Paolo Mottura (n. 1968) nasceu e reside em Pinerolo, uma comuna italiana da cidade metropolitana de Turim, em Piemonte. O seu estúdio situa-se no jardim da sua casa e é um eléctrico de 1911, restaurado por si.

Iniciou em 1989 a sua atividade ininterrupta de desenhar banda desenhada disneyana, a qual tem sido publicada em diversas revistas italianas e reproduzida um pouco por todo o mundo. Já foram publicadas mais de 250 obras disneyanas suas, entre BD, capas e demais ilustrações. No que toca à BD disneyana, além das BD de 1 página, foram publicadas mais de 120 BD desenhadas por si.

Paralelamente, na década de 2000, dedicou-se também à BD franco-belga. A trilogia Carême (2004-2009), escrita por Christophe Bec e publicada por Les Humanoïdes Associés, valeu-lhe inclusivamente o Prémio Albert Uderzo em 2005, como Melhor Novo Talento. Outros trabalhos foram Deus para a Soleil, escrita por Betbeder e Bec, e Redemption, novamente escrita por Bec, para a Dupuis.

Em 2012, foi publicada pela Bonelli uma BD de Dylan Dog desenhada por si na antologia Dylan Dog Color Fest 9 e, em 2014, foi editado o one-shot Eroe Senza Patria em Le Storie #22.

No entanto, a BD disneyana permanece a sua actividade principal, a qual lhe permitiu também realizar trabalhos como a graphic novel do filme Tron Legacy e do videojogo Epic Mickey. Em 1998, foi galardoado com o prémio italiano Mickey de Ouro para a melhor história de 1997. Entre 2010 e 2016, foi agraciado com 4 prémios italianos TopoOscar.

Em Portugal, em dezembro de 2016 foi galardoado com 3 Prémios do Júri dos Prémios BD Disney, promovidos pelo site Bandas Desenhadas, nas categorias Melhor Desenho Contemporâneo e Melhor Homenagem Contemporânea à Literatura, ambos por Moby Dick, e Melhor Homenagem Contemporânea ao Cinema, por Mickey e o Regresso à Dolce Vita. As suas outras obras nomeadas foram Mickey e Pateta: Estrada Fora (homenagem a Pela Estrada Fora de Kerouac) e um cartoon natalício desenhado e pintado por si.

Entre as muitas BD disneyanas desenhadas por Paolo Mottura publicadas em Portugal, destacam-se ainda Metrópolis (homenagem à obra homónima de Lang, com direito a exposição no XIII Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja), Dylan Rat e a Ascensão dos Ratos Chatos (homenagem a Dylan Dog), Run Run Run (da série MMMM: Mickey Mouse Mistery Magazine) e as várias BD em PKNA: As Novas Aventuras de Superpato.

Ao longo dos anos, Paolo Mottura foi construindo um estilo próprio dentro da BD disneyana, facilmente reconhecível, caracterizada pela fluidez, dinâmica, riqueza em detalhes, utilização vigorosa do preto e branco e pontuada ocasionalmente de vinhetas coloridas em negativo. As suas técnicas de colorização têm, inclusivamente, vindo a ganhar um peso crescente nos últimos anos.

Entre as suas influências, Paolo Mottura cita Giorgio Cavazzano, Albert Uderzo e Alberto Breccia.

Com uma carreira que atingirá os 30 anos dentro de um par de anos, os leitores aguardam ansiosos as obras com que Paolo Mottura os virá ainda a presentear.

nota: artigo publicado em Splaft! #13 (Bedeteca de Beja, 2017)