Após uma página e meia de ilustrações de interatividade e brincadeira entre o protagonista da história e o seu coelho-anão de nome Peúgas, o leitor é confrontado com uma dura resolução. Atendendo a que o seu animal de estimação não consegue ser o companheiro de amigos que idealizava – leia-se, outra criança – o menino decide que ele não pode continuar a ser o seu melhor amigo, pois já não é um bebé, e decide livrar-se dele, abandonando-o na floresta.

Se, por um lado, esta decisão, acompanhada das descrições pouco elogiosas do Peúgas, não tornam certamente o protagonista simpático aos olhos dos leitores, graficamente nenhuma pista é dada quanto a se estar perante uma criança especialmente cruel. Na verdade, ele reconhece que o Peúgas é bonzinho e querido, apesar dos demais defeitos.

O menino está tão convicto que abandonar o coelho na floresta é um sinal de maturidade que presume que as demais pessoas que levam os animais a passear façam o mesmo e até se interroga se será por esse motivo que existem animais na floresta.

É somente quando o abandona e o perde que se apercebe o quanto gosta do Peúgas e realiza todas as demandas possíveis para o encontrar, enquanto a tristeza o invade. E após o recuperar até descobre novas qualidades no seu amigo de sempre…

Uma bonita história sobre o crescimento, a amizade e a redenção, que se inicia com um soquinho no estômago dos jovens leitores.

Eis a sinopse da editora.

Nesta história há um coelho-anão. Chama-se Peúgas e é um verdadeiro zero à esquerda: gordito, molengão e não percebe a diferença entre os cobóis e os índios. Então, o melhor amigo do Peúgas decide ver-se livre dele, e abandona-o na floresta. Mas, afinal, muda de ideias… Uma história de amizade e reencontro, salpicada do humor insólito de Benjamin Chaud.

Benjamin Chaud, premiado autor/ilustrador,estudou desenho e artes decorativas em Paris e Estrasburgo. É internacionalmente reconhecido pelo sentido de humor insólito e pelo detalhe das suas ilustrações em grande formato. Adora as florestas de coníferas dos Altos Alpes, onde passou a infância. Após ter falhado uma carreira como esquiador profissional, estudou na Escola de Artes Decorativas de Estrasburgo, onde se licenciou. Na coleção Orfeu Mini, tem publicados os livros A Cantiga do Urso (Prémio Andersen 2014), As Férias do Pequeno Urso e, juntamente com o autor Davide Cali, os livros Não Fiz os Trabalhos de Casa Porque… e Cheguei Atrasado à Escola Porque…

Adeus, Peúgas
Benjamin Chaud
Editora: Orfeu Negro
Páginas: 40
Formato: 19,4 x 31 cm
Encadernação: capa dura
ISBN: 9789898868039
PVP: 14,00 €