Uma dúzia de anos depois, Dampyr regressa aos pontos de venda de periódicos nacionais, na sua primeira edição portuguesa e com duas bandas desenhadas inéditas passadas em Portugal.

Em 2004, a editora brasileira Mythos fez uma tentativa de renovação da sua oferta de séries bonellianas, iniciando a publicação de dois novos títulos, com géneros que se distinguissem dos demais publicados pela editora. Um desses títulos, era Dampyr, uma série iniciada em Itália 4 anos antes. Tratava-se de uma série que misturava fantasia, terror, suspense e policial, tendo os vampiros como tema central.

Devido à possibilidade de acompanhar uma série bonellina desde o número 1, à temática da mesma e à divulgação realizada nos sites nacionais  especializados, a série teve, proporcionalmente, direito a boas vendas em Portugal aquando da sua exportação, apesar do pequeno número de exemplares que era remetido mensalmente para as bancas. No entanto, este cenário de sucesso não foi espelhado no Brasil, tendo a série sido cancelada no número 12 (somente em março deste ano, a série prosseguiria com a sua publicação, desta vez pela mão da brasileira Editora 85).

Deste modo, os leitores portugueses puderam tomar contacto com o primeiro ano de produção da série – que este mês atingiu o #217 em Itália – e, ao mesmo tempo que o protagonista, ir descobrindo o que significar ser um dampyr, quem são os seus aliados e os seus inimigos. Esta demanda pela identidade era acompanhada de outro ponto, que viria a ser uma das características da série. A série era ambientada em diversas cidades e países reais, reconhecíveis não só a nível do argumento mas também do desenho.

Ao longo destes anos, a série italiana já “visitou” os mais diversos países e continentes, não sendo, portanto, de estranhar que duas das suas aventuras sejam passadas em Portugal, uma no Porto / Vila Nova de Gaia e outra em Trás-os-Montes. São, obviamente, estas as 2 bandas desenhadas selecionadas para constar do volume dedicado a este personagem na Colecção Bonelli da Levoir, que correspondem aos #75 e #147 da série italiana.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:

Criado por Mauro Boselli e Maurizio Colombo, a história de Dampyr é a de um fruto da união de um vampiro com uma mulher mortal, alguém que está entre dois mundos e cujo sangue pode destruir os vampiros. Dampyr é uma lenda balcânica. Naquela região acreditam haver uns vampiros especiais que podem enfrentar a luz do sol sem se sentirem afectados por ela. São conhecidos como os Mestres da Noite e podem dar vida a outros vampiros ao morder um ser humano, tornando-o membro do grupo daquele Mestre da Noite que o mordeu. A série foi concebida inicialmente como uma mini-série para a revista Zona X publicada pela Sergio Bonelli Editore na Itália. As aventuras contra o mal deste ser especial percorrem o mundo de lés a lés, passando por Praga, Berlim, Paris, Etiópia, Irlanda e também Portugal.

O Esposo da Vampira, de Mauro Boselli e Alessandro Bocci (este último, presente este mês na 5.ª Mostra do Clube Tex Portugal) é uma das duas histórias que fazem parte deste volume. Harlan Draka e o seu amigo Kurjak  (um ex-soldado que desistiu das guerras injustas para lutar pela salvação da humanidade) vão até Trás-os-Montes, para investigar a lenda do Castelo de Monforte da Estrela, que dizem estar assombrado por uma vampira. No local encontram uma equipa de filmagens que se prepara para rodar um filme de terror inspirado num conto do sec. XIX, cuja acção decorre na Catalunha e que é filmado em Trás-os Montes por questões de custos.

Tributo de Sangue, história de Giovanni Eccher e Maurizio Dotti tem como cenário a zona ribeirinha do Porto, a região vinícola do Douro e as caves de Vila Nova de Gaia. A especificidade cultural de Miranda do Douro e as perseguições aos judeus perpetradas pela população cristã e pela Inquisição portuguesa no século XVI também fazem parte desta história que inclui um fantasma em traje mirandense e uma tentativa de assassinato na ponte D. Luís I.

Segundo Giovanini Echer, “O motivo por que a trama é ambientada nesses lugares é muito simples: eu fiquei impressionado durante uma belíssima viagem a Portugal. Além disso, como a minha namorada é dona de uma enoteca em Milão, ela foi a minha guia entre os exportadores de Vila Nova de Gaia, que nos acolheram com muita cortesia e nos permitiram visitar as suas caves e provar os seus produtos.”

Colecção Bonelli vol. 2: Dampyr – Aventuras em Portugal
vários autores
Editora: Levoir
Páginas: 200, a preto e branco
Encadernação: capa dura
Dimensões: 190 x 260 mm
PVP: 10,90€