cuto_capaA terceira revista da Coleção Banda Desenhada distribuída com a revista Visão é uma reprodução da revista Jornal do Cuto #125, originalmente publicada em 24 de dezembro de 1975, propriedade de Portugal Press e distribuída pela Agência Portuguesa de Revistas.

A reprodução apresenta novamente o formato de 19×26 cm, ligeiramente menor do que o da revista original (aproximadamente, 19×27 cm).

Na presente revista, a BD em destaque é O Planeta da Morte de Flash Gordon, da autoria de Dan Barry, tendo direito a uma capa ilustrada por Carlos Alberto Santos. Com 24 páginas, reproduz as tiras dominicais originalmente publicadas nos jornais norte-americanos entre 6 de fevereiro e 18 de julho de 1971.

As restantes BD ou são curtas ou encontram-se serializadas nos diferentes números do Jornal do Cuto:
Tarzan de Russ Manning (tira dominical de 23 de julho de 1972, correspondendo à 16.ª parte de A Sacerdotisa de Ho-Dons)
Barney Google & Snuffy Smith de Fred Laswell (tira de 2 de junho de 1972)
Henry de John Liney (tira de 15 de abril de 1972)
O Tesouro de Black Bartlemy de Jesus Blasco (11.ª parte da adaptação do romance de Jeffrey Farnol)
Comic Pik Fumetti de Lluís Giralt (prancha de 8 de fevereiro de 1975, retirada da revista espanhola Chico, “irmã” do Jornal do Cuto)
Educando o Papá (Bringing Up Father) de George McManus (tira de 10 de março de 1960)
Príncipe Valente de Hal Foster (prancha de 17 de dezembro de 1950)
Anita Diminuta de Jesus Blasco (5.ª e última parte de Falta de Cabelo, de 1974)

A revista conta ainda com uma poesia natalícia da autoria de Raul Correia, um artigo/entrevista ao argumentista Elliot Caplin, um artigo do diretor da revista Roussado Pinto sobre os novelistas portugueses das revistas infantojuveis nacionais, bem como uma ilustração de Acredite se Quiser! de Ripley (Ripley’s Believe It or Not!).

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:
Muitas das suas histórias serão uma republicação de outras, que tinham sido apresentadas inicialmente na revista O Mosquito, e por isso houve quem a considerasse uma publicação saudosista. É uma revista de grande qualidade e dois grandes criadores portugueses estiveram ligados à sua produção: Roussado Pinto, como editor, e Carlos Alberto Santos, como desenhador. Seriam publicados 174 números entre 1971 e 1978, num formato A4. Além de personagens antigas que tinham tido sucesso na época do início da sua apresentação, O Mosquito daria também a conhecer trabalhos de desenhadores espanhóis e italianos de craveira internacional. Teria o sucesso de publicar separatas em formato de poster, com a apresentação do nº 1 de uma série de revistas antigas de Banda Desenhada.