Os X-Men são uma das equipas mais antigas do Universo da Marvel, e, para perceber a etapa que vai começar agora nas bancas portuguesas, há que rever algumas partes da sua história.

A sua primeira aparição, X-Men #1, foi distribuída no mesmo dia que Avengers #1, no ano longínquo de 1963. Porém, ao contrário de os Vingadores, os X-Men não são adorados e idolatrados por todos. São apenas uma equipa de 5 adolescentes que «protegem um mundo que os teme e odeia», e o amor dos leitores não foi suficiente para manter a equipa no ativo durante muito tempo, levando a que o título fosse cancelado no número 66 (em 1970), seguindo-se 5 anos de reimpressões e aparições muito escassas noutros títulos.

Só em 1975, é que se dá o grande impulso da equipa com Giant-Size X-Men #1, onde são introduzidos na equipa alguns dos mutantes mais famosos e icónicos da Marvel, nomeadamente Wolverine, Tempestade, Colossus e Nightcrawler (aka Noturno).

A partir daí, tornou-se recorrente a referência ao rápido crescimento da equipa e ao grande número de grupos que originou, tais como New Mutants, X-Factor, Excalibur, X-Terminators e X-Force. Mas, uma coisa permaneceu constante durante vários anos: houve sempre uma, e uma só, equipa de X-Men… Isto é, até a era das equipas Azul e Dourada (Blue & Gold, no original).

As duas equipas “coloridas” aparecem depois da «Muir Island Saga», onde se juntam heróis vindos de todo o lado para combater o Shadow King, culminando num total de 16 mutantes, no final da história. Para resolver o empasse do elevado número de X-Men, o Professor Xavier decide criar duas equipas: a equipa Azul (liderada por Ciclope) e a equipa Dourada (liderada por Tempestade) – e assim começaram as múltiplas equipas dos X-Men!

Ao longo dos anos houve inúmeros grupos a intitularem-se X-Men (às vezes contra a vontade dos membros originais, como é o caso dos cómicos Great Lakes X-Men), mas nenhuma equipa se poderia preparar para o conjunto de desgraças que o século XXI traria aos mutantes.

Great Lakes X-Men

A perdição da raça mutante começou com «Dinastia de M», um evento de 2005 (publicado em Portugal pela Levoir), em que a Feiticeira Escarlate cria uma realidade alternativa na qual toda a gente tem os seus maiores desejos tornados realidade.

Como é de esperar, alguns personagens apercebem-se que as suas vidas foram mudadas e começam a organizar revoltas. Wanda tenta pôr um fim ao conflito entre mutantes e humanos de uma vez por todas e, então, pronuncia uma das frases mais marcantes do Universo Marvel: “Acabaram-se os mutantes”.

Palavras de Wanda no original: “No more mutants.”

Proferidas estas palavras, 91.4% dos mutantes de todo o planeta ficaram sem poderes. De seguida, o governo fez uma estimativa de apenas 198 mutantes restantes no mundo.… Os Homo superior estavam em vias de extinção.

Os anos seguintes não foram fáceis e, mesmo com o nascimento de Hope (a primeira nova mutante detetada depois da grande dizimação) as coisas não pareceram melhorar.

Em 2012, parecia haver uma luz ao fundo do túnel, com o evento Vingadores vs. X-Men (também publicado em Portugal pela Levoir), no qual a Fénix regressa à Terra mais uma vez. Durante a história, a Fénix fragmenta-se em 5 partes e liga-se a Ciclope, Emma Frost, Namor, Colossus e Magik (aka Magia), que formam os Cinco da Fénix. Inicialmente, tinham boas intenções e deram esperança a pessoas por todo o mundo, mas a Fénix começa a corrompê-los e, no final, Ciclope fica com o poder todo só para si, enlouquecendo. Depois de alguns atos terríveis, Ciclope é finalmente derrotado por Hope, juntamente com uma Feiticeira Escarlate à procura de redenção.

Com esta vitória, Hope torna-se a nova Fénix Branca e acaba com este poder maligno, quebrando o feitiço original da Feiticeira Escarlate e transformando milhões de pessoas por todo o mundo em novos mutantes – o futuro parecia brilhante para os mutantes uma vez mais!

Durante uns tempos, os mutantes prosperaram como já não o faziam em anos, tendo sido inclusivamente criados os Vingadores-X, uma equipa de Vingadores que tinha como objetivo aliviar as tensões entre Vingadores e X-Men (cujas aventuras estão a ser contadas nas séries dos Vingadores lançadas pela Goody). No entanto, os X-Men nunca tiveram muita sorte, portanto quando Black Bolt (aka Raio Negro) detonou uma bomba de Terrigene que espalhou as névoas pela Terra, estas formaram duas enormes nuvens, que se revelaram tóxicas e mortais para os mutantes. E, portanto, os mutantes viram-se à luta pela sobrevivência mais uma vez.

Depois de os mutantes ficarem em risco de extinção (mais uma vez), eles atacam os Inumanos e, após umas lutas típicas de heróis contra heróis, as equipas acabam por se entender, conseguindo acabar com a ameaça das nuvens de terrigene (apesar de Ciclope ter sido uma vítima do conflito).

Assim, chegamos a ResurrXion (a época que está prestes a começar nas edições da Goody). Nesta era, o Wolverine está morto, tendo a sua clone, X-23, assumido o título em sua honra; o Old Man Logan está no universo principal da Marvel (como já vimos no artigo das Guerras Secretas); a fénix está rumo à Terra (depois de o filho de Thanos ter eclodido o seu ovo); e os X-Men voltaram a dividir-se em duas equipas coloridas, desta vez uma liderada por Kitty Pride e outra liderada pela Jean Grey do passado e composta pelos X-Men originais (cujas aventuras têm sido lançadas pela Panini Brasil e importadas para Portugal).

Capas de X-Men: Gold #1 e X-Men: Blue #1

Outras Leituras