novostitasDia 28 chega às bancas nacionais o décimo terceiro volume da coleção Super-Heróis DC da Levoir, distribuída com o jornal Público. Novos Titãs: O contrato de Judas de Marv Wolfman e George Pérez é o terceiro volume desta coleção cuja totalidade do material foi originalmente publicado antes de Crise nas Terras Infinitas.

O volume contém as revistas norte-americanas The New Teen Titans (vol. 1) #28 (fevereiro de 1983), Tales of the Teen Titan #42-44 (maio a julho de 1984) e Tales of the Teen Titans Annual #3 (julho de 1984). Esta saga foi distribuída duas vezes nas bancas nacionais. A primeira ocorreu em 1987 e 1988, com a distribuição das revistas importadas da Abril Os Novos Titãs #10 e #18-20. A segunda vez deu-se com a distribuição da revista da Abril Clássicos DC #2, em 1993.

Trata-se de um volume que a equipa que seleciona as bandas desenhadas para constarem das coleções da Levoir há muito queria ver editada em Portugal mas que não se encontrava disponível em formato digital, pelo que não pôde ser incluída nas coleções anteriores da editora.

Clique nas imagens para as visionar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Slade Wilson, o Exterminador, o mais mortífero dos mercenários, foi contratado pela C.O.L.M.E.I.A., uma organização secreta criminosa, para eliminar os Novos Titãs. Uma missão para a qual o Exterminador conta com a preciosa ajuda de um traidor infiltrado no grupo de jovens heróis chefiados por Robin. Os Titãs vão viver uma das aventuras que os definirá para sempre como grupo de super-heróis. Marv Wolfman e George Pérez têm aqui o ponto mais alto da sua passagem pela revista dos Novos Titãs, nesta saga épica, que se tornou num clássico incontornável da história da DC.
À medida que os sidekicks dos maiores super-heróis do Universo DC continuam a crescer, a amadurecer e a tornarem-se em jovens adultos, as suas batalhas também começam a ganhar maior importância e a resultar em consequências mais dolorosas. Liderados por Asa Nocturna – anteriormente Robin – os Titãs percebem que crescer pode significar o distanciamento uns dos outros, e vão ter de confrontar a ideia de que amizade pode não ser o suficiente para salvar seu grupo de ameaças externas.
Surgidos em 1964 na revista The Brave and the Bold, os Titãs eram compostos pelos parceiros adolescentes dos principais heróis da casa: a primeira encarnação da equipa era uma espécie de “Liga da Justiça júnior”, e era composta por Robin (Dick Grayson), companheiro de Batman desde 1940, Kid Flash (Wally West), sobrinho e parceiro do Flash (na encarnação Barry Allen) e Aqualad, o protegido de Aquaman. O grupo fez a sua primeira aparição com o nome de Teen Titans em The Brave and the Bold #60, já acompanhado da Moça-Maravilha (Donna Troy), a irmã mais nova da Mulher-Maravilha.
A versão original do grupo alcançou um sucesso modesto, mas mesmo assim a série durou cerca de 10 anos, com o lado psicadélico e fantasioso dos primeiros anos a ser moderado pelo olhar mais realista e social que a época impunha. Mas foi em 1980, que uma nova encarnação dos Titãs se tornou num sucesso fulgurante (e inesperado) a todos os níveis, sob o comando do escritor Marv Wolfman e do desenhador George Pérez – o primeiro um argumentista experiente em títulos como Daredevil, The Amazing Spider-Man e principalmente o clássico de terror The Tomb of Dracula, e o segundo a ascender gradualmente à posição de estrela, graças ao seu trabalho em séries como The Avengers.
Em 1980, esta nova equipa criativa relançou o grupo como Os Novos Titãs, apresentando as personagens como jovem adultos. Aos membros originais Robin, Moça-Maravilha e Kid Flash, juntaram-se novas personagens: o Mutano, de pele verde, capaz de se transformar em qualquer animal; o Ciborgue, cujo corpo mutilado foi substituído por próteses metálicas; a Estelar, uma princesa alienígena de pele laranja; e a telepata Ravena, filha de uma humana e de um demónio.
A saga do Contrato de Judas foi uma das mais famosas e relevantes histórias da DC nesses anos 80. Tem muita importância por várias razões: é aqui que se revela a origem secreta do Exterminador, talvez o adversário mais notório dos Titãs (que é também revelado de forma explícita como amante da jovem e controversa adolescente Terra, o que espanta ter passado despercebido e sem maior estrondo num comic de super-heróis da primeira metade dos anos 80). É também aqui que Dick Grayson, o sidekick original da BD, abandona finalmente o uniforme de Robin e adopta o do mais adulto Asa Nocturna, que ainda hoje mantém. E é também aqui que surge Jericó, o filho mudo do Exterminador, que passará também a integrar a equipa de heróis.
Num período em que os comics da DC passavam por uma fase menos boa em termos de popularidade junto dos leitores, e em que as suas histórias e heróis pareciam mais datados e infantis, quando comparados com os da sua principal concorrência, os Novos Titãs transformaram-se num exemplo de como se podiam renovar as histórias de super-heróis, dando-lhes um cunho mais adulto e controverso, sem esquecer as suas origens. Essa renovação viria a ser recompensada com a popularidade tremenda desta revista, que se tornaria lendária. É esta brilhante saga que os leitores portugueses poderão ler finalmente neste volume da colecção.

Novos Titãs: O Contrato de Judas
Marv Wolfman (argumento) e George Pérez (Desenho)
152 páginas a cores, formato comic, capa dura

novostitas_ccnota: imagens cedidas pela editora.