presasfaceisO terceiro volume da segunda série Novela Gráfica da editora Levoir, distribuído com o jornal Público, tem autoria do galego Miguelanxo Prado. Trata-se da obra mais recente do multipremiado autor.

Presas Fáceis é uma narrativa em torno de uma investigação policial conduzida pela inspetora Olga Tabares e o seu colega Carlos Sotillo, perante várias mortes de pessoas ligadas ao sector bancário. A inspetora encontra-se num conflito moral enquanto averigua quem está por trás dos assassinatos. Nos últimos anos, as democracias modernas preteriram o dever de proteger e defender os seus cidadãos perante a voracidade dos poderes financeiros, rompendo, deste modo, o pacto que garantia a paz social. E quando um acordo é quebrado, a outra parte sente-se enganada, decepcionada e liberta de qualquer compromisso. O risco de que alguém decida fazer justiça pelas próprias mãos é alto e a possibilidade de que tal se encaminhe para uma revolta social não deve subestimar-se…

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:
Nascido na Galiza, Miguelanxo Prado é um dos maiores autores de banda desenhada espanhola. Começa a sua carreira em fanzines galegos em 1979, quando ainda estudava para ser arquitecto. Depois do sucesso dos seus primeiros álbuns em Espanha, Prado atingiria a consagração em 1994, ano em que Traços de Giz, uma das suas obras mais conhecidas, vence vários prémios em França, incluindo o de Angoulême. Detentor de um traço notável, Prado é também considerado como um dos mais originais argumentistas actuais.

Tendo como pano de fundo a crise actual, por entre as indemnizações milionárias a gestores e políticos que levaram um país à falência e o desespero dos cidadãos comuns que sofrem as consequências da fraude bancária, uma sucessão de homicídios de banqueiros lança dois polícias numa investigação que se tornará num verdadeiro thriller. Uma história de vingança que gira à volta dos temas mais recentes: os despejos, a corrupção e a impunidade.

Escreve o historiador Rui Tavares no prefácio: “Dinheiro é tempo e tempo é memória…Na sua enganadora facilidade de história policial está uma das mais acabadas alegorias sobre o nosso tempo que o dinheiro roubou, antes que a memória se acabe.”

AF_NOVELAS_GRAFICAS_2016_ 3

Volumes já publicados na coleção:
1.- V de Vingança – Alan Moore & David Lloyd
2.- Terra de Sonhos – Jiro Taniguchi

Volumes a publicar na coleção:
4.- A Dança das Andorinhas – Morrer, Partir, Regressar – Zeina Abirached
5.- A História de um Rato Mau – Bryan Talbot
6.- A Garagem Hermética – Moebius
7.- Parque Chas – Ricardo Barreiro e Eduardo Risso
8.- Fax de Sarajevo – Joe Kubert
9.- Valentina – Guido Crepax
10.- Daytripper – Fábio Moon e Gabriel Bá
11.- Luna Park – Kevin Baker e Danijel Zezelj
12.- Fogos e Murmúrios – Mattotti e Kramsky
13.- O Inverno do Desenhador – Paco Roca
14.- A Asa Quebrada – António Altarriba e Kim
15.- Os Exércitos do Conquistador – Jean-Claude Gal e Jean-Pierre Dionner

nota: imagens cedidas pela editora.