Conforme noticiámos, em julho a Gradiva publicou no nosso país a banda desenhada História do Sexo, da autoria de Philippe Brenot e Laetitia Coryn. Podem ser visualizadas imagens do miolo do livro aqui.

Brenot, o argumentista, é psiquiatra, com estudos na área da antropologia e sendo uma referência em França no que toca à sexologia em geral e à terapia de casal em particular, com inúmeros artigos científicos e obras destinadas a um público mais generalista publicadas.

Tal como o “nosso” Prof. Júlio Machado Vaz, presume-se que Brenot seja um bom comunicador, uma vez que a grande mais-valia desta obra é que condensa a história da sexualidade numa obra de banda desenhada de leitura acessível ao público sem formação na área, através de uma leitura agradável e rápida, apesar da extensa bibliografia citada no final do volume.

À semelhança da série de animação francesa de 1978 Era Uma Vez o Homem (Il était une fois… l’homme, no original), também neste volume o leitor irá encontrar representações ligeiramente diferentes dos mesmos personagens ao longos dos tempos, cujos nomes se vão alterando para estar mais de acordo com cada época retratada. Para além de um rol de figuras históricas conhecidas…

O humor é omnipresente na obra. A técnica utilizada para distinguir a história da sexualidade dos sucessivos gags é herdeira das curtas-metragens de animação e bandas desenhadas popularizadas pela Disney (em especial, do Pateta e do Prof. Ludovico), competindo ao narrador o tom mais sério – mas sem formalismo académico – e às ilustrações de Laetitia Coryn e aos balões dos personagens fazer o leitor sorrir.

Refira-se que, conforme consta do subtítulo português, a obra centra-se na sexualidade ocidental. Após os capítulos dedicados à Pré-História, Babilónia, Egito, Grécia e Roma Antiga, a partir da Idade Média, a narrativa foca-se, com raríssimas exceções, na Europa e, em particular, em França, ou não fosse esse o público-alvo original da obra.

Ao longo do livro, de forma descontraída e bem-humorada são desmistificados várias crenças relativas à sexualidade, providenciando uma visão global da temática que o grande público provavelmente não terá.

A disposição das pranchas de Coryn adotam sobretudo um aspeto clássico franco-belga, recorrendo, inclusivamente, ao cada vez mais ausente cartucho, o que não origina quebras de leitura, graças à fluidez do texto.

A decisão editorial da versão portuguesa ser a preto e branco, de modo a não onerar mais o leitor, em nada prejudica a obra, atendendo ao seu uso tímido e meramente funcional no livro original.

Assim como a especulação do passado é inevitável, apesar de baseada na documentação existente, os autores atrevem-se também a especular o futuro, com bastante humor, à semelhança do filme O Herói do Ano 2000 (Sleeper, no original) de Woody Allen.

Como bónus, os leitores desta obra ficarão com uma rápida visão dos mais diferentes aspetos da Humanidade ao longo da História, uma vez que os mais variadíssimos aspetos da nossa jornada neste planeta têm influenciado o modo como vivemos a nossa intimidade.

História do Sexo
Philippe Brenot & Laetitia Coryn
Editora: Gradiva
Páginas: 208
Encadernação: capa mole
Dimensões: 208 x 283 x 11 mm
ISBN: 978-989-616-780-6