A frase «O mundo é das crianças» nunca fez mais sentido. Com Logan, Spider-Man: Homecoming e Marvel’s Runaways lançados no ano passado e com Titans, The Young Justice, New Mutants, Marvel’s New Warriors, Secret Warriors, The Incredibles 2 e ainda Marvel’s Cloak & Dagger a ser lançados este ano, ou no próximo, acho que é seguro dizer que os adolescentes super-heróis estão na moda (e a Goody não quis ficar para trás).

Se houve uma altura em que os super-heróis estavam limitados a personagens adultos, então essa época foi bastante breve, porque o aparecimento de adolescentes com superpoderes remonta quase há conceção deste género. Basta pegar em exemplos clássicos como Robin, Bucky, Speedy (alter-ego de Roy Harper) e Supergirl, que apareceram em 1940, 1941, 1955 e 1959, respetivamente.

No entanto, é em 1962, com a aparição de Homem-Aranha, que os adolescentes começam realmente a importar. Apesar de ser ainda jovem, Peter Parker escolhe a identidade de HOMEM-Aranha. Porque na sua vida civil ele é o Parker “Franzino”, mas, quando coloca a máscara, torna-se um HOMEM que combate o crime para proteger a sua cidade. Ao contrário da maior parte dos adolescentes que vieram antes, o Homem-Aranha não é apenas mais um parceiro (que é supervisionado por um adulto)! Ele é um herói por si mesmo, e suas as bandas desenhadas iniciais vieram demonstrar isso mesmo.

Já tinham existido equipas de adolescentes, como a Legião de Super-Heróis da DC (uma equipa já publicada em Portugal pela Levoir várias vezes, embora tenha feito apenas 10 aparições nos 4 anos que se passaram entre a sua fundação e o aparecimento do Homem-Aranha). Contudo, depois do Aranha, tanto a DC como a Marvel começaram a povoar os seus universos com inúmeros super-heróis adolescentes (muitos deles com histórias ligeiramente baseadas na fórmula do Aranhiço). E não tardaria que até começassem a surgir as mais variadas equipas de adolescentes.

Atualmente, uma grande parte das bandas desenhadas tem adolescentes como protagonistas (há quem diga que em demasia) e, na maioria dos casos, eles têm modelos e ídolos que os inspiram, mesmo sendo super-heróis adolescentes. Porém, depois dos eventos de Guerra Civil II (que acompanhamos nos volumes 6 a 9 da Goody), os membros mais jovens dos Vingadores cortaram laços com os seus “mentores”. Assim, Mark Waid (Fantastic Four) e Humberto Ramos (Amazing Spider-Man) aproveitaram o facto de a Marvel ter recuperado os direitos legais do nome ‘Champions’ (uma antiga equipa publicada na década de 70, que em nada tem a ver com esta nova incarnação) e apresentaram-nos um novo grupo, composto pelos adolescentes mais conhecidos de cada canto do universo Marvel (que irão ser os protagonistas do próximo volume da série Marvel Especial):

  • Miss Marvel (alter ego de Kamala Khan), é uma inumana paquistanesa que vive em Nova Jérsia, EUA. Ela ganhou os poderes de esticar o corpo graças à bomba de Terrigene libertada durante os eventos de Infinity (que poderemos acompanhar no nosso país em breve) e, desde então, tem combatido o crime sob o codinome Ms. Marvel, com a bênção da sua super-heróina preferida, a atual Capitã Marvel. Em eventos recentes, juntou-se aos «Heróis mais poderosos da Terra» (como pudemos ler nas histórias da primeira série dos Vingadores da Goody) e, agora, tornar-se-á a líder dos Champions. Ainda este ano, terá um volume inteiramente dedicado a si, a ser lançado pela GFloy.
  • Miles Morales é, sem dúvida, o herói da equipa mais publicado em Portugal, tendo desde a sua própria série (que constituiu parte dos volumes da Goody do Homem-Aranha) até um número a ele dedicado na coleção da Salvat. Ele é o atual Spider-Man adolescente e ele era originalmente do Universo Ultimate, uma realidade em que Peter Parker perece numa última batalha com o Duende Verde, sendo depois substituído por Miles, um miúdo hispânico que também foi mordido por uma aranha radioativa (a morte de Peter Parker e a origem de Miles fizeram parte da coleção graphic novels da Salvat, nomeadamente números 43 e 52). Desde que chegou ao universo principal da Marvel, Miles tem sido uma das personagens no cerne de todos os acontecimentos importantes, algo que não parece cessar em breve, mesmo com a partida do seu criador para a companhia rival, a DC.
  • Samuel Alexander está, tal como Miles, a carregar o legado de um herói outrora adolescente, neste caso o de Richard Rider. Quando Richard se sacrificou durante os eventos de Thanos Imperative, os Nova Corps desapareceram com ele, e juntamente com todas as vidas perdidas estava Jesse Alexander. Ao encontrar o capacete do pai, Sam tornou-se o novo Nova, o último dos antigos protetores da galáxia. As aventuras deste personagem latino chegaram ao nosso país por via das revistas brasileiras, no título Universo Marvel, e os obstáculos que enfrentou ao lado dos Vingadores foram contados nas histórias publicadas pela Goody. Também teve um pequeno papel em ambos os volumes de Vingadores vs X-Men publicados pela Levoir.
  • Totally Awesome Hulk (alter ego de Amadeus Cho) é o primeiro membro da equipa que não é um ex-vingador, apesar de ser o personagem que integra o Universo Marvel há mais tempo. Criado em 2006, Amadeus apareceu pela primeira vez na revista Amazing Fantasy Vol 2 #15, onde foram criados 5 novos personagens numa tentativa de reproduzir o sucesso do Homem-Aranha (em Amazing Fantasy Vol 1 #15). Daí em diante, este génio coreano tem apresentado algumas semelhanças com Rick Jones, no sentido que andou a fazer de tudo um pouco: envolveu-se em aventuras com o Hulk, tornou-se parceiro inseparável de Hercules, juntou-se aos Illuminati e, recentemente, tornou-se o novo Hulk ao absorver o poder de transformação de Bruce Banner para o salvar de uma situação perigosa. Apesar de ter feito apenas pequenas aparições em revistas portuguesas, nomeadamente no número 47 da coleção da Salvat (a saga Guerra Mundial Hulk) e nos volumes da Goody dedicados à Guerra Civil II (aqui, já aparecendo como Hulk), a sua série pôde ser seguida nas revistas importadas da Panini Brasil, no título Avante, Vingadores! (3.ª série). Fez também uma aparição especial na história de Velho Logan, no volume 2 dos X-Men, da Goody.
  • Vivian Vision é o extremo da equipa de duas maneiras diferentes: se o homem-aranha era o herói mais publicado no país, Viv é a de quem menos ouvimos falar; e enquanto Amadeus é o membro mais antigo, Viv é a mais recente. Viv é o último membro a ingressar a equipa em Champions #1 e ela foi criada por Tom King e Gabriel Hernandez Walta naquela que se tornou uma das melhores bandas desenhadas de 2016, tendo inclusive ganho o Eisner Award de melhor série limitada: uma história em que Vision decide criar uma família para se tornar mais humano, construindo assim Virgina (a sua mulher) e os gémeos Viv e Vin (os seus filhos). Durante os 12 números que constituem a série, Viv não foi vista em mais nenhuma banda desenhada, mas, no mesmo dia em que foi publicado Vision #12, nos EUA, saiu simultaneamente Champions #1, abrindo as portas que esta pequena criação começasse a aparecer em todos os cantos do Universo Marvel. Para aqueles mais atentos, já podem ter visto a Viv numa vinheta do volume 9 da Série I dos Vingadores da Goody (no final da Guerra Civil) e numa outra vinheta, no volume 1 da Série II (na memória de Vision).
  • Por último, “Jovem” Ciclope não é um dos fundadores da equipa, como os outros. A sua história com o grupo é ligeiramente diferente, mas, para não revelar o enredo da revista, falemos apenas do que se passou até se encontrar com os Champions: A sua primeira aparição foi em All-New X-Men #1, juntamente com o resto da equipa original, quando foi trazido do passado pelo Fera (aventura que pôde ser acompanhado no nosso país durante as breves publicações da Panini España). Houve vários contratempos na sua estada no presente e a equipa acabou por ficar presa neste tempo, tendo de se habituar aos novos costumes e ao novo status quo. Nos tempos que precederam a formação de Champions, o jovem Scott viu o Ciclope “original” morrer numa guerra contra os inumanos e viu as tensões entre mutantes e inumanos chegarem a níveis inéditos. Algumas disputas foram resolvidas durante a Guerra Civil II, onde lutou ao lado dos personagens que viriam a formar os Champions (com a exceção de Viv) e agora está, simplesmente, à procura de algo novo, permanecendo também na sua equipa de jovens X-Men (as suas aventuras com os X-Men podem ser acompanhadas na nova série da Goody dedicada à equipa, se bem que os eventos desse livro se passam, cronologicamente, depois do primeiro volume de Champions).


Outras Leituras