Em dezembro, com o final do ano e em plena época pós-Amadora BD é habitual existir um menor número de lançamentos no que toca à banda desenhada. No entanto, esta constatação tem vindo a ser contrariada nos últimos anos com a Comic Con Portugal. Ter-se-á tal confirmado este ano? Vejamos como, em dezembro, decorreu a atividade editorial e demais eventos ligados à banda desenhada.

PUBLICAÇÕES

O Bandas Desenhadas identificou os seguintes números de novidades de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas), segundo o canal de distribuição:
– Pontos de venda de periódicos: 12
– Livrarias: 9
– Distribuição alternativa: 13

A nível de formato, as 34 publicações de BD podem ser divididas em:
– Revistas: 1
– Livros: 23
– Outros (brochuras, etc): 10
– Jornais: 0

Das 11 novidades em livro nos pontos de venda de periódicos, todos pertencem a séries autolimitadas:
– Associados a jornal: 4
– Não associados a periódico: 7

Destas 34 publicações de BD, 11 são edições com Portugal como país de origem. As restantes publicações têm como país de origem:
– Alemanha: 1
– EUA: 16
– Japão: 4
– Reino Unido: 2

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 34 publicações verifica-se a existência de:
– Inéditos mundiais: 11
– Inéditos em Portugal: 19
– Reedições: 4
Dos inéditos em Portugal, 6 tinham tido distribuição prévia total ou parcial nos pontos de vendas de periódicos via publicações brasileiras.

Eis as editoras das publicações de BD identificadas:
– Capitania do Azar: 1
– Catarina João: 1
– Devir: 4
– G. Floy: 2
– Goody: 5
– Henrique Gandum: 1
– J. Paulo Freire: 1
– José Pires: 3
– Levoir: 4
– MMMNNNRRRG: 1
– Planeta: 2
– Planeta Satélite: 3
– Polvo: 1
– Salvat: 2
– TailorMade: 1
– Tinta-da-China: 1
– VMC Comics: 1

Tal como tinha acontecido com o 11.º número, a suspensão da atividade da Distrinews II originou que o 12.º número do jornal Jankenpon conhecesse somente distribuição alternativa. No entanto, pela segunda vez na vida do jornal o número de páginas do mesmo de banda desenhada é inferior a 50%, pelo que o #12 não foi contabilizado como uma publicação de BD.

Pelo contrário, o #21 da revista Playmobil cumpriu os critérios, razão pela qual foi registada a publicação de 1 revista de BD destinada aos pontos de venda de periódicos, ao contrário da ausência em novembro, originada pela suspensão das revistas de BD disneyana da Goody.

Quanto a publicações sobre BD, foi identificada 1 revista, editada pelo Clube Tex Portugal e com distribuição alternativa.

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Em novembro, identificaram-se 11 publicações de banda desenhada com Portugal como país de origem. Este maior número de publicações, comparativamente ao mês passado, tem como explicação parcial a Comic Con Portugal.

Se a Polvo prosseguiu com a série Madoka Machina de André Pereira, a Tinta-da-China continua a apostar nos seus autores de BD de eleição, Filipe Melo e Juan Cavia, desta feita com Comer/Beber. Quanto à MMMNNNRRRG, editou a narrativa gráfica Cancer de Tilda Markstöm.

A chancela Planeta Satélite lançou 3 zines de Ricardo Baptista. Por seu turno, a Capitania do Azar publicou O Sarilho de Shizamura e a VMC Comics publicou The Big Sheep: A Farm Noir de André Mateus e Rahil Mohsin.

Foram ainda autoeditados Congo, um Mundo Esquecido de Henrique Gandum, Forget-Me-Not de Catarina João e Limiar do Tormento do brasileiro residente em Portugal J. Paulo Freire.

Dezembro revelou-se, deste modo, um mês com diversidade de propostas nacionais, pelo que reforçamos a recomendação de banda desenhada portuguesa aos leitores portugueses (e internacionais). Das 11 obras, 1 teve  distribuição livreira e 10 têm distribuição alternativa.

EVENTOS

Entre exposições inauguradas nos meses anteriores que persistiriam em dezembro e os eventos decorridos ou inaugurados neste mês, existiram muitas e variadas propostas.

Em dezembro propriamente dito, conforme noticiámos na nossa agenda, foram alvos de eventos Filipe Melo, Juan Cavia, Mariana Pita, Nuno Saraiva, Tommi Musturi e o coletivo The Lisbon Studio, entre outros.

Dezembro foi também o mês do ZineFestPt 2017 e da Comic Con Portugal 2017.

AUTORES NACIONAIS PUBLICADOS NOUTROS PAÍSES

Existem alguns autores nacionais que se encontram a trabalhar periodicamente para o mercado norte-americano e a sua ausência num ou noutro mês prende-se frequentemente mais com a calendarização das editoras do que o seu trabalho contínuo para aquele mercado. Outros há em que a edição noutro país é um evento excecional. De qualquer modo, esta listagem não tem por fim uma análise estatística, mas sim uma aglomeração de informação dispersa pelo nosso site, disposta de uma forma simples, para futura referência.

Eis os autores que identificámos, dispostos alfabeticamente, com publicações de banda desenhada noutros países, durante o mês de dezembro:
– André Lima Araújo (Ben Reilly: Scarlet Spider #11, Marvel, EUA – desenho e arte-final; Black Panther: Long Live the King #1, Marvel, EUA – desenho e arte-final; Generation Gone #5, Image, EUA – coargumento, desenho e arte-final)
– Daniel Henriques (Supergirl #16, DC Comics, EUA – arte-final)
– Jorge Coelho (Black Bolt #8, Marvel EUA – desenho e arte-final de história secundária)
– Miguel Mendonça (Detective Comics #971, DC Comics, EUA – desenho)

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Tal como nos meses anteriores, em dezembro prosseguiram diversas séries em publicação nas bancas (Goody, Levoir, Salvat e TailorMade) e nas livrarias (Devir, G. Floy e Planeta).

Quanto a novos títulos, nas bancas, a Levoir editou a série Harley Quinn, graças à crescente popularidade da personagem no nosso país, para a qual tem contribuído a sua aparição cinematográfica no Universo Estendido DC. Quanto à Goody, iniciou a sua primeira série dedicada aos X-Men, bem como as segundas séries dedicadas a Homem-Aranha e Vingadores.

Por seu turno, nas livrarias, foi distribuída o manga Nonnonba de Shigeru Mizuki, editado pela Devir, incluído na sua coleção Tsuru, a qual reúne autores japoneses clássicos e contemporâneos inovadores, reconhecidos pela sua contribuição para a arte da banda desenhada e, também, para a cultura japonesa.


IMPORTAÇÃO NAS BANCAS

Para além do mercado editorial de banda desenhada em Portugal, existem outros pontos que são alvo do nosso Observatório. Um deles é a importação de revistas de, com ou sobre banda desenhada distribuídas nas pontos de venda dos periódicos.

Como nota de rodapé, tal como nos 3 meses anteriores, as revistas brasileiras distribuídas nas bancas não ultrapassam em número a totalidade das publicações nacionais. Em dezembro, foram distribuídas:
– Panini Brasil: 21 títulos

Estes 21 títulos têm como editora original:
– Marvel (EUA): 6
– Mauricio de Sousa (Brasil): 15

No que toca às publicações francesas de, com ou sobre BD, foram distribuídas 8 revistas. Foi ainda distribuída 1 revista belga.

nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2017.