Logan estreou no passado dia 2 de Março, na sua derradeira representação como Wolverine, Hugh Jackman despede-se com uma nota muita alta naquele que é na minha opinião um dos melhores filmes de super heróis jamais feito. Longe do ambiente clássico dos filmes de super heróis, encontramos um Wolverine destroçado, num ambiente muito intenso até mesmo algo degradante de quem já nada espera deste mundo.

Estamos em 2029, Logan (Hugh Jackman) lida com a destruição dos X-Men. Exausto e em processo de perder os seus poderes, esconde-se na fronteira mexicana enquanto cuida do Professor X (Patrick Stewart) que padece de uma doença cerebral degenerativa que coloca em risco a sua sanidade mental. Mas as tentativas de Logan para se afastar do mundo e do seu próprio legado acabam quando chega a jovem mutante Laura Kinney/X-23 (Dafne Keen), perseguida por forças obscuras.

E finalmente adamantium

Com uma classificação rated R já se esperava um filme violento mas a forma como as cenas de acção são filmadas e os planos que nos são apresentados são excelentes, de forma a termos um Wolverine como ele realmente é, selvagem, brutal e extremamente feroz. Um destaque também para Dafne Keen, a jovem actriz é uma agradável surpresa e é o motor de toda esta trama, com uma representação sólida e com marcantes expressões faciais, quem sabe no futuro teremos um filme da personagem X-23.

Realizado por James Mangold, com uma banda sonora a lembrar os bons road movies de outros tempos, nada melhor que uma balada de Johnny Cash ao longo dos créditos do filme. A música chamada “The Man Comes Around”, resume bem a experiência que presenciamos durante todo o filme. Concluindo um filme para ver e rever, não só por fãs mas por toda a gente que gosta de um bom filme é este é sem dúvida alguma.