bandasdesenhadas“Com a BD podemos contar tudo…É preciso ser um desenhador honesto antes de pensar nas vendas”

Na próxima sexta-feira, dia 21 de Outubro, a Levoir e o jornal Público editam mais um livro do conhecido e premiado autor espanhol Paco Roca. Depois de editar O Inverno do Desenhador na colecção Novelas Gráficas 2016 a Levoir volta a apostar em obras do premiado autor espanhol.

O autor esteve recentemente entre nós, no XII Festival Internacional de BD de Beja, e foi entrevistado pelo Bandas Desenhadas.

Em Espanha, A Casa, foi galardoado com o Premio Nacional del Cómic 2015 e mais recentemente, na 16ª Edición de los Premios de la Crítica, da revista Dolmen, com os prémios da Melhor Obra, do Melhor Desenho Nacional e ainda do Melhor Argumentista. Em Itália, recebeu também o prémio do Melhor Autor no festival de Treviso.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

A Casa é uma história de amor filial, uma emocionante homenagem de Paco Roca ao seu pai onde os sentimentos se misturam, dando lugar a uma ponte entre passado e presente.

A história, bem simples, mas contada com a mestria própria de um excelente narrador , conta-nos o regresso dos três irmãos à casa onde cresceram, mas que agora se encontra vazia devido à morte do pai. A Casa tem de ser vendida e em conjunto devem esvaziá-la mas, à medida que começam a fazê-lo encontram objectos que lhes trazem à memória recordações, pequenas situações cómicas, momentos vividos em conjunto com o pai.

A morte do pai e a necessidade de o recordar, homenagear ou até mesmo criticar é um tema já largamente divulgado pela literatura, tanto na clássica, com Kafka, ou em contemporâneos como Paul Auster e John Maxwell Coetzee, entre outros. Na banda desenhada vários são os autores que também o fizeram, entre eles,  Altarriba & Kim em A Arte de Voar ou Jiro Taniguchi em O Diário do Meu Pai. Ambas as obras editadas pela Levoir em 2015 e galardoadas no Festival Amadora BD e na Comic Con.

Em entrevista ao jornal espanhol La Razón, no passado dia 1 de Setembro, Paco Roca afirmou: “Com a BD podemos contar tudo…É preciso ser um desenhador honesto antes de pensar nas vendas”…Gosto da memória como forma de procurar a minha própria identidade: como artista, com o “Inverno do Desenhador“; como sociedade, com ‘Los surcos del azar’; e, como pessoa, escrevendo ‘La casa”.

nota: imagens cedidas pela editora.