Entre 3 de fevereiro e 5 de junho de 2017, está patente na Galeria Principal e Galeria do Piso Inferior do Edifício Sede da Fundação Calouste Gulbenkian a exposição José de Almada Negreiros: Uma Maneira de Ser Moderno, a qual aborda as múltiplas facetas deste artista com mais de quatrocentos obras expostas.

Um dos tópicos abordados é a narrativa gráfica. Entre outros trabalhos que permitem ilustrar este tema, estão expostos desenhos em tinta da China sobre papel pertencentes a 3 histórias publicadas no semanário humorístico Sempre Fixe, jornal pertencente à mesma empresa que detinha o Diário de Notícias, com o qual Almada também colaborava.

As 3 histórias foram publicadas em 1926: Era Uma Vez entre 27 de maio e 15 de julho; O Sonho de Pechalim entre 22 de julho e 2 de setembro; e a inacabada A Menina Serpente entre 16 de setembro e 11 de novembro.

Este mês, com o título Três Histórias Desenhadas, a Assírio & Alvim compila as 3 obras numa edição feita a partir dos desenhos originais que sobreviveram presentes no espólio do artista, sendo completada com os textos e desenhos extraídos da edição de 1926.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

É na década de vinte, em 1926, que Almada publica, no semanário ilustrado «Sempre Fixe», as histórias «Era Uma Vez», «O Sonho de Pechalim» e «A Menina Serpente», que aqui se apresentam com base nos desenhos originais, fora uma ou outra lacuna. Como nos diz Sara Afonso Ferreira, no prefácio a esta edição, «[…] o autor confecciona ao longo dos anos uma série de caderninhos, geralmente em harmónio, por ele manuscritos e ilustrados dedicados ao estudo do número e da geometria. No entanto, ao apresentar desta forma os desenhos destinados à publicação de uma história aos quadradinhos num jornal, sem acompanhar os desenhos originais do texto do seu conto (de que apenas temos a versão do “Sempre Fixe”), Almada sugere a importância das imagens como veículo da narrativa — a segunda história publicada no “Sempre Fixe”, “O Sonho de Pechalim”, apresenta-se, aliás, sem qualquer texto (as legendas deviam ser redigidas pelos pequenos leitores no âmbito de um concurso infantil) — que as histórias podem ser contadas apenas por desenhos, que as histórias podem ser: desenhadas.»

Três Histórias Desenhadas
José de Almada Negreiros
Editora: Assírio & Alvim
Páginas: 200
Encadernação: capa dura
Dimensões: 12,8 x 18,7 cm
ISBN: 9789723719482
PVP: 15,50€