Um dos lançamentos do XIV Festival Internacional de BD de Beja foi o sexto número de Madoka Machina. Encerra-se assim a minissérie em banda desenhada escrita e desenhada por André Pereira, publicada pela Polvo desde outubro de 2015.

Na sua totalidade, a obra é composta por seis números de 16 páginas, compostos por dois ou três capítulos cada um, num total de 96 pranchas a preto e branco. Registe-se que o primeiro capítulo do primeiro número, de quatro páginas, foi publicado também em Carne e Osso #2.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse:

A IV Revolução Industrial já passou. Democratizou-se a magia recorrendo a várias aplicações para smartphone e a transmutação do Mercado numa senciência digital unificou a sociedade através da tecnologia: todos nascem iguais e com acesso à internet. Madoka Machina acompanha a relação amorosa de uma tríade de jovens adultos que tenta integrar-se numa sociedade onde o Estado foi chutado para canto e o assalariado é um ser em vias de extinção no mercado de trabalho. No derradeiro número da minissérie, Ismael e Leandro conversam na relva enquanto esperam por Leonor que, em desespero de causa e à força de comprimidos, perde a noção do tempo ao tentar cartografar o seu passado. Desta vez, as 16 páginas não se dividem em capítulos, acompanhando o afundar da personagem de uma assentada, sem interrupções, reverberando apenas pontualmente ao ritmo de memórias passadas.

Madoka Machina 6
André Pereira
Editora: Polvo
Páginas: 16, a preto e branco
Formato: 16×23 cm, com capa a cores em cartolina
PVP: 4,00€

Os leitores interessados podem adquirir a publicação aqui.

Outras Leituras