Dia 15 de setembro, chega às bancas o décimo segundo volume da coleção Novelas Gráficas 2017. Trata-se da primeira parte de Os Trilhos do Acaso, da autoria de Paco Roca. Por decisão editorial, a obra foi dividida em 2 partes, sendo a segunda distribuída uma semana depois da primeira, no dia 22 de setembro.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Os Trilhos do Acaso, considerada recentemente uma das 25 jóias da BD pelo suplemento cultural Babelia do jornal espanhol El Pais, foi lançado em 2013. Nesse mesmo ano ganhou o Prémio Zona Comic Melhor Comic Nacional e o Grande Prémio Romics: Roma em 2014. É considerado o Maus espanhol nas palavras do jornalista espanhol Javier Gallego. Em Os Trilhos do Acaso 1, conta-se a emocionante história de um grupo de soldados, na sua maioria espanhóis republicanos exilados em França, que se alistaram na Legião Estrangeira do Exército Francês e que partiram para o Norte de África onde França mantinha ainda algumas colónias, e onde foram incorporados na 2.ª Divisão Blindada do general Philippe Leclerc. Por se tratar na sua maioria de soldados espanhóis rapidamente foi apelidada de La Nueve. A história destes soldados começa com a derrota republicana e o começo do exílio, quando centenas de milhares de espanhóis, muitos deles combatentes republicanos, fogem através dos Pirenéus ou de barco a partir do porto de Alicante. Paco Roca reconstrói a história destes soldados que lutaram com todas as suas forças contra o fascismo na Europa ajudando os franceses na libertação de Paris durante a II Guerra Mundial, através das memórias de Miguel Ruiz, republicano exilado em França. Com prefácio de Pedro Bouça, é uma história apaixonante que retracta as ilusões perdidas de toda uma geração que lutou, dando a vida, por um mundo melhor.

“Nestes dias em que a questão dos refugiados está na ordem do dia, é interessante lembrar outro período em que a Europa também estava cheia de refugiados que ninguém queria, mas que acabariam por se revelar afinal extremamente preciosos para o país que os acolheu.

O ano era 1939, e a República Espanhola tinha acabado de ser derrotada pelos fascistas. Um grande número de soldados republicanos fugiu para França, onde se tornaram refugiados (algo que pode ser visto também na novela gráfica A Arte de Voar, já publicada pela Levoir) e onde acabaram por ter de fazer a ingrata escolha entre serem repatriados para a Espanha fascista, alistarem-se na Legião Estrangeira ou serem condenados aos trabalhos forçados. Mesmo os refugiados modernos não invejariam essas opções…

Foi a primeira unidade a entrar em Paris, participou da invasão da Alemanha e, juntamente com a célebre companhia Easy da 101.ª divisão aerotransportada dos EUA (imortalizada na série de televisão Band of Brothers), ocupou o “Ninho da Águia” de Hitler em Berchtesgaden.” – in Prefácio de Pedro Bouça.

Os Trilhos do Caso, Parte 1 apresenta 224 páginas e o formato de 170 x 240 mm.

nota: imagens cedidas pela editora.