Tendo por base a exposição Uppercut, a seleção de cartoons de André Carrilho, elaborados nos últimos dois anos, tem direito a publicação pela Stolen Books.

Entre os cartoons selecionados, encontram-se os que evocam o ataque ao jornal Charlie Hebdo, a morte de Muhammad Ali e os 15 anos após o ataque a Nova Iorque, a 9/11 de 2001.

A publicação apresenta 16 páginas e tem uma tiragem de 150 exemplares numerados e assinados. O miolo foi impresso em risografia, sendo a capa serigrafada.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

O lançamento oficial ocorre no dia 7 de janeiro, sendo acompanhado pela conversa Somos Todos Charlie.

Eis a divulgação da organização:

Mais um murro nos queixos para ver e levar para casa. No dia em que se assinalam dois anos sobre o terrível ataque ao Charlie Hebdo, onde a maior parte da redação foi assassinada, entre eles Cabu, Charb, Wolinski, Tignous e Phillippe Honoré, alguns dos mais talentosos e venerados cartunistas do mundo, o ilustrador, cartunista, animador e caricaturista André Carrilho lança, no dia 7 de Janeiro às 17:00, na galeria do Passevite, o livro Uppercut seguido de uma conversa com os também cartunistas Cristina Sampaio e António Jorge Gonçalves. A conversa “Somos todos Charlie” sobre cartoon e liberdade de expressão será conduzida por João Paulo Cotrim. O livro é uma edição Stolen Books de 150 exemplares numerados e assinados pelo autor. O lançamento do livro e a conversa inserem-se no âmbito da exposição individual Uppercut de André Carrilho, patente ao público no Passevite até dia 12 de Janeiro, de segunda a sábado das 17:00 às 20:00.