Tal como em outubro, no mês de novembro há frequentemente um aumento súbito do número de edições de banda desenhada, motivadas pelo evento nacional que é o maior catalisador de publicações de BD, o Amadora BD. Ter-se-á tal confirmado este ano? Vejamos como, em novembro, decorreu a atividade editorial e demais eventos ligados à banda desenhada.

PUBLICAÇÕES

O Bandas Desenhadas identificou os seguintes números de novidades de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas), segundo o canal de distribuição:
– Pontos de venda de periódicos: 13
– Livrarias: 8
– Distribuição alternativa: 9

A nível de formato, as 30 publicações de BD podem ser divididas em:
– Revistas: 0
– Livros: 25
– Outros (brochuras, etc): 4
– Jornais: 1

Das 13 novidades em livro nos pontos de venda de periódicos, 1 é um one-shot e os restantes 12 pertencem a séries autolimitadas:
– Associados a jornal: 5
– Não associados a periódico: 8

Destas 30 publicações de BD, 8 são edições com Portugal como país de origem. As restantes publicações têm como país de origem:
– Brasil: 3
– Espanha: 1
– EUA: 16
– França: 1
– Reino Unido: 1

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 30 publicações verifica-se a existência de:
– Inéditos mundiais: 6
– Inéditos em Portugal: 20
– Reedições: 4
Dos inéditos em Portugal, 3 tinham tido distribuição prévia total ou parcial nos pontos de vendas de periódicos via publicações brasileiras.

Eis as editoras das publicações de BD identificadas:
– BCSD: 1
– Bicho Carpinteiro: 1
– Chili Com Carne: 1
– Devir: 1
– Edições Milagre: 1
– G. Floy: 1
– Goody: 6
– José Pires: 3
– Kingpin: 1
– Levoir: 4
– MMMNNNRRRG: 1
– Paulo Pinto: 1
– Polvo: 2
– Procyon: 2
– Salvat: 2
– Sociedade Bíblica: 1

A suspensão da atividade da Distrinews II, originou que o 11.º número do jornal Jankenpon conhecesse somente distribuição alternativa. Por outro lado, a suspensão das revistas de BD disneyana pela Goody originou o desaparecimento de lançamentos de revistas de banda desenhada nas bancas.

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Em novembro, identificaram-se 6 publicações de banda desenhada com Portugal como país de origem. Independentemente da data do lançamento oficial, não foram consideradas as BD comercializadas pela primeira vez em eventos em outubro, dado já terem sido abordadas no mês passado.

A Procyon estreou-se na edição de banda desenhada com Tuurgh, o Pintor Rupestre vol. 1 de José Abrantes e a reedição revista e aumentada de Zé Inocêncio, As Aventuras Extra Ordinárias dum Falo Barato de Nuno Saraiva.

A chancela editorial Edições Milagres também deu os seus primeiros passos com a autoedição de Livro Sagrado, da autoria de Ricardo Santo.

A Mariana Pita viu a sua obra coligida no livro Lá fora com os Fofinhos, em coedição da Chili Com Carne com O Panda Gordo. Por seu turno, Paulo Pinto autoeditou Ideias Gentilmente Cedidas pela Noite Portuense.

O BCSD – Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável editou o livro de banda desenhada O Mundo Muda Contigo, de Raquel Ochoa e Mariana Margarida Malhão, distribuído a professores das disciplinas de geografia e ciências naturais dos 7.º, 8.º e 9.º anos de escolas que integram a rede da Comissão Nacional da UNESCO e de outras escolas em Portugal.

Como referimos, a suspensão da atividade da Distrinews II, originou que o 11.º número do jornal Jankenpon conhecesse somente distribuição alternativa.

Por seu turno, Olimpo Tropical, com argumento de André Diniz, consagrado autor carioca a residir em Lisboa, e desenhos do vicentino Laudo Ferreira, teve direito à primeira edição mundial no nosso país.

Novembro revelou-se, deste modo, um mês com diversidade de propostas nacionais, pelo que reforçamos a recomendação de banda desenhada portuguesa aos leitores portugueses (e internacionais). Das 8 obras, 2 tiveram ou têm planeada distribuição livreira e 6 têm distribuição alternativa.

EVENTOS

Entre festivais e exposições inauguradas nos meses anteriores que persistiriam em novembro e os eventos decorridos ou inaugurados neste mês, existiram muitas e variadas propostas.

Em novembro propriamente dito, conforme noticiámos na nossa agenda, foram alvos de eventos Daniel Maia, Inês Garcia, Paulo Pinto e o coletivo The Lisbon Studio, entre outros.

Iniciado em outubro, o Amadora BD 2017 foi o evento mais proeminente em novembro, mês onde também teve lugar o 1.º Encontro de BD e Ilustração da ADAO (Associação Desenvolvimento Arte e Ofícios).

AUTORES NACIONAIS PUBLICADOS NOUTROS PAÍSES

Existem alguns autores nacionais que se encontram a trabalhar periodicamente para o mercado norte-americano e a sua ausência num ou noutro mês prende-se frequentemente mais com a calendarização das editoras do que o seu trabalho contínuo para aquele mercado. Outros há em que a edição noutro país é um evento excecional. De qualquer modo, esta listagem não tem por fim uma análise estatística, mas sim uma aglomeração de informação dispersa pelo nosso site, disposta de uma forma simples, para futura referência.

Eis os autores que identificámos, dispostos alfabeticamente, com publicações de banda desenhada noutros países, durante o mês de outubro:
– André Lima Araújo (Generation Gone #5, Image, EUA – coargumento, desenho e arte-final)
– Daniel Henriques (Supergirl #15, DC Comics, EUA – arte-final)
– Miguel Mendonça (Nightwing #32, DC Comics, EUA – desenho)

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Independentemente da data do lançamento oficial, não foram consideradas as BD comercializadas pela primeira vez em eventos em outubro, dado já terem sido abordadas no mês passado.

Tal como nos meses anteriores, prosseguiram diversas séries em publicação nas bancas (Goody e Salvat), apesar de tal não se ter verificado em novembro nas livrarias.

Nas bancas, a Levoir iniciou a série Liga da Justiça, coincidente com a estreia cinematográfica do quinto filme do Universo Estendido DC. Por seu turno, a Sociedade Bíblica propôs a BD Bíblia em Ação, da autoria do brasileiro Sérgio Cariello.

Diversas obras destinadas ao mercado livreiro foram comercializadas pela primeira vez no AmadoraBD 2017, algumas das quais não tendo tido ainda direito a um lançamento oficial nem distribuição livreira.

Do Brasil, foram editadas as obras Dodô de Felipe Nunes pela Kingpin e Maria, a Maior das Subversões de Henrique Magalhães pela Polvo

A Devir editou o clássico Do Inferno de Alan Moore e Eddie Campbell, enquanto a MMMNNNRRRG publicou Fearless Colors do francês Samplerman (aka Yvang). Quanto à G. Floy, iniciou a série The Wicked + The Divine de Kieron Gillen e Jamie McKelvie.


IMPORTAÇÃO NAS BANCAS

Para além do mercado editorial de banda desenhada em Portugal, existem outros pontos que são alvo do nosso Observatório. Um deles é a importação de revistas de, com ou sobre banda desenhada distribuídas nas pontos de venda dos periódicos.

Como nota de rodapé, tal como nos 3 meses anteriores, as revistas brasileiras distribuídas nas bancas não ultrapassam em número a totalidade das publicações nacionais. Em novembro, foram distribuídas:
– Panini Brasil: 18 títulos

Estes 18 títulos têm como editora original:
– Marvel (EUA): 6
– Mauricio de Sousa (Brasil): 12

No que toca às publicações francesas decom ou sobre BD, foram distribuídas 11 publicações.

nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2017.