Maio é habitualmente o primeiro mês do ano em que se multiplicam os lançamentos de banda desenhada em Portugal, em especial devido à ocorrência do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, sejam obras totalmente destinadas à distribuição alternativa, sejam as que terão como principal canal de distribuição as livrarias. A este elemento catalisador, adicionaram-se outros, como o Minizinefestpt ou o Iberanime Lx, ou inclusivamente a antecipação da Feira do Livro de Lisboa. Todos estes elementos, em conjunto com o próprio acaso, relevante em mercados de pequenas dimensões, tornaram maio o mês com maior número de publicações em 2017, até ao momento, correspondendo a cerca do dobro do que se tem registado mensalmente.

PUBLICAÇÕES

O Bandas Desenhadas identificou os seguintes números de novidades de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas), segundo o canal de distribuição:
– Pontos de venda de periódicos: 12
– Livrarias: 24
– Distribuição alternativa: 18

Foram ainda identificadas 2 publicações sobre banda desenhada, ambas com distribuição alternativa, sendo uma em formato de caderno e outra de livro.

A nível de formato, as 54 publicações de BD podem ser divididas em:
– Revistas: 1
– Livros: 38
– Outros (brochuras, etc): 14
– Jornais: 1

Das 10 novidades em livro nos pontos de venda de periódicos, a totalidade pertence a séries autolimitadas:
– Associados a jornal: 7
– Não associados a periódico: 3

Destas 54 publicações de BD, 21 são de autores portugueses. As restantes publicações têm como país de origem:
– Argentina: 1
– Brasil: 2
– Espanha: 1
– EUA: 13
– França: 6
– Itália: 2
– Itália + Dinamarca: 1
– Japão: 3
– Reino Unido: 2
– Suíça: 2

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 54 publicações verifica-se a existência de:
– Inéditos mundiais: 19
– Inéditos em Portugal: 27
– Reedições: 7
– Material parcialmente reeditado (e restante inédito): 1
Dos inéditos em Portugal, 3 tinham tido distribuição prévia total ou parcial nos pontos de vendas de periódicos via publicações brasileiras.

Eis as editoras das publicações de BD identificadas:
– Ao Norte: 1
– Arte de Autor: 2
– Asa: 5
– Ave Rara: 1
– Bedeteca de Beja: 1
– Documenta: 2
– Devir: 5
– Escorpião Azul: 2
– G. Floy: 5
– G. Floy + ComicHeart: 1
– Goody: 1
– Jankenpon: 1
– José Pires: 3
– Kingpin: 3
– Levoir: 3
– Libri Impressi: 2
– Oficina Arara + Turbina: 1
– Pepedelrey: 3
– Polvo: 4
– Quarto de Jade: 1
– Salvat: 3
– St. Peter’s International School: 1
– Suspiro Comics: 1
– Turbina: 1
– VMComics: 1

Quanto às editoras da publicação sobre BD identificadas:
– Bedeteca de Beja: 1
– Libri Impressi: 1

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Em maio, identificaram-se 21 publicações portuguesas de BD de autores nacionais.

Inicialmente planeado para 2016, foi este mês que a Asa editou o 9.º volume de Jim Del Monaco de Louro & Simões.

Sofia Neto, galardoada com o Prémio Geraldes Lino no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, foi publicada pela Bedeteca de Beja na Coleção Toupeira.

A Polvo lançou 3 obras de autores portugueses, a saber Álvaro, André Oliveira & João Sequeira e André Pereira. A Escorpião Azul editou uma nova obra de Rafael Sales e publicou a Mitsu pela primeira vez no seu catálogo.

Por outro lado, André Oliveira autoeditou, via a sua chancela Ave Rara, o sexto volume de Living Will, desenhado por Pedro Serpa.

A G. Floy coeditou com a Comic Heart uma antologia de trabalhos de elementos do The Lisbon Studio e convidados, nomeadamente Dileydi Florez, Filipe Andrade, Gonçalo Duarte, Joana Afonso, João Tércio, Marta Teives, Pedro Vieira de Moura e Ricardo Cabral.

A chancela Documenta, como é habitual, publicou Cartoons do Ano 2016, com trabalhos de André Carrilho, António Antunes, António Maia, Augusto Cid, Cristina Sampaio, José Bandeira e Vasco Gargalo, no âmbito do CartoonXira.

A associação Ao Norte publicou uma BD de Francisco Sousa Lobo. A Quarto de Jade editou Nagual de Diniz Conefrey.

Pepeldelrey, após o seu regresso no mês passado à edição de zines de trabalhos seus, prossegue com o género de terror com mais 3 zines: Suor, Gritos e Migalhas.

A Turbina coeditou com a Oficina Arara A Abolição do Trabalho de Bruno Borges e editou ainda Memória da Crise, da autoria de Daniel Casal, Jorge Marmelo, Ricardo Alves, Elisa Santos, David Pontes e Margarida Mesquita.

Daniela Viçoso, Catarina João, Natália Morais, Jantar Romântico, Midreky e Puré são as autorias do zine de BD de homenagem à série de animação Yuri!!! On Ice.

Por seu turno, André Mateus & Pedro Mendes são os autores de Deiciders #1.

Daniel Maia desenhou ainda a BD com argumento de Sérgio Franclim Super Peter: Family Day.

O coletivo Jankenpon viu o seu jornal homónimo ser distribuído este mês.

Maio revelou-se, deste modo, o mês de 2017 com o maior número e diversidade de propostas nacionais até ao momento, pelo que reforçamos a recomendação de banda desenhada portuguesa aos leitores portugueses (e internacionais). Das 21 obras, 1 teve distribuição nas bancas, enquanto 7 têm distribuição em livrarias e 13 distribuição alternativa.

EVENTOS

Entre as exposições inauguradas nos meses anteriores que persistiriam em mai0 e os eventos decorridos ou inaugurados neste mês, existiram muitas e variadas propostas.

Deste modo, foram realizados ou inaugurados eventos dedicados a um número considerável de autores, com diferentes experiências na área da banda desenhada, entre os quais Francisco Sousa Lobo, Miguel Santos, Vasco Gargalo e Xavier Almeida, conforme noticiámos na nossa agenda.

Entre outros eventos, realizou-se ainda em terras nacionais o XIII Festival Internacional de Banda Desenhada, Iberanime Lx 2017, Minizinefestpt & Free Comic Book Day e uma exposição coletiva dedicada ao Santo António na Banda Desenhada.

AUTORES NACIONAIS PUBLICADOS NOUTROS PAÍSES

Existem alguns autores nacionais que se encontram a trabalhar periodicamente para o mercado norte-americano e a sua ausência num ou noutro mês prende-se frequentemente mais com a calendarização das editoras do que o seu trabalho contínuo para aquele mercado. Outros há em que a edição noutro país é um evento excecional. De qualquer modo, esta listagem não tem por fim uma análise estatística, mas sim uma aglomeração de informação dispersa pelo nosso site, disposta de uma forma simples, para futura referência.

Eis os autores que identificámos, dispostos alfabeticamente, com publicações de banda desenhada noutros países, durante o mês de maio:
– Amanda Baeza (mini kuš! 13: Our Library, kuš!, Letónia – autoria completa; 2.ª edição, revista pela autora)
– André Lima Araújo (The Wicked + The Divine: 455 AD, Image, EUA – desenho e arte-final)
– André Oliveira & João Sequeira (Burza, Timof, Polónia – autoria completa)
– Bruno Borges (Stripburger #69, Stripburger, Eslovénia – autoria completa de uma BD da publicação)
– Daniel Henriques (Justice League vol. 3 #20 + #21, DC Comics, EUA – arte-final parcial)
– Nuno Duarte & Osvaldo Medina (Cage d’Escalier #4, Cage d’Escalier, França – argumento e desenho de uma BD da publicação)
– Nunsky (Erzsébet, Zarabatana, Brasil – autoria completa)
– Pedro Burgos (Le Collectionneur des Briques – 6 Pieds Sous Terre , França – autoria completa)

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Tal como nos meses anteriores, prosseguiram diversas séries em publicação, seja nas bancas (Asa, Goody, Jankenpon, Levoir e Salvat), seja nas livrarias (Asa, Devir, Documenta, G. Floy, Polvo).

Nos pontos de venda de periódicos, deu-se também o lançamento de uma coleção autolimitada da Levoir, dedicada à Mulher-Maravilha.

Registe-se ainda a publicação da banda desenhada Metrópolis de Francesco Artibani e Paolo Mottura, coincidente com a presença do desenhador e a exposição dedicada à obra no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.

No mercado livreiro, a Arte de Autor inicia a publicação das bandas desenhadas de Corto Maltese, com o primeiro e o mais recente tomo.

Já a Devir inicia mais uma série de manga, Platinum End de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata, enquanto prossegue a Biblioteca de Alice com mais uma obra de Guy Delisle.

Quato à G. Floy publica 2 one-shots. O primeiro, da Marvel, é Cage de Brian Azzarello & Richard Corben. O segundo é A Leoa: Um Retrato Gráfico de Karen Blixen, prosseguindo deste modo a edição de obras de Anne-Caroline Pandolfo & Terkel Risbjerg, também presentes no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.

A Kingpin continua a apostar em obras de autores brasileiros, com a edição de uma BD de Pedro Cobiaco, bem como em BD da editora suíça Paquet, novamente por Tony Sandoval ou os estreantes Renaud Dillies & Grazia La Padula no catálogo da editora portuguesa. Cobiaco e Grazia La Padula marcaram também presença no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.

Por fim, o mais recente volume da coleção Romances Gráficos Brasileiro da Polvo é Mensur de Rafael Coutinho, o qual esteve também presente no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.


IMPORTAÇÃO NAS BANCAS

Para além do mercado editorial de banda desenhada em Portugal, existem outros pontos que são alvo do nosso Observatório. Um deles é a importação de revistas de, com ou sobre banda desenhada distribuídas nas pontos de venda dos periódicos.

Como nota de rodapé, verifica-se que, pela primeira vez em 2017, as revistas brasileiras distribuídas nas bancas não ultrapassam em número a totalidade das publicações nacionais. Tal deve-se não só à diminuição do número de revistas importadas do Brasil (cancelamento da exportação das revistas da Mythos para Portugal e cancelamento dos últimos números das séries em distribuição da Marvel da Panini Brasil, com somente 2 séries novas a serem distribuídas em maio) mas principalmente devido ao maior número de edições de BD publicadas em Portugal. Em maio, foram distribuídas:
– Panini Brasil: 21 títulos

Estes 21 títulos têm como editora original:
– DC (EUA): 6
– Marvel (EUA): 2
– Mauricio de Sousa (Brasil): 13

No que toca às publicações francesas de, com ou sobre BD, foram distribuídas 8 publicações.

nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2017.