cabra flavio luizPara além das bandas desenhadas infantojuvenis ou para toda a família de , Jayne Mastodonte, Jab e Rota 66 e dos múltiplos cartoons e caricaturas, o baiano Flávio Luiz é também o criador de bandas desenhadas para outros públicos-alvo. Provavelmente, a mais conhecida é O Cabra, vencedora do Prémio HQ Mix 2011 para Melhor Publicação Independente de Autor.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

N’ O Cabra, novamente com argumento e desenho do autor, com a cor, desta feita, entregue a Artur Fujita, Flávio Luiz concentra na sua obra as influências francófonas e norte-americanas da bande dessinée e dos comics, com um argumento de ficção científica futurista a beber nalguns movies sci-fi made in USA e tramas shakespearianas, mas com uma geolocalização e temática centrada no Brasil.

Flávio Luiz recupera inclusivamente o histórico estilo cangaceiro do nordeste do Brasil, com o seu protagonista a utilizar o chapéu de abas largas dobradas. Quanto à recorrente temática da falta de água no género (o mar virou sertão no ano 3000 e tal), a seca naquela região é também um fenómeno comum.

Não são somente estes 2 pontos que tornam, entre as restantes BD a solo de Flávio Luiz, O Cabra a sua BD mais brasileira. Entre as peixeiras nordestinas, os coronéis ou o forró, muitos são os elementos brasileiros que o autor introduziu na obra, que não serão certamente estranhos aos portugueses, mais que não seja através do contacto com a literatura e telenovelas brasileiras.

Apesar da temática mais adulta, existe ainda espaço para o autor utilizar o humor, como por exemplo em diversos trocadilhos ao longo da obra, sem quebrar o ritmo da narrativa.

O Cabra tem uma grande particularidade no que toca ao desenho. A publicação apresenta-se num formato ligeiramente menor que o A3, possibilitando ao leitor uma apreciação da arte em todo seu esplendor e permitindo cenas e cenários majestosos.

Esta publicação independente com o selo editorial da Papel A2, teve uma tiragem de 2000 exemplares. Apesar de ser um narrativa autocontida, o autor revelou que já se encontra a preparar mais 2 volumes. O segundo volume está na fase de finalização de esboços e o terceiro volume tem terminado o argumento e o esboço do layout.

desenho de Flávio Luiz, cores de Tiago Hoisel

nota: agradece-se ao autor a oferta do livro.