologia de autores, maioritariamente portugueses, num número comemorativo dos 20 anos de Mesinha de Cabeceira. Editada por Marcos Farrajota, esta obra conta com um elevado número de autores e bandas desenhadas curtas, as quais apresentam um conjunto feliz de trabalhos quanto à sua solidez.
Nota: Mesinha de Cabeceira é um zine criado em 1992 por Pedro Brito e Marcos Farrajota. Ao longo dos anos foi conhecendo diversos formatos e temáticas, sendo os números mais recentes publicados pela Chili Com Carne.

Título: Carl Barks 1952-1959 (4 volumes: Obras-Primas da BD Disney  #3, 5, 7 & 9)
Autor:
 Carl Barks
Editora: Edimpresa, 2004-2006
Apresentação: 276 + 192 + 272 + 288 páginas | cores | revistas com lombada retangulares
Língua: português
Faixa etária alvo: crianças, adolescentes e adultos
Descrição: Embora existam várias centenas de bandas desenhadas de Carl Barks publicadas nas revistas Disney portuguesas, poucos foram os volumes dedicados ao autor que criou a cidade de Patópolis, bem como os personagens Tio Patinhas, Prof. Pardal, Gastão ou Irmãos Metralha, entre muitos outros. Apesar de existirem séries estrageiras integrais dedicadas exclusivamente à sua obra em banda desenhada elaborada na Disney, em Portugal a Edimpresa publicou somente 4 volumes cronológicos que se centram na obra produzida entre 1952 e 1959, com alguns textos de apoio. Nos mesmos, é possível apreciar os argumentos e desenhos do principal autor de BD Disney.
Nota: Estes volumes correspondem aos #3, 5, 7 & 9 da série Obras-Primas da BD Disney da editora.

BEDETECA (PAÍSES DE LÍNGUA ESTRANGEIRA)

complete-absolute-sandmanTítulo: Sandman (The Absolute [vol. I-V + Death]
Autores: Neil Gaiman et al.
Editora: Vertigo/DC Comics, 2006-2011 (EUA)
Apresentação: 612 + 616 + 616 + 608 + 520 + 360 páginas | cores | volumes em capa dura com 6 caixas arquivadoras
Língua: inglês
Faixa etária alvo: adolescentes e adultos
Descrição: Sandman é a história de Sonho dos Eternos, Senhor do mundo dos sonhos, também conhecido por Morfeu e outros nomes. Esta BD, um clássico moderno do herói trágico, foi-se tornando uma obra de culto, mesclando a personificação antropomórfica de entidades metafísicas, mitologia e história com o Universo DC, não só nas séries destinadas a leitores mais maduros, como Swamp Thing e Hellblazer, mas ocasionalmente também nas mais mainstream. Gaiman realizou ainda a ponte entre a sua série e as muito diferentes personagens anteriores da DC que também se denominaram Sandman. Foi uma das poucas bandas desenhadas a figurar na lista de bestsellers da New York Times e uma das 5 BD que constou das 100 melhores leituras entre 1983 e 2008 da Entertainment Weekly. A série original e os seus spin-offs foram galardoados com mais de 26 Eisner Awards.
Nota: Os 75 (e 1 especial) comic books da série The Sandman foram publicados originalmente nos EUA entre janeiro de 1989 e março de 1996 pela DC Comics. A partir do #47, a série passou a ser publicada sob a chancela da Vertigo. Os 75 números, bem como alguns extras, encontram-se nos volumes I a IV. Para os que desejam uma leitura mais abrangente, o vol. V inclui as obras Endless Nights, Dream Hunters (prosa ilustrada e BD) e Midnight Theatre. Por seu lado, o spin-off The Absolute Death reproduz The High Cost of LivingThe Time of Your Life, o panfleto sobre SIDA Death Talks about Life, histórias de Death retiradas de Vertigo: Winter’s Edge #2 e Sandman: Endless Nights, “The Wheel” do livro de tributo ao 9-11, Sandman #8 e #20 e extras da Death Gallery. Em Portugal, entre 2004 e 2006, a Devir publicou 3 álbuns, Prelúdios, Nocturnos e Na Terra dos Sonhos; apesar da série ter ficado incompleta (#1-8; 17-20), a edição nacional, galardoada pelos Troféus Central Comics, terá eventualmente algum apelo devido à tradução de Pedro Moura.

aventurasdeunoficinistajaponesTítulo: Aventuras de un Oficinista Japonés
Autor:
 José Domingo
Editora: Bang, 2011 (Espanha)
Apresentação: 120 páginas | cores | capa dura
Língua: castelhano
Faixa etária alvo: crianças, adolescentes e adultos
Descrição: O autor parte de um certo número de premissas para a elaboração desta banda desenhada: a inexistência de diálogos, a perspetiva isométrica fixa parcialmente inspirada nos videojogos clássicos e o layout fixo de 2×2. Com o humor físico, o slapstick, o tipo de desenho próximo do cartoon e o absurdo a condimentar a narrativa, a BD encontra-se repleta de pormenores que podem ser apreciados graças às generosas dimensões do livro. Esta obra de José Domingo foi  galardoada com o Prémio para o Melhor Autor Espanhol no Salón del Cómic de Barcelona 2012.
Nota: A segunda edição data de 2012.
Mais informação: ler aqui.

ILUSTRAÇÃO

O Menino QuadradinhoTítulo: O Menino Quadradinho
Autor:
 Ziraldo
Editora: Booksmile, 2015
Apresentação: 30 páginas | cores | capa dura
Língua: português
Faixa etária alvo: crianças, adolescentes e adultos
Descrição: Esta obra começa com um formato de banda desenhada para terminar em prosa. A premissa do livro é a de um menino que adora tanto ler banda desenhada que se transporta para dentro das vinhetas, de modo a também ele viver os acontecimentos das suas leituras. Essa é a razão do protagonista se denominar Menino Quadradinho, uma analogia com a BD (ou a sua denominação antiga “histórias aos quadradinhos”). Ao longo das vinhetas, o leitor rapidamente se apercebe pelo teor das onomatopeias constantes das mesmas que as suas revistas de BD preferidas são as de aventuras e fantasia de teor infantojuvenil. Estão representados o Super-Homem, Batman, Spirit, a Turma do Pererê, Horácio, Capitão América, Tarzan, Mickey, Fantasma e o Homem-Aranha, que aqui apresentamos pela ordem cronológica na obra, um testemunho de que durante a infância a leitura do protagonista misturava quase aleatoriamente o subgénero de super-heróis e de outros vigilantes com a BD que se destinava a um público recém-alfabetizado. Seguem-se duas páginas com tons e desenhos mais realistas do menino no espaço, à medida que o Menino Quadradinho vai diversificando os seus interesses dentro e fora da BD, seja o seu interesse pela ficção científica ou as brincadeiras com os amigos e a solo, enquanto explora o mundo além dos livros, sem esquecer a leitura do livro ilustrado O Menino Maluquinho. E, com o crescimento, vem a procura pela prosa não ilustrada. A porção de BD no livro termina e, página a página, as gigantes letras vão diminuindo o seu tamanho num texto corrido sem parágrafos, até chegar a uma última página com um tamanho de letra próximo daquele em que a maioria dos livros de prosa são publicados. Após o final do livro, escreve o autor: Agora que tu, leitor, também chegaste até aqui, estou certo de que me vais dizer: «Espera aí, isto não é um livro para crianças.» E eu responderei: «Não. Não é. Este é um livro como a vida. Só é para crianças no começo.» Este livro de promoção e incentivo à leitura, confere então um papel de relevo à BD, se não como introdução à mesma, como um dos tipos de leitura que facilmente permitiria gerar prazer aos jovens leitores. Quanto ao desaparecimento da BD com o crescimento e com a revelação do prazer na leitura da prosa não ilustrada, não terá de ser mutuamente exclusiva se acompanhada da descoberta de obras de BD próprias para adultos.
Nota: Publicado pela primeira vez no Brasil em 1989 pela Editora Melhoramentos.
Mais informação: ler aqui.

lobosparedesTítulo: Os Lobos nas Paredes
Autores:
 Neil Gaiman & Dave McKean
Editora: Vitamina BD, 2004
Apresentação: 56 páginas | cores | capa dura com sobrecapa
Língua: português
Faixa etária alvo: crianças, adolescentes e adultos
Descrição: Rezam as lendas que Neil Gaiman inspirou-se num pesadelo que a sua filha Maddy teve aos 4 anos de idade, no qual exisitam lobos nas paredes. No livro, apesar de Lucy, a protagonista, ouvir os lobos nas paredes da sua casa, a família não acredite nela até ao momento em que os lobos começam a sair das paredes. Dave McKean socorre-se de diversas técnicas para atingir os efeitos pretendidos, incluindo a fotografia, imagens criadas em computador e o desenho. Foi galardoado com o  New York Times Best Illustrated Children’s Book (2003), o IRA/CBC Children’s Choice (2004) e o British Science Fiction Association Award for Short Fiction (2003).
Nota: Foi publicado originalmente nos EUA em agosto de 2003 pela HarperCollins. Em 2006, foi adaptado a um musical infantil no Reino Unido.

A mais recente versão da listagem Leitura Recomendada para consulta pode ser obtida aqui. Regressamos para a semana com mais 12 recomendações de leitura.