Já tínhamos abordado aqui o lançamento de “A vida de Che” pela Levoir. Entretanto a editora divulgou os previews, os quais apresentamos aos leitores.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Três dos maiores nomes da banda desenhada da Argentina assinam esta obra, considerada uma obra-prima tanto pelo seu argumento como pelo desenho. A história foi elaborada por um dos primeiros escritores a explorar a força narrativa da banda desenhada: Héctor Germán Oesterheld, torturado e assassinado pela ditadura militar argentina. A ilustração é da autoria de Alberto Breccia, um dos mestres do desenho a preto e branco, em colaboração com o seu filho Enrique, então um jovem de 22 anos.

O revolucionário Ernesto Che Guevara, foi fonte de inspiração de muitas biografias, mas esta é sem dúvida a que causou o maior impacto, ao originar uma perseguição política no período da ditadura militar. A obra foi publicada na Argentina no ano de 1968, três meses após a morte de Che, sendo uma das que mais ajudou para a consolidação da imagem de Guevara como um herói latino-americano. A editora responsável pela publicação foi invadida e tanto os materiais originais como os exemplares existentes foram confiscados e destruídos. Em 1973, a circulação do livro foi proibida e a biografia do Che deixou de estar disponível, até ser reeditada em meados dos anos 80, em Espanha pela editora Ikusager.

Um grande clássico da banda desenhada dos criadores de Mort Cinder, livro editado pela Levoir em 2015, no preciso momento em que se assinalam os cinquenta anos da morte de Che Guevara na Bolívia.

Aprendi muito com Héctor [Oesterheld]. Do ponto de vista da técnica narrativa, aprendi com ele mais do que com qualquer outro.
— Hugo Pratt

A história da banda desenhada é dividida em dois períodos: o que vem antes e o que vem depois de Alberto Breccia.
— Frank Miller

nota: imagens cedidas pela editora.