por Pedro Afonso

Classroom of the Elite (Yōkoso Jitsuryoku Shijō Shugi no Kyōshitsu e, no original) é um anime baseado na série de romances juvenis de Shōgo Kinugasa, ilustrados por Shunsaku Tomose, que também teve direito a uma versão manga homónima. Os romances são publicado no Japão pela chancela MF Bunko J da Media Factory, tendo já sido editados 6 volumes e um spin-off.

A primeira temporada do anime foi lançada este verão e tornou-se o anime mais popular da Europa, e especificamente também de Portugal, no Crunchyroll. Para quem não está familiarizado com esta empresa norte-americana, a mesma disponibiliza um serviço de streaming semelhante à Netflix, mas focado em media asiática, nomeadamente anime e manga. Já existe em Portugal desde 2013. Trata-se de um serviço grátis, mas que, à semelhança do Spotify, contém anúncios que podem ser retirados ao se optar pelo pagamento do pacote premium.

Regressando a Classroom of the Elite e mais propriamente ao seu manga,  tem atualmente 4 volumes (nunca publicados em português). É ilustrado por Yuyu Ichino e pré-publicado originalmente na revista mensal Monthly Comic Alive (orientada para o manga seinen) da Media Factory. A história contada pelo manga é bastante mais detalhada que a do anime, tendo várias referências engraçadas para aqueles que viram o anime primeiro.

O anime foi desenvolvido pelo estúdio de animação japonês Lerch, pertencente ao Studio Hibari, tendo já ultrapassado o manga em termos de cronologia da história, mas a essência é a mesma.

A história desenrola-se na Koudo Ikusei Senior High School, a qual é conhecida por 100% dos seus alunos irem para a universidade ou obterem emprego. Os alunos têm imensa liberdade, podendo usar qualquer penteado e vestimenta. Koudo Ikusei parece a escola perfeita e isso era o que todos pensavam, inclusive o protagonista Kiyotaka Ayanokōji, que acaba de se matricular e vai para à turma 1-D.

Ele rapidamente descobre que esta é a turma onde ficam os alunos “inferiores”, que são muitas vezes ridicularizados e não tem acesso às mesmas vantagens dos outros. A partir daqui, a narrativa acompanha as aventuras de Ayanokōji e do seu grupo crescente de amigos, que tentam desvendar os mistérios da escola e subir de nível.

Classroom of the Elite: o manga e o anime

A maior diferença entre o manga e o anime é a personalidade do protagonista, pois no anime ele aparenta não possuir quaisquer tipo de emoções, nem algum tipo de entusiasmo em relação ao que se passa em seu redor, enquanto no manga tem reações bastante semelhantes às de todos os personagens. A sua característica mais marcante são os olhos, onde é possível observar um vazio infinito e, apesar de estes estarem bem caracterizados no mundo a preto e branco do manga, são muitas vezes substituídos para enfatizar as expressões do personagem.

No geral, todos os personagens são interessantes. Mesmo aqueles menos apelativos no princípio, vão crescendo ao longo desta temporada. A história é bastante intrigante e a primeira temporada deixa bastantes mistérios para a segunda resolver.

Assim sendo, considero-o um excelente anime e um manga com grande qualidade. Apesar de nunca ter lido a série de romances juvenis, recomendo vivamente quer o anime quer o manga para os fãs deste género e mesmo para aqueles que nunca lhe deram um hipótese.