Quando Frank Miller assumiu o comando da revista do Demolidor, em 1979, revolucionou o título.

Esta semana chega às bancas o quadragésimo oitavo volume da Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel, intitulado Demolidor: Renascido, com argumento de Frank Miller e arte de David Mazzucchelli. Este volume reúne os números 227 a 233 de Daredevil.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:
“O Rei do Crime. Um homem pérfido com um império criminoso que seria imparável, não fosse pela contínua interferência de um homem: Matt Murdock, também conhecido como Demolidor. Porém, quando recebe informações que revelam a identidade secreta do herói cego, o Rei do Crime coloca em marcha um plano de vingança que irá destruir completamente o Demolidor e fazer o mundo dele desmoronar.”

Quando Frank Miller assumiu o comando da revista do Demolidor, em 1979, revolucionou o título. Acabou-se o acrobata cheio de piadas com o seu leque colorido de supervilões presunçosos. No seu lugar, surgiria um novo tom mais sombrio, que mostrava um Matt Murdock mais sério, a tentar libertar Hell’s Kitchen e os seus residentes empobrecidos das garras do crime organizado. A sua incursão inicial pelas histórias da personagem foi aclamada pela crítica e transformou Miller numa estrela da banda desenhada, para além de ter salvo a revista de ser cancelada. Quando regressou ao título em 1986 para as sete edições reunidas neste volume, os fãs sabiam que ia ser algo muito especial.

E o primeiro capítulo desta notável saga começa logo com uma revelação chocante relativa ao destino de Karen Page: a inocente e descontraída secretária/ex-namorada de Matt Murdock, que tinha deixado Nova Iorque para tentar carreira como atriz em Hollywood, há mais de dez anos. Uma revelação que não deixará de ser fascinante para os muitos fãs modernos do herói, que o conheceram – e a Karen Page – através da série de TV. Esta pequena cena é o catalisador de uma história que se torna cada vez mais sombria, à medida que Matt Murdock é despojado de tudo o que lhe é querido pelo seu arquirrival, o Rei do Crime.

Todo o tema da saga gira à volta do percurso de redenção que Murdock terá de trilhar para conseguir vencer o seu inimigo, um percurso cheio de referências à inconografia cristã, desenhadas com mão de mestre pelo artista David Mazzucchelli (a cena em que Maggie segura um Matt Murdock prostrado nos braços, que recria a Pietá de Miguel Ângelo, ou a vista de cima do quarto de Matt em que a cama e a parede formam uma cruz). David Mazzucchelli era já, na altura, o desenhador regular da série e muito apreciado pelos leitores, e Frank Miller aceitou que fosse ele a desenhar a história, por falta de tempo para ser ele a desenhá-la, desde que Mazzucchelli desenhasse as páginas a partir de argumentos detalhados que ele lhe mandaria. E o resultado é uma das obras-primas de BD americana, considerada por muitos como uma das melhores histórias de super-heróis jamais contadas (Miller gostou tanto do trabalho de Mazzucchelli que acabou por convidá-lo para co-criar com ele a magistral história do Cavaleiro das Trevas, Batman: Ano Um).

Este volume inclui também um dossier sobre o autor, Frank Miller, e um artigo sobre a personagem e a sua criação nos anos 60 por Stan Lee e Bill Everett.

Volume 48: DEMOLIDOR: RENASCIDO
Argumento de FRANK MILLER e arte de DAVID MAZZUCCHELLI.
192 páginas.

nota: imagens cedidas pela editora.