A leitura do volume 5 da série II dos Vingadores (o último número anterior ao começo do Secret Empire) originou com que escrevesse sobre a saturação de eventos da Marvel. Ainda recentemete ocorreu o Clone Conspiracy (um evento do Homem-Aranha com repercussões em vários títulos das “Pessoas-Aranha”, incluindo a Teia da Seda, que, infelizmente, não chegou ao nosso país) e já temos de nos preparar para um evento novo…

Desde muito cedo que os títulos das revistas de super-heróis pertencentes a Universos Unificados – e não só – recebiam esporadicamente a visita de um ou outro super-herói com que habitualmente não contracenavam. Mas foi mais tarde que a Marvel começou a fazer grandes eventos que colocavam num único título uma grande quantidade de super-heróis que raramente apareceriam juntos (um pouco como no filme Vingadores: Guerra do Infinito surgem personagens dos 18 filmes anteriores do Universo Marvel Cinematográfico). E com o sucesso de alguns destes mega-eventos, a Casa das Ideias parece ter deduzido a chave para o sucesso de vendas: utilizar um conceito que teve fama, múltiplas vezes, até à exaustão do público (que está a resultar bem com Star Wars)…

Façamos uma análise dos eventos da Marvel ao longo dos anos:

Para todos os efeitos, neste artigo, são considerados eventos quaisquer arcos ou séries limitadas que tenham uma história principal com tie-ins (histórias secundárias noutros títulos), podendo haver um crossover entre super-heróis do mesmo quadrante do Universo Marvel (eventos que só afetam os X-Men, por exemplo) ou união de esforços entre as várias equipas da Marvel. Nesta lista não foram contabilizados os eventos do Universo Ultimate.

  • Guerras Secretas (1984-1985): Considerado a base para todos os eventos, Guerras Secretas foi o primeiro grande evento da companhia, tendo havido referências em todos os grandes títulos e tendo existido grandes implicações no Universo da Marvel, entre as quais a introdução do fato preto do Homem-Aranha e a saída do Coisa do Quarteto Fantástico. É verdade que Contest of Champions (1982) antecede as Guerras Secretas, mas não é normalmente considerado um evento, uma vez que não tem nenhum tie-in e também não tem quaisquer implicações no Universo da Marvel, pelo que é habitualmente definido como uma minissérie ou série limitada.
  • Guerras Secretas II (1985-1986): Aqui está a sequela ao grande sucesso do ano anterior, desta vez tendo histórias secundárias, espalhadas por ainda mais títulos que o anterior.
  • Muir Island Saga (1991): Cinco anos sem eventos! Hoje em dia, isso seria impensável! E a verdade é que Muir Island nem se quer foi propriamente evento, mas mais um crossover entre Uncanny X-Men e X-Factor que serviu para relançar toda a linha dos X-Men com nova numeração, dando origem às equipas coloridas já mencionadas no artigo sobre a era RessurrXion.
  • INFINITY SAGA:
    1. Infinity Gauntlet (1991): O grande evento de ’91 foi Infinity Gauntlet, a história em que Thanos ataca finalmente; com excelentes vendas, deu origem a duas sequelas nos anos seguintes.
    2. Infinity War (1992)
    3. Infinity Crusade (1993)

  • DC vs Marvel (1996): Poucos acreditam que se irá repetir um evento com as duas Grandes editoras de BD norte-americanas, como ocorreu em 1996!
  • Onslaught (1996): Este evento teve uma organização diferente dos anteriores, já que os títulos foram aderindo à história em várias fases, culminando na primeira tentativa de recomeçar alguns quadrantes do Universo da Marvel (assemelhando-se ao que a DC já tinha feito em Crisis on Infinite Earths). À era que se seguiu deu-se o nome de Heroes Reborn, mas rapidamente se voltou a base do universo.
  • Maximum Security (2000-2001): O primeiro evento do século XXI… e do qual já praticamente ninguém tem memória!
  • O Fim de uma Era/O Último Ato (2004): O início da era do Bendis. Este evento deu início à era de eventos anuais, sendo também responsável por repor o nome dos Vingadores na ribalta.
  • Dinastia de M (2005): Eventos responsável pela redução drástica do número de mutantes.
  • Aniquilação (2006-2007): Evento da parte “cósmica” da Marvel, que tem direito a uma sequela um ano depois.
  • Guerra Civil (2006-2007): Considerado um dos melhores eventos da Marvel de sempre, devido às mudanças que se deram durante o mesmo, à divisão de heróis e à posterior morte do Capitão América.
  • Hulk: Guerra Mundial (2007): O evento relata o exílio do Hulk, decretado pelos Illuminatti.
  • Aniquilação: Conquista (2007-2008): Evento que deu origem à versão moderna dos Guardiões da Galáxia, com Star-Lord como líder.
  • Invasão Secreta (2008): Este evento deu origem ao Dark Reign, um regime liderado por Norman Osborn e uma equipa, os Dark Avengers, que só foi dissolvido no grande evento de 2010, Cerco.
  • War of Kings (2009): Outro evento que poucos recordam.
  • Cerco (2010): Dissolução da maioria dos problemas gerados nos eventos do novo século, acabando com um regresso ao status quo.
  • Chaos War (2010-2011): Evento centrado em Hércules e outras divindades, que não deixou grande memória.
  • A Essência do Medo (2011): Evento centrado nos deuses nórdicos, com repercussões na Terra.
  • X-Men: Cisma (2011): Evento que, mais uma vez, separa as equipas dos X-Men.
  • Ilha-Aranha (2011): O início dos eventos centrados no mundo do Homem-Aranha.
  • Vingadores vs X-Men (2012): Primeiro passo na resolução de problemas que afetavam a comunidade mutante deste a década anterior. O final do evento dá origem à nova Era da Marvel, denominada Marvel NOW!
  • Era de Ultron (2013): O primeiro evento de Marvel NOW!
  • Original Sin (2014): Este evento origina várias mudanças importantes, tais como a morte do Vigia, o aparecimento da Teia de Seda na vida do Homem-Aranha ou o aparecimento de uma Thor, entre outros. No final, inicia-se o Avengers NOW!
  • Death of Wolverine (2014): A morte de Wolverine teve óbvias repercussões nas demais X-revistas.
  • Avengers & X-Men: AXIS (2014): A ameaça de um renovado Caveira Vermelha reúne vários quadrantes da Marvel.
  • Spider-Verse (2014-2015): Evento com todas as versões do Homem-Aranha alguma vez existentes em qualquer medium.
  • Guerras Secretas (2015): O maior evento da década! Já foi escrito um artigo detalhado sobre o mesmo. Depois da grande luta final, começa o All-New All-Different Marvel Universe e TODOS os títulos são relançados com um novo número 1.
  • Avengers: Standoff! (2016): Início da Saga do Capitão América Malévolo (“Stevil”).
  • Guerra Civil II (2016): A morte de Bruce Banner e o coma de Tony Stark faz a comunidade de heróis dividir-se, dando origem ao Marvel NOW! 2.0.
  • A Conspiração dos Clones (2016-2017): O regresso de Ben Reilly.
  • Inhumans vs X-Men (2016-2017): O evento que, aparentemente, reuniu os X-Men, dando, novamente, origem a equipas coloridas. Os Inumanos partiram numa Jornada das Estrelas à procura dos segredos da Terrigene.
  • Monsters Unleashed (2017): Um evento que incorpora criaturas de antigas revistas de BD do género de terror no atual universo Marvel.
  • Império Secreto (2017): Conclusão da Saga do Capitão América Malévolo e inicio da Marvel Legacy, a era que relança a maioria dos títulos com a numeração original. Por exemplo, o principal título do Homem-Aranha (re)inicia com o Amazing Spider-Man #789, o do Thor com Mighty Thor #700 e o do Cavaleiro da Lua com Moon Knight #188.
  • Damnation (2018): O único propósito deste evento foi reconstruir a cidade de Las Vegas, depois da sua destruição no passado, mas, para além das habituais lutas de heróis contra heróis, dá-se ainda a formação dos novos Midnight Sons.

Concluindo, passamos de eventos de cinco em cinco anos para eventos de cinco em cinco meses (às vezes com intervalos ainda menores). Se anteriormente, a junção de todos os nossos heróis preferidos era algo raro e a qual os fãs antecipavam, agora os eventos tornaram-se uma banalidade e somente mais uma das diferentes técnicas de marketing da editora. Analise-se superficialmente, por exemplo, a criação de um evento para “matar” o Wolverine. Além do próprio título do evento retirar todo o suspense ao desenlace da narrativa, se algum choque houvesse por a Marvel se “atrever” a matar “realmente” um dos personagens mais populares, o seu lugar no Universo Marvel foi imediatamente preenchido – a X-23 assumiu o manto de Wolverine e James Hudson (do universo Ultimate) e o Velho Logan vieram para a Terra-616, cada um para uma equipa de X-Men!

Apesar de eu ser um grande apologista de crossovers entre super-heróis, principalmente quando são personagens que dificilmente se encontram de outro modo, acredito que, como tudo, também isto tem de ser feito de forma moderada. Até a Marvel já percebeu aparentemente que o exagero é um (grande) erro, tendo chegado a prometer que não haveria mais grandes eventos depois do Império Secreto, pelo menos durante um ano… No entanto, a conclusão de Damnation está próxima e em julho já começam as Infinity Wars… Enfim! Citando o grande mestre Obi-Wan Kenobi «Temos de perseverar. E com o tempo, uma nova esperança surgirá.»

Outras Leituras