V de Vingança

V de Vingança foi uma das obras que granjeou a Alan Moore a fama de ser o melhor argumentista de banda desenhada de todos os tempos.

Num espaço de 3 meses, a Levoir editará em Portugal 3 obras de banda desenhada inéditas em Portugal que constam do nosso projeto Leitura Recomendada. A primeira é V de Vingança (V for Vendetta), o livro de banda desenhada inaugural da nova coleção Novela Gráfica, distribuída com o jornal Público.

Como escrevemos, aquando da inclusão da obra na nossa bedeteca ideal, V de Vingança de Alan Moore e David Lloyd aborda a perda de liberdade e individualidade num estado totalitário que surgiu na sequência de uma guerra devastadora que alterou o planeta. A narrativa centra-se num anarquista misterioso com uma máscara de Guy Fawkes e a sua jovem protegida, à medida que eles lutam contra os opressores políticos.

Os primeiros episódios foram originalmente publicados a preto e branco na revista britânica Warrior (Quality Communications) entre 1982 e 1985, tendo a revista sido cancelada antes dos últimos episódios serem publicados. Em 1988, a DC publicou a BD no seu selo Vertigo, como uma série colorida de 10 números, incluindo o material publicado na Warrior, os 2 episódios produzidos para a revista britânica que permaneciam inéditos e o novo material. Foi posteriormente compilada em capa mole e dura, em diferentes formatos.

Registe-se que a nível de desenho, a obra contou ainda com a participação, a convite de David Lloyd, do britânico Tony Weare, mais conhecido pela ilustração do western Matt Marriott.

Deste modo, com décadas de atraso, é finalmente editada em Portugal uma obra ímpar em banda desenhada, a qual teve repercussões na cultura popular, não só com a adaptação cinematográfica da obra pelo realizador australiano James McTeigue em 2005, em estreia nessas funções e com guião dos irmãos Wachowski, mas principalmente pela adoção da máscara de Guy Fawkes como um símbolo.

Este grande desfasamento origina que exista já uma considerável diversidade de apresentações com que a obra tem vindo a ser editada internacionalmente, quanto ao tamanho das pranchas, tipo de capa, papel, impressão, colorização, presença de extras e material inédito, etc. Será natural que os leitores de banda desenhada nacionais já conheçam a obra e tenham preferências – não consensuais, obviamente – quanto às características da sua edição preferida. No entanto, o ponto fulcral é que a obra já não é um inédito no nosso país, encontrando-se disponível a um preço convidativo e sendo de fácil acessibilidade física, através dos pontos de venda de periódicos. Por outro lado, sublinhe-se que a tradução para a norma europeia da língua portuguesa por Pedro Moura será certamente uma mais-valia.

Como referimos, para assinalar a edição da obra em Portugal, o ilustrador David Lloyd esteve em Lisboa, em 3 eventos distintos. Apesar do autor já ter estado presente em diversas ocasiões em Portugal, como nos Festivais Internacionais de Banda Desenhada da Amadora e de Beja, desta feita existia obra editada no nosso país.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:
Uma das 10 melhores Novelas Gráficas de sempre. ” O povo não devia ter medo do seu governo, o governo devia ter medo do seu povo.” Distopia futurista na linha do 1984, de George Orwell, V de Vingança imagina uma Inglaterra sob domínio de uma ditadura fascista, com campos de concentração e câmaras de televisão que vigiam todos os movimentos das pessoas. Hoje em dia, a actual omnipresença de câmaras de vigilância e a forma como as comunicações electrónicas são monitorizadas mostram que, neste caso, a realidade ultrapassou a própria ficção.
V de Vingança foi uma das obras que granjeou a Alan Moore a fama de ser o melhor argumentista de banda desenhada de todos os tempos. Inicialmente publicado na revista Warrior, com desenhos de David Lloyd, um dos mais notáveis artistas britânicos da sua geração, V de Vingança foi mais tarde continuado pelos autores no mercado americano e adaptado ao cinema em 2006. A máscara que Lloyd criou para a história acabou por transcendê-la e tornar-se num símbolo de protesto em todo o mundo.
A Inglaterra mergulhou num regime fascista depois de uma catastrófica guerra nuclear, e todos os opositores ao poder instalado foram exterminados. Neste universo, ao mesmo tempo distópico e familiar, V, um revolucionário anarquista, vai encetar uma campanha revolucionária complexa e dramática para deitar abaixo o governo, enquanto inspira uma jovem, Evey Hammond, que se tornará na sua protegida.

V de Vingança

Volumes a publicar na coleção:
2.- Terra de Sonhos – Jiro Taniguchi
3.- Presas Fáceis – Miguelanxo Prado
4.- A Dança das Andorinhas – Morrer, Partir, Regressar – Zeina Abirached
5.- A História de um Rato Mau – Bryan Talbot
6.- A Garagem Hermética – Moebius
7.- Parque Chas – Ricardo Barreiro e Eduardo Risso
8.- Fax de Sarajevo – Joe Kubert
9.- Valentina – Guido Crepax
10.- Daytripper – Fábio Moon e Gabriel Bá
11.- Luna Park – Kevin Baker e Danijel Zezelj
12.- Fogos e Murmúrios – Mattotti e Kramsky
13.- O Inverno do Desenhador – Paco Roca
14.- A Asa Quebrada – António Altarriba e Kim
15.- Os Exércitos do Conquistador – Jean-Claude Gal e Jean-Pierre Dionner

nota: imagens cedidas pela editora.