Inteligente, simples e agradável para muitas idades.

No final do ano de 2017 a editora Bruaá lançou “Nunca se passa nada no meu bairro” de Ellen Raskin. Somos levados ao bairro de Carlos Alberto, um bairro onde segundo ele nunca acontecia nada mas na realidade muitas coisas excitantes e estranhas estão acontecendo ao mesmo tempo. Usando o mesmo plano fixo frontal ao longo de todo o livro, as ilustrações de Ellen Raskin dão a sensação cinematográfica de um plano-sequência ou de uma peça de teatro com cenário fixo.

O livro aborda de uma forma simples que não nos devemos acomodar, que a vida é uma grande aventura e senão estivermos atentos ela passa por nós sem darmos por isso.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

O seu nome era Carlos Alberto e, tanto quanto ele conseguia ver, nunca se passava nada no seu bairro. Ele sonhava com desfiles de bandas, casas assombradas, leões e tigres ferozes e até fogo de artifício. Mas o que é que ele tinha? Nada. Nada que ele visse. Mas se olharmos bem, talvez vejamos algumas coisas que escaparam ao Carlos Alberto: um fogo que começa, um homem que escava um tesouro enterrado, um carteiro azarado, um paraquedista, uma ambulância que é chamada e outras cenas que se vão acumulando e oferecendo um contraponto colorido que irá oferecer horas de diversão aos leitores.

Ellen Raskin nasceu em Milwaukee, EUA, foi uma escritora, ilustradora e designer gráfica. Habitava em muitos mundos: no mundo dos livros, dos sonhos e na cidade de Nova Iorque, onde escreveu e ilustrou numa casa assombrada de 1820. Como designer gráfica, criou capas para mais de 1.000 livros, incluindo a primeira edição do clássico A Wrinkle in Time de Madeleine L’Engle. Foi autora de vários romances, incluindo “The Westing Game”, “Figgs & Phantoms”, “The Tattooed Potato and Other Clues” e “The Mysterious Disappearance of Leon (I Mean Noel) “. Depois de anos a ilustrar as ideias dos outros, Ellen Raskin publica em 1966 o seu primeiro álbum ilustrado: “Nunca se passa nada no meu bairro”. Foi o primeiro de muitos. Raskin morreria aos 56 anos, a 8 de agosto de 1984, na cidade de Nova Iorque.

Nunca se passa nada no meu bairro
Ellen Raskin
Editora: Bruaá
Páginas: 36
Encadernação: capa dura
Dimensões: 20 x 16,5 cm
ISBN: 978-989-8166-35-7
PVP: 12,50€

nota: agradecimento especial à editora pela oferta de um exemplar.