Quando:
29/06/2017@9:00_01/07/2017@18:00
2017-06-29T09:00:00+01:00
2017-07-01T18:00:00+01:00
Onde:
Fundação INATEL de Braga
Av. Central 77
4710-308 Braga
Portugal
Custo:
Grátis

ATUALIZAÇÃO: A exposição foi encerrada no primeiro fim de semana de julho por défice de condições estruturais do local.

Miguel de Cervantes teve uma vida tão apaixonante como pouco conhecida. Foi espião de Felipe II, trabalhou para a Igreja quando se acreditava que tinha sangue judeu, viveu um assalto pirata em alto mar, esteve preso, foi cobrador de impostos, também marido de presença intermitente, viajante incansável… Teve uma vida tão surpreendente que podia ter sido o melhor personagem dos seus romances. Porém, o seu grande êxito, O Quixote, eclipsou o seu criador e uma aura de mistério rodeou sempre a sua existência.

Felizmente, Miguel fala-nos através da boca dos seus personagens. As suas opiniões para com a sociedade, o amor, a família ou a educação respiram-se por trás dos seus textos. Olha-nos dos bastidores das suas obras. E a exposição Miguel EN Cervantes tem como objetivo dar a conhecer esse apaixonante personagem que foi Miguel e fazê-lo através da releitura de uma das suas obras de teatro: O retábulo das maravilhas. Esta, que mistura ficção e realidade, converte-se na viagem perfeita para mostrar as ligações que existem entre esta obra e a biografia do escritor.

Miguel EN Cervantes pretende aproximar o personagem de Miguel de Cervantes dos leitores contemporâneos quando se comemora o IV centenário da morte do escritor, em 2016. E fá-lo através de uma linguagem que atravessou todos os tempos: o da imagem. Dois dos mais destacados desenhistas e cartunistas espanhóis, David Rubín e Miguelanxo Prado, são os encarregados de gerar, através de duas linguagens gráficas e narrativas diferentes, um potente diálogo entre o cómico e a ilustração, entre O retábulo das maravilhas e as cenas mais apaixonantes da vida de Cervantes.

Prado delineia com uma linguagem realista o físico do escritor e a sua trajetória vital, recriando os escassos dados certos sobre a sua biografia e as teorias e conspirações que giram à volta da personagem, enquanto que Rubín transfere a ação de O retábulo a vinhetas e põe rosto nos seus personagens. O resultado é um diálogo artístico que convida o espetador a criar a sua própria imagem desse grande aventureiro e génio que foi Miguel de Cervantes, do qual não se conserva nem uma única imagem oficial nem uma única obra manuscrita. Mas do qual, felizmente, podemos seguir resgatando obras e recriando imagens.

Atividade celebrada por motivo do 400 Cervantes, IV Aniversário da morte de Miguel de Cervantes, no âmbito do VII Congreso sobre la Enseñanza del Españolen Portugal organizado pela Conselheria de Educação da Embaixada de Espanha em Portugal e a Universidade do Minho.

Eis um vídeo sobre a exposição aquando em Madrid: