Flávio Luiz foi abordado pela primeira vez no nosso site aquando da 32.ª emissão do programa radiofónico Bandas, na qual se divulgaram as obras publicadas do autor até então.

Tal gerou curiosidade suficiente para a leitura dos 2 livros da série Aú, O Capoeirista,  que se revelaram duas bandas desenhadas do género de aventuras com uma forte inspiração franco-belga e um travo regional baiano que ainda mais valoriza e distingue estas BD das demais aventuras infantojuvenis de Spirou e companhia.

A esta leitura seguiram-se os dois números da revista Jayne Mastodonte Adventures. Idealizada como revista de periodicidade trimestral, os 2 números distam 7 anos entre si, sendo um exemplo da perseverança do autor na edição independente, com tiragens de 2000 e 3000 exemplares, respetivamente. Tendo o primeiro número sido o vencedor do Prémio HQ Mix de Melhor Revista Independente de 1999, o segundo número das aventuras da musculosa Jayne apresentava-se, ao contrário do primeiro, a cores. A enorme versatilidade de Flávio Luiz já é, neste contraste, indiciada, através de uma importante influência norte-americana, sem que tal ofuscasse a originalidade das personagens criadas para estas aventuras.

É esta versatilidade e riqueza de criação de personagens originais que distingue as 2 coletâneas das primeiras tiras – leia-se 3 meses – de Jab, Um Lutador e Rota 66,  as quais se compilam numa única publicação em 1999 em formato flip book. As tiras cómicas, num registo próximo das norte-americanas, concentram-se em situações familiares ao mundo ocidental, situando-se inclusivamente a Rota 66 algures na famosa antiga estrada norte-americana. No entanto, por vezes, o autor enxerta-lhes, de forma salutar, uma visão brasileira, como é, por exemplo, o caso dos assalariados rurais brasileiros em Rota 66.

A temática de Jab, Um Lutador contribui para para que se verifique a a originalidade das personagens numa tira cómica. Jab, um cão antropomorfizado, quer tornar-se campeão de boxe. Isto não o impede de experimentar outros desportos que estejam na moda, pois mais importante do que ser campeão de boxe é vir a ser um campeão de qualquer desporto. Ao longo das tiras, vão-se conhecendo aos poucos, como é habitual nas tiras de BD, as demais personagens que contracenam com o desastrado Jab, como Cassius (treinador de Jab que fez um curso sobre boxe por correspondência), Leonard (o pouco inteligente ajudante de Cassius), Lilica (apaixonada por filosofia, livros e… Jab), Chihuahuanegger (pugilista metade Chihuaha, metade Arnold), Bull King (aspirante a empresário que vê uma oportunidade em Jab – apostar nos seus adversários), George (o dono do bar ao lado da academia de boxe), Harvey (o saco de boxe) ou Speedy (o speed bag).Ttrata-se de um bom exemplo de inspirado humor universal com a dedicação que a produção das tiras diárias exige.

Por sua vez, os protagonistas da Rota 66 são Nat e Jack, respetivamente um cato e a caveira de um bisonte-americano. Uma das premissas originais é a ausência de movimento de Nat (com raras exceções), o que torna a tira geograficamente limitada. Sendo a mítica U.S. Route 66 um local de passagem, esta imobilidade de Nat torna-se um trunfo do autor, permitindo explorar os personagens que por ali passam rapidamente apenas numa tira ou, pelo contrário, dedicar-lhes várias tiras sucessivas. Seja um extraterrestre, tomates com habilidades atléticas de fazer inveja aos Angry Birds (criados anos depois), o Presidente norte-americano, uma versão de Thelma e Louise ou os últimos moicanos, Nat e Jack vão contracenando com um infindável rol de personagens, sempre com o humor presente.

Curiosamente, as tiras de Jab, um Lutador e Rota 66 encontravam-se inéditas até ao momento da sua publicação nesta antologia. Graças à mesma, foi possível ao autor desenvolver Rota 66 no jornal Correio da Bahia durante 4 anos, as quais se encontram inéditas além do jornal.

De seguida apresentam-se imagens de Rota 66, algumas retiradas do livro, em versão colorida ou no original a preto e branco, e outras publicadas no jornal. Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

nota: agradece-se ao autor a oferta do livro.