Com O Mundo Imaginário de…, Keri Smith continua a trabalhar a interatividade entre livro e leitor. Desta feita, o desafio ao leitor está resumido na contracapa da obra. Em que tipo de mundo gostarias de viver?

Para tal, ao longo de mais de centena e meia de páginas, a autora convida o leitor a seguir os diferentes passos para que no final exista uma criação bastante completa e detalhada q.b. desse mundo utópico. Pode parecer um contrassenso que algo tão pessoal como o mundo imaginário ideal de cada um necessite de ser construído com base nas ideias da autora. No entanto, a própria autora considera a possibilidade do leitor adaptar ou inclusivamente ignorar determinados passos se estes não vão de encontro àquilo que está a tentar criar.

Além de poder ter uma função catalisadora, uma das mais-valias da obra será propor uma miríade de detalhes na construção da utopia, pelo que, sem dúvida, existirão pontos e perspetivas que o leitor ainda não tinha equacionado e que lhe poderão ser úteis.

Se é verdade que um livro no qual se pretende que o leitor escreva tem de ter bastante espaço em branco para permitir a escrita, tal não impede que o mesmo seja ricamente ilustrado. A fotografia é a forma mais frequente ao longo da obra, mas também está presente o desenho. Tal como as dicas e/ou instruções para cada uma das atividades propostas, o seu objetivo é espicaçar a imaginação e exemplificar como se podem materializar ideias.

Outra forma de espicaçar a imaginação são as citações que vão surgindo ao longo do livro, desde Kafka a Tolkien.

Na verdade, a construção de um mundo imaginário não tem necessariamente de ser um mundo utópico. Muitas das atividades propostas pela obra podem também ser utilizadas para criar mundos nos quais ninguém gostaria de viver, com diversos fins, seja pelo próprio exercício da criatividade, seja para utilizar tais mundos como bases minimamente coerentes para serem posteriormente alvo das mais variáveis formas de expressão.

Eis a sinopse da editora:

A mesma criadora dos mega sucessos de venda Destrói este Diário, Isto Não é um Livro e Caos, pede agora aos leitores que querem mudar o mundo para darem asas à imaginação e deixarem fluir a energia criativa que existe dentro de cada um e que muitas vezes fica aprisionada pela correria do dia-a-dia.

Cada página vem com uma proposta diferente e cabe ao leitor interpretar a melhor maneira de executá-la. Pode ser portanto, lido sem uma ordem predeterminada. Abra uma página ao acaso e deixe-se surpreender. 192 páginas de criatividade sem limite!

O acto de criar um mundo é um acto de revolução. Imaginar algo diferente, algo melhor, ou algo mais interessante é levar o mundo existente a um estado de mudança. Alguns dos maiores actos revolucionários do nosso tempo aconteceram porque alguém teve a coragem de imaginar algo novo.

Se é verdade que a imaginação cria a nossa realidade, então podemos ver-nos como alquimistas, capazes de transformar a sociedade e a cultura em geral com as nossas palavras e ideias. Temos o poder de curar uma cultura doente com a «energia mágica» que provém da nossa imaginação. Pela mera documentação das nossas ideias, podemos iniciar o processo de mudança.

Está na hora de começar.

Lembre-se: Tem poderes imensos!

Keri Smith é uma artista canadiana, que vive entre Nova Iorque e o seu país de origem. Autora de vários livros best-sellers e apps sobre criatividade.

Entre os seus livros incluem-se os megassucessos Destrói Este Diário, Isto Não é um Livro, Caos, O Mundo Imaginário de…, Como Ser um Explorador do Mundo, A Sociedade Errante

O principal objecto de trabalho de Keri Smith – que tem dado aulas de educação conceptual em várias universidades – é o conceito de Obra Aberta proposto por Umberto Eco: peças que são completadas pelo leitor/utilizador.

Tem sido convidada para projectos de investigação e arte em Copenhaga e Londres (Olimpíadas Culturais de 2012).

É consultora do Center For Artistic Activism. O seu app Pocket Scavenger venceu o prémio de melhor app de não–ficção para adultos 2014 dos Digital Book Awards.

O Mundo Imaginário de…
Keri Smith
Editora: Planeta
Páginas: 192
Encadernação: Capa mole
Dimensões: 18,5 x 23 cm
ISBN: 978-989-657-865-7

nota: imagens cedidas pela editora.