Tungstenio_capaTungsténio de Marcello Quintanilha é outra das obras editadas pela chancela Polvo da Rui Brito edições que pertence à coleção Romance Gráfico Brasileiro, coleção esta que conta já com 9 obras publicadas no nosso país.

Este álbum integrou a nossa pequena listagem das melhores leituras de julho, tendo nós apreciado a estruturação a nível do argumento, o que permitiu uma narrativa coesa, apesar da ação ter lugar simultaneamente em localizações distintas. Com um piscar de olho ao género policial brasileiro (o que menos nos interessou, há que confessar), o autor habilmente evitou o advento de um facilitismo, que a certa altura se começa a temer, na conclusão da obra. Uma obra que, em parte devido aos desenhos, evocou as memórias que tenho de Salvador, cidade ainda hoje frequentemente designada pelos portugueses pelo arcaico São Salvador da Bahia.

Eis a sinopse da editora:
Em “Tungsténio”, Marcello Quintanilha foca o olhar em São Salvador da Baía e conta-nos, em paralelo, os dramas de um sargento reformado do exército, saudoso dos tempos de caserna, os esquemas de um jovem traficante e os momentos difíceis do casamento de um polícia sem escrúpulos e da sua mulher. Como fio condutor da acção temos um crime ambiental nos arredores da cidade, onde se pesca recorrendo a explosivos. Sem deixar de lado o lirismo, Quintanilha – considerado como o grande cronista da banda desenhada brasileira – investe uma boa dose de suspense e acção neste vibrante e surpreendente trabalho, que foi louvado pela crítica como um dos melhores álbuns editados em 2014 no Brasil.
MARCELLO QUINTANILHA (Niterói, Brasil, 1971) começou, ainda adolescente, por desenhar histórias sobre artes marciais, sob o pseudónimo de Marcello Gáu. Aos 18 anos ingressa como animador numa escola de inglês. Paralelamente, desenvolve uma série de projetos pessoais. Foi quando passou a colaborar com as revistas “General” e “General Visão”, “Nervos de Aço”, “Metal Pesado”, “Zé Pereira” e “Heavy Metal”. A sua primeira “graphic novel”, “Fealdade de Fabiano Gorilla”, foi publicada em 1999 pela Conrad (Brasil) e era baseada na vida do seu pai, que foi jogador de futebol de várias equipes da sua cidade natal na década de 1950. Em 2003, publicou “La promesse”, primeiro volume da série “Sept balles pour Oxford”, pela Lombard (Bélgica), com argumento do argentino Jorge Zentner e do espanhol Montecarlo. Vive em Barcelona desde 2002. Ilustrações suas surgem desde então nos jornais espanhóis “El País” e “Vanguardia”. Ao mesmo tempo, continuou a produzir álbuns para o público brasileiro. Em 2005 foi dado à estampa “Salvador”, na Casa 21. Seguiram-se “Sábado dos meus amores” (2009, Troféu HQ Mix de Melhor Desenhista Nacional) e “Almas públicas” (2011), ambos pela Conrad. “Tungstênio” (Veneta) viu a luz do dia em 2014, no Brasil, estando já igualmente editado em Portugal, Espanha e, em breve, França.

Formato 165 x 230 mm
Páginas 184
ISBN 978-989-8513-40-3
PVP (IVA incluído) 14,99 euros

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.