Como tínhamos referido, aquando do lançamento nacional da série Star Wars de Jeffrey Brown, o sucesso dos 2 primeiros livros, vencedores do Eisner Award para Melhor Publicação de Humor respetivamente em 2013 e 2014, permitiu a Brown elaborar uma outra série de livros, spin-off desta mas diferente no conceito – em vez da banda desenhada, a prosa está também presente e o formato deixou de ser quadrado -, intitulada nos EUA Jedi Academy.

Após a publicação do terceiro e quarto livros da série supramencionada, a Planeta decidiu publicar também em Portugal a série Star Wars: Academia Jedi de Jeffrey Brown. Refira-se que este spin-off foi sendo editado nos EUA concomitantemente com a série starwarsiana original de Brown, tendo sido publicados 3 livros (Jedi Academy, Return of the Padawan e The Pantom Bully) entre 2013 e 2015, além de um livro de atividades (Attack of the Journal).

Mais curioso ainda foi, com o encerrar da trilogia, o surgimento de um quarto livro em 2016, com uma nova turma de alunos (The New Class) e um novo protagonista (Victor Starspeeder), escrito por um novo autor – Jarrett J. Krosoczka – que, deste modo, deu continuidade ao trabalho de Brown (o quinto livro, The Force Oversleeps, está anunciado para maio de 2017).

Regressando ao primeiro livro da trilogia protagonizada por Roan Novachez, a edição nacional optou por curiosamente inverter o sabre de luz na lombada, colocando o seu punho no limite superior, e não manteve o brilho do logotipo na capa. Numa obra em que a prosa ilustrada e a banda desenhada convivem, outras decisões tiveram de ir sendo tomadas, como a adoção de novas fontes tipográficas para cada uma das várias fontes existentes na obra, o alinhamento do texto próximo do original em cada uma das páginas, etc. Também a nível de tradução, se teve de optar entre que palavras não traduzir (p.e., holobook) ou que neologismos colocar (afinal, trata-se de um livro de ficção científica).

Apesar do livro poder ser apreciado por qualquer idade, em especial pelos fãs de Star Wars, registe-se que o público-alvo desta série é o infantojuvenil. Se a primeira série Star Wars de Brown, podia ser lida quer pelos olhos das crianças, que dos dos seus pais e agradar ainda a um público mais vasto e generalista, leitor habitual ou não de banda desenhada, uma vez que o autor optou maioritariamente por cartoons de leitura rápida e humor imediato, esta centra-se noutro tipo de público.

Com o regresso da popularidade do livro de humor em formato de diário infantojuvenil através da série O Diário de um Banana em 2007, múltiplos foram os autores e editoras que, quer a nível gráfico, quer de conteúdo, tentaram emular tal sucesso, tentando partir de uma premissa que os distinguia dos demais.

Com a série Academia Jedi de Brown, existem várias premissas que lhe conferem a originalidade entre os demais diários de humor ilustrados (e para os defensores da utilização do termo graphic novel, registe-se que muitos destes livros são classificados como tal no mercado anglófono, contenham ou não algumas páginas de banda desenhada no seu interior).

Em primeiro lugar, a série pertence à franchise Star Wars, apesar de obviamente, nenhum dos acontecimentos ser considerado canon. Por outro lado, o diário do protagonista não é só entrecortado por outro tipo de documentos (cartas da Academia, cartas trocadas com familiares, apontamentos, e-mails, horários escolares, etc), mas também por páginas de banda desenhada em tons de cinza.

No que toca à cronologia de Star Wars Legends, o livro acompanha o primeiro ano de Roan Novachez na Academia Jedi, cerca de 196 anos antes do primeiro filme, ou seja, 164 anos antes dos acontecimentos do filme A Ameaça Fantasma. Ro vive em Tatooine e, após terminar a escola primária, está desapontado por não ter sido aceite na Escola de Pilotos. É, no entanto, convidado a frequentar a Academia Jedi no Templo Jedi de Coruscant. Na Academia, descobre que tem o talento natural de utilizar a Força e que irá aprender a dominá-lo com a ajuda de grandes mestres Jedi, como o Yoda ou como o zabrakiano (tal como Darth Maul) perito no uso do sabre de luz Sr. Garfield.

Após esta premissa, o que se segue é uma narrativa típica sobre estudantes, tendo Brown se inspirado nos seus próprios anos escolares. Ro vai-se debater com os trabalhos de casa, aprender a fazer novas amizades numa situação que não lhe é familiar e tentar acompanhar uma turma que já estuda há vários anos todas estas coisas que são novas para si. Ao longo deste primeiro ano, fará amizade com Pasha e Gaiana e terá de lidar com os rufias Cyrus e Cronah, enquanto se esforça por tirar boas notas e se preocupa se alguma vez conseguirá dominar o uso da Força.

Curiosamente, o conceito de uma academia de pilotos espaciais com o protagonista com um poder semelhante à Força de Star Wars, já tinha inspirado Giorgio Pezzin a criar a saga de banda desenhada Crónicas da Fronteira para a Disney no ano 2000, cujos episódios da primeira parte da narrativa se centram precisamente nos anos escolares. Em Portugal, a primeira parte dessa saga foi publicada nas revistas Disney Comix #123, 129, 133, 137, 141 e 145, tendo a segunda parte, já com os personagens na vida adulta, sido publicadas nas revistas Hiper Disney #42 a 45.

Eis o trailer do lançamento norte-americano de Star Wars: Academia Jedi de Jeffrey Brown:

Eis a sinopse da editora:
Academia Jedi conta a história de um rapaz que quer entrar na Escola Preparatória da Academia de Pilotos e não consegue, acabando por ir para a Academia Jedi, dirigida pelo Mestre Yoda. As aventuras e desventuras de um aluno não muito brilhante e algo trapalhão, mas que acaba por ter bom aproveitamento, numa obra que transporta, com humor, o universo Star Wars para uma escola de segundo ciclo.

Star Wars: Academia Jedi
Jeffrey Brown
Editora: Planeta
Páginas: 160
Encadernação: Capa Dura
Dimensões: 14,5 x 21,7 cm
ISBN: 978-989-657-805-3
PVP: 14,39€