Promovido pela Câmara Municipal da Amadora, o Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora está de volta, a partir de dia 26 de outubro até ao dia 11 de novembro de 2018. O núcleo da programação acontece, como é habitual, no Fórum Luís de Camões, onde a par das exposições haverá visitas guiadas, apresentações, lançamentos, sessões de cinema e oficinas para crianças e adultos.

Eis a divulgação camarária sobre as exposições do festival e a programação paralela realizada nos demais locais:

Este ano o destaque vai para um convidado muito especial: o Brasil. Numa exposição comissariada por Nelson Dona, Fabiana Barbosa e Aécio Diniz, com cenografia de Catarina Pé-Curto, teremos oportunidade de conhecer um conjunto de autores fundamentais no panorama brasileiro contemporâneo, que vive um período de ebulição artística e editorial muito relevante. As obras dos autores apresentados, algumas delas premiadas no Brasil e no estrangeiro, abordam temas sociais e políticos fraturantes da atualidade brasileira e internacional. Os autores em destaque nesta exposição são André Diniz, André Ducci, Helô D’Angelo, João Marcos, João Pinheiro + Sirlene Barbosa, João Spacca, Klévisson Viana, Marcelo D’Salete, Marcello Quintanilha, e Pedro Cobiaco. Para esta coletiva foram escolhidos autores de todo o Brasil, premiados nacional ou internacionalmente e que produzem, principalmente, histórias em quadrinhos sobre temáticas estruturais ou fraturantes da sociedade brasileira.

O autor em destaque é Francisco Sousa Lobo, vencedor do Prémio de Melhor Álbum Português de Banda Desenhada de 2017, com a publicação “Deserto / Nuvem” (ed. Chili com Carne). A exposição, comissariada por Tiago Batista e com cenografia de Carlos Farinha e Sofia Mota, apresenta uma retrospetiva do trabalho de Francisco Sousa Lobo com especial destaque para a obra premiada. Esta é uma obra, que afinal são duas, que se resgatam e engrandecem mutuamente, sobre um Alentejo moribundo e a fascinante forma de vida na Cartuxa de Évora, onde alguns monges resistem aos costumes do mundo, em absoluto silêncio e solidão. Segundo o autor, este é um pretexto para focar a própria natureza da fé humana, do apego às coisas do mundo, do que nos faz sentido. “Deserto” é composto por uma única narrativa centrada numa semana passada junto a Scala Coeli (escada do céu), que é como se chama a Cartuxa de Évora; é um livro quase jornalístico. “Nuvem” é composto de 20 cartas endereçadas a um monge cartuxo, e pode ser lido como uma resistência contra os extremos que circundam a fé, aquele que sabe que Deus não existe, e o que se contenta com absurdos.

No ano em que Artur Correia (1932-2018) nos deixou, o AmadoraBD irá prestar-lhe homenagem com uma exposição evocativa, comissariada por Luís Salvado e com cenografia de VA Studio. Iremos celebrar a vida e obra do homem que teve uma carreira imensa e uma produção enorme, em quantidade e qualidade, e cuja personalidade se aliou a uma vocação única: a de fazer rir os outros. Viajaremos por sete décadas de trabalho dedicado à BD e ao cinema de animação, no qual foi pioneiro e um dos mais consistentes e premiados autores em Portugal. Esta mostra dará conta ainda do seu talento na ilustração, artes gráficas e publicidade, bem como do seu bom-humor e da forma como sempre espalhou alegria entre amigos e família.

Horário
27 de outubro: inauguração (21h30)
Segunda a Sexta: 9h00 às 17h00
Sábado, Domingo e Feriado: 10h00 às 21h00

FORÚM LUÍS DE CAMÕES – PISO 0

ERA UMA VEZ UM PAÍS (MAIS OU MENOS) MARAVILHOSO
André Diniz, André Ducci, Helô D’Angelo, João Marcos, João Pinheiro + Sirlene Barbosa, João Spacca, Klévisson Viana, Marcelo D’Salete, Marcello Quintanilha, e Pedro Cobiaco

Nesta exposição teremos oportunidade de conhecer um conjunto de autores de todo o Brasil, premiados nacional ou internacionalmente e que produzem, principalmente, histórias em quadrinhos sobre temáticas estruturais ou fraturantes da sociedade brasileira. As obras dos autores apresentados abordam temas sociais e políticos fundamentais no panorama brasileiro contemporâneo, que vive um período de ebulição artística e editorial muito relevante.

Comissariado: Nelson Dona
Comissariado Executivo: Fabiana Barbosa e Francisco Aécio Diniz (Fundação da Casa Grande, Nova Olinda, Ceará, Brasil)
Projeto de cenografia: Teatro Extremo – Catarina Pé-Curto
Execução de cenografia: Catarina Pé-Curto, Ana Filipa Sabala, Beatriz Mendes, Cláudia Gonçalves e Margarida Pé-Curto

FRANCISCO SOUSA LOBO  (Moçambique, 1973)

Autor Português em Destaque
Melhor Álbum Português – PNBD AmadoraBD 2017

Uma exposição retrospetiva do trabalho de Francisco Sousa Lobo com especial destaque para a obra premiada. Esta é uma obra que afinal são duas, que se resgatam e engrandecem mutuamente sobre um Alentejo moribundo; e a fascinante forma de vida na Cartuxa de Évora, onde alguns monges resistem aos costumes do mundo em absoluto silêncio e solidão. Segundo o autor, este é um pretexto para focar a própria natureza da fé humana, do apego às coisas do mundo, do que nos faz sentido. “Deserto” é composto por uma única narrativa centrada numa semana passada junto a Scala Coeli (escada do céu), que é como se chama a Cartuxa de Évora; é um livro quase jornalístico. “Nuvem” é composto de 20 cartas endereçadas a um monge cartuxo, e pode ser lido como uma resistência contra os extremos que circundam a fé, aquele que sabe que Deus não existe, e o que se contenta com absurdos.

Comissariado: Tiago Baptista
Projeto e execução de cenografia: Carlos Farinha e Sofia Mota

AS MELHORES BDS A DESCOBRIR – PRÉMIOS DOS FESTIVAIS

A exposição dedicada aos melhores dos melhores internacionalmente. Premiados com o Melhor Álbum: Francesco Cattani, representante do Festival NapoliComiCon (Nápoles, Itália) , Krzysztof* Gawronkiewicz [*Christophe] representante do Festiwal Komiksu W Lodzi  (Lodz, Polónia), Marcelo D’Salate representante do Prémio Nacional HQMix (Brasil) e Ulli Lust representante do Comic-Salon Erla – Prémio Nacional HQMix (Brasil).

Coordenação: Nelson Dona (CMA/Festival AmadoraBD, Portugal)

Francesco Cattani (Bolonha, 1980)
“Luna del Mattino”, ed. Coconino Press – Fandango
Autor representante do Festival NapoliComiCon , Nápoles, Itália
Director: Claudio Curzio – Produção: Alina Paola Damiano

Krzysztof* “Prosiak” Owedyk [*Christophe] (Varsóvia, 1971)
“Bedziesz smazyc sie w piekle” [= ±“Vais arder no inferno”], ed. Kultura Gniewu
Autor representante do Festiwal Komiksu W Lodzi , Lodz, Polónia
Director: Adam Radon – Produção: Joanna Birek

Marcelo D’Salete (São Paulo, 1979)
“Angola Janga”, ed. Veneta
Autor representante do Prémio Nacional HQMix, Brasil,
Directores: Jal & Gual (José Alberto Lovreto e Gualberto Costa)
com o especial agradecimento a: Sônia Luyten

Ulli Lust (Viena, 1967)
“Wie ich versuchte, ein gutter Mensch zu sein”, ed. Suhrkamp Verlag
Autora representante do Comic-Salon Erlangen, Alemanha
Director: Birk Bodo – Produção: Christine Auernheimer

PISO -1

ARTUR CORREIA – O RISO COMO VOCAÇÃO (Lisboa, 1932-2018)

No ano em que Artur Correia nos deixou, o AmadoraBD celebra a vida de um homem com uma carreira imensa, cuja personalidade se aliou a uma vocação única: a de fazer rir os outros. Uma exposição que viaja por sete décadas de vida e obra de Artur Correia dedicada a espalhar alegria por via da banda desenhada e também do cinema de animação, no qual foi o mais consistente e premiado pioneiro em Portugal.

Concepção: Nelson Dona e José Eduardo Ferreira
Comissariado: Luís Salvado
Projeto e execução de cenografia: VA Studio: João Martins, João Simões, com Alexandre Guimarães, Giorgia Bagnasco
Gestão de originais e publicações da Bedeteca da Amadora: Lígia Macedo (CMA)
Agradecimentos: Belmira Correia e Arthur J Correia + António Gomes de Almeida, Carlos Gaio (Cinanima, Espinho) Carlos Rico (MouraBD), Cristina Gouveia (CMA), Gastão Travado, João Antunes, José Eduardo Encarnação, Mário Augusto

ÁLVARO (Parede/Cascais, 1970)
Melhor Álbum de Tiras Humorísticas – PNBD AmadoraBD 2017
“Conversas com os Putos” – ed. Polvo

Exposição retrospetiva do autor, com destaque para o livro premiado Conversas com os Putos, uma edição da Polvo, galardoada como o Melhor Álbum de Tiras Humorísticas em 2017. Nesta exposição pretende-se dar a conhecer o processo criativo do autor, integrando desenhos nas suas várias fases de elaboração, a lápis, passados a tinta, pintados com ecoline ou finalizados digitalmente. Considerando a presença auto-representativa transversal do autor nos seus livros, ao longo dos anos, a sua figura surge na exposição marcando a cronologia do percurso expositivo. A possibilidade de interação dos públicos com a sua obra existe desde a publicação do seu primeiro álbum, em 1998, em que, logo na página inicial, existe a seguinte indicação: “Elogios, comentários, críticas ou insultos remeta-os para: Álvaro, Apartado 269, 2775 Carcavelos”. Esta interação continua agora, por via digital, e é integrada na exposição através de um dispositivo que permite ao público comentar o trabalho do autor e a própria exposição.

Comissariado:  Luísa Baeta e Álvaro Santos
Projeto e execução de cenografia: Rui Mecha e Claudia Gaudêncio

AMANDA BAEZA (Viña del Mar, Chile, 1990)

Melhor Desenho Para Álbum Português – PNBD AmadoraBD 2017
“Bruma”, ed. Chili com Carne

Amanda Baeza nasceu em Lisboa, em 1990, cresceu no Chile e regressou a Portugal com 10 anos.  Talvez seja por ter crescido entre dois hemisférios que haja quem diga que os seus desenhos vêm de outro mundo. No entanto, sabemos que as suas bandas desenhadas se baseiam em eventos e sentimentos reais.  O seu grafismo tem tanto de assertivo como de mutante e é na fusão com as palavras que nos surgem estas originais narrativas e poesias visuais. Baeza reside atualmente em Lisboa e desde 2012 que trabalha para várias publicações internacionais. Bruma, livro que compila quase duas dezenas de histórias, a maior parte delas inéditas em Portugal, foi editado pela Chili Com Carne. O livro foi distinguido com o Prémio de Melhor Desenho para Álbum Português do Festival de BD da Amadora 2017

Comissariado: Luísa Baeta e Marcos Farrajota
Projeto e execução de cenografia: Sebastião Soares

NÁDIA (Lisboa, 1985) E TIAGO ALBUQUERQUE (Lisboa, 1982)

Prémio de Melhor ilustrador – PNBD AmadoraBD 2017
“Sou o Lince-Ibérico”, ed. INCM – Imprensa Nacional Casa da Moeda

Nádia divide-se entre a ilustração, a animação e o design: desenha cartazes e colabora com várias revistas e jornais. Trabalha frequentemente para agências de publicidade e cinema de animação, com o apoio à produção da Animanostra. Já Tiago, para além da ilustração, investe na animação, banda desenhada e em projetos musicais. Colabora com diversos jornais e revistas nacionais e ilustra também para livros e capas de discos. Em conjunto ilustraram o livro premiado, aqui em destaque. No 29º Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora fazemos uma retrospectiva dos autores, com foco na ilustração e a sua versatilidade em termos profissionais, integrando conteúdos das outras áreas artísticas a que se dedicam: animação, filmes institucionais, murais, publicidade, etc.

Projeto e execução de cenografia: VA Studio: João Martins, João Simões, com
Alexandre Guimarães, Giorgia Bagnasco + Nádia e Tiago Albuquerque

DN DESENHADO

Uma edição especial ilustrada que resultou de uma iniciativa do Diário de Notícias em colaboração com o AMADORA BD. Em exposição no 29ºFestival Internacional de Banda Desenhada estarão as ilustrações dos autores participantes: Álvaro, Amanda Baeza, André Coelho, André Letria, Cristina Sampaio , João Maio Pinto, Luis Louro, Nuno Saraiva, Osvaldo Medina, Pedro Massano, Pê (Pedro Ribeiro Ferreira), Ricardo Cabral, Richard Câmara e Rui Pimentel. Contaremos ainda com uma oficina, por parte da Associação Cultural Circuito Explosivo, de como se faz uma ilustração editorial jornalística.

Comissariado e escolha de ilustradores: Nelson Dona (CMA) + Pedro Fernandes (DN)
Cenografia, projecto de oficina e animação: Assoc. Cult. Circuito Explosivo – Aida Pontes

LEMBRE-SE, O METRO É DE TODOS

O Metropolitano de Lisboa aderiu à Semana Europeia da Mobilidade e lançou recentemente uma nova campanha com o nome “Lembre-se, o Metro é de todos”. Esta campanha utiliza a linguagem da Banda Desenhada para partilhar um conjunto de comportamentos e boas práticas de forma a promover o bom funcionamento dos serviços e dos equipamentos do Metro.

Produção: Metropolitano de Lisboa – Ana Costa e Vera Mendes
Design: Agência Gata

MARIA E SALAZAR

Robin Walter (Paris, 1979) ed. Polvo

Robin Walter nasceu em 1979 na região de Paris.

Em pequeno tinha um gosto especial em redesenhar as aventuras dos seus heróis favoritos, saídos das animações japonesas da época, como Dragon Ball ou os Cavaleiros do Zodíaco. Nos muitos fanzines que começou a fazer regularmente e que propunha apenas ao seu irmão mais novo, rapidamente descobre o desejo de contar as suas próprias histórias. Maria e Salazar é a obra de Robin Walter que descreve de forma precisa como foi a mais longa ditadura da história moderna da Europa ocidental e a imigração portuguesa, em massa, que daí resultou. Com base nas suas memórias o autor narra o momento da despedida de Maria, a sua empregada durante mais de trinta anos, após a venda da casa familiar de Champigny-sur-Marne, pelos seus pais. Que irá agora Maria fazer, ela que foi de Portugal para França com o seu marido há algumas décadas, como milhares de compatriotas, fugindo assim ao regime de Salazar?

Projeto e execução de cenografia: Teresa Cardoso

WATCHERS branco vs vermelho

Luís Louro (Lisboa, 1965) ed. Asa/Leya

Com um argumento que nos leva a explorar as profundezas da consciência humana, Watchers é um retrato do estado da nossa sociedade e a refletir sobre as nossas prioridades. Esta é a história do Sentinel, um utilizador da plataforma online People Watching que, tal como os outros, é um Watcher mas não um Watcher como…os outros. Numa demanda para estar sempre no topo, acaba por entrar numa onda de crimes, dando azo a perseguição policial, ao nascimento de cultos, de haters, num caminho alucinante e sem regresso… Característica distintiva do novo álbum de Luis Louro é o facto de, provavelmente pela primeira vez na história da Banda Desenhada, ser publicada uma edição com duas versões diferentes: a “vermelha” e a “branca”, cada uma com um final distinto. Dito de outra forma: uma história surpreendente com dois finais possíveis à escolha do leitor!

Projeto e Execução de cenografia: Teatro Extremo – Catarina Pé-Curto (coord.) com Ana Filipa Sabala, Andreia Egas, Beatriz Mendes, Cláudia Gonçalves e Margarida Pé-Curto

ANO EDITORIAL PORTUGUÊS 2017-2018:

A exposição do Ano Editorial pretende celebrar uma vez mais a multiplicidade do ato da leitura. Ainda que esta seja uma atividade que se justifica por si mesma, enquanto ato de perceção, cognição e de prazer, quando se abre um livro é sempre possível identificar vários caminhos. Os núcleos que esta exposição pretende mostrar são apenas alguns desses caminhos por entre os livros ilustrados e de banda desenhada que foram publicados no último ano editorial de 2017-2018

Comissariado: Pedro Moura e Silvia Silva
Cenografia e Design Gráfico: Teresa Aguiar

CONCURSO NACIONAL DE BANDA DESENHADA E CONCURSO MUNICIPAL DE ILUSTRAÇÃO

Os concursos de Banda Desenhada e Ilustração de 2018 são promovidos pela Câmara Municipal da Amadora e pretendem incentivar a veia artística dos amantes da banda desenhada. Este ano o tema foi livre e abrimos as portas aos seguintes escalões para o Concurso Nacional:

Escalão A (dos 17 aos 30 anos); Escalão B (dos 12 aos 16 anos); Escalão A+ (a partir dos 31 anos). Já para o Concurso Municipal as inscrições foram abertas ao 1º e 2º ciclo EB.

PROGRAMAÇÃO PARALELA

Para além do núcleo central de programação no Fórum Luís de Camões, existem outros espaços de programação de acesso gratuito.

Cinema Ideal – 8 Novembro
Estreia do filme “Mais um dia de vida” de Raúl de la Fuente e Damian Nenow

Fnac de Alfragide – C.C. Alegro – 10 de Novembro
Dia do Festival de Banda Desenhada na Amadora

Galeria Municipal Artur Bual – Casa Aprígio Gomes – 27 Outubro – 18 Novembro
Gente da Amadora – História e memória ilustradas
3ª a Sábado: 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00
Domingo: 14h00 às 18h00
Entrada Gratuita

Núcleo Autores Brasileiros no Chiado, Lisboa
A visitar: Casa do Brasil, Centro Nacional de Cultura, Chiado Vintage (loja), Fábrica Features (loja) e Ponto das Artes (loja).

Recreios da Amadora
Cerimónia de Entrega dos Prémios Nacionais de Banda Desenhada 2018
Dia 3 de Novembro às 16h00 e às 19h00

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.