A série Uma Aventura é um caso de sucesso nacional no que toca à literatura infantojuvenil do género de aventura das últimas décadas. Iniciou-se em 1982, numa altura em que as crianças portuguesas ainda devoravam as coleções de Enid Blyton, apesar destas aventuras britânicas terem sido escritas muitas décadas antes, sendo algumas das mais populares Os Cinco (The Famous Five, 1942-1963), Os Sete (Secret Seven, 1949-1963), O Mistério (The Mistery, 1943-1961) – publicadas, na altura, pela Editorial Notícias – e A Aventura (The Adventure, 1944-1955) – editada, na altura, pelas Publicações Dom Quixote. Em comum, tinham o facto de se te tratarem de aventuras de um grupo de crianças ou jovens e um ou outro animal de estimação (frequentemente, cães, mas na série A Aventura uma catatua) que resolvem sozinhos os mais diversos mistérios (quase) policiais.

Havia mercado para a voracidade dos fãs do género de aventuras infantojuvenis escritas por Enid Blyton e a Editorial Notícias editou inclusivamente os livros franceses d’ Os Cinco escritos por Claude Voilier, com ilustrações no formato de banda desenhada da autoria de Jean Sidobre (aka Georges Lévis), bem como os d’ Os Sete escritos por Evelyne Lallemand com BD de Robert Bressy.

A série portuguesa Uma Aventura escrita por Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada e editada pela Caminho partiu de todo este contexto com um travo luso, com um grupo de personagens constituído por cinco jovens e dois cães. Inclusivamente, Teresa e Luísa são gémeas, relembrando outra famosa série enidblytoniana publicada na altura pela Editorial Notícias, As Gémeas (St. Clare’s, 1941-1945).

Com o primeiro livro lançado pelas então professoras de Português do 5.º e 6.º anos, teve lugar uma grande produtividade inicial por parte das estreantes autoras, com 3 a 4 volumes a serem lançados anualmente nos primeiros anos, tendo atingindo muitos destes livros iniciais a marca de mais de 15 edições. Apesar do ritmo ter abrandado nos últimos 15 anos, tem vindo a ser editado, pelo menos, um livro todos os anos. O sucesso da série não se fez esperar, não só devido aos leitores do género, mas também à promoção da série em meio escolar, com um conjunto de diversas atividades, desde concursos de escrita a visitas às escolas.

Quanto às ilustrações da série, são da autoria de Arlindo Fagundes, que definiram deste modo as feições dos protagonistas, cuja originalidade as quatro temporadas televisivas (2000, 2001, 2004-5 e 2007) com 3 elencos diferentes e a longa-metragem cinematográfica (2009) com novo elenco certamente não apagaram. Arlindo Fagundes é inclusivamente autor de banda desenhada, utilizando com mestria os mais diferentes planos ou não fosse Fagundes também realizador de cinema (além de se dedicar à cerâmica, escultura, artes gráficas e design gráfico…) com BD publicadas em revistas/zines (Mosquito 2.ª série, Quadradinho, Quadrado 2.ª série) e álbuns – La Chavalita (Caminho, 1985) e o premiado A Rapariga do Poço da Morte (Caminho, 2003), protagonizados por Pitanga, personagem que foi alvo de várias exposições no país e teve direito a comparecer numa edição especial de selos dos CTT. Curiosamente, o traço das histórias de Pitanga é extremamente semelhante ao utilizado na série Uma Aventura, estando inclusivamente presentes nas ilustrações de Uma Aventura os balões de fala.

Uma Aventura na Madeira é o volume mais recente, que deste modo atinge o n.º 58. Com uma linguagem e uma narrativa simples, adaptada ao público-alvo da série, Teresa, Luísa, Pedro, João e Chico – desta feita sem os cães Caracol e Faial –  vivem a sua primeira aventura na Ilha da Madeira, estando a narrativa intercalada por curtas descrições turísticas que poderão motivar os leitores a quererem também eles visitar a ilha. É apresentado um personagem, Benjamin, que, dado residir no Reino Unido, pode inclusivamente vir um dia a retornar à série numa viagem que os protagonistas, conhecidos viajantes, lá façam.

Trinta e quatro anos volvidos, como é característico deste tipo de publicações, os personagens permanecem intemporais, enquanto a realidade se adapta e atualiza com as tecnologias vigentes, inexistentes na altura da sua criação (smartphones, tablets…).

No final do volume, as autoras descrevem a sua viagem de investigação à Madeira, com fotografias dos locais onde a ação se desenrola. Muito sucedeu desde o início da série, tendo as autoras sido recebidas com pompa e circunstância pela comunidade escolar, autarcas, grupos folclóricos, membros do clero e profissionais dos media. Afinal, era a vez da Madeira finalmente figurar na coleção. O anunciado n.º 59 terá lugar em Conímbriga.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:
Os personagens já nossos conhecidos viajam até à ilha da Madeira a fim de participar nuns campeonatos desportivos. O certo é que, numa das visitas aos maravilhosos lugares da Madeira, os nossos amigos dão com uns papéis que caíram de uma mota que se deslocava a grande velocidade. Ora, nesses papéis, podia depreender-se que se tratava de um mapa para um tesouro algures  escondido. Se juntarmos a isso uns carteiristas e o Benjamim, que anda na ilha a procurar os ingredientes secretos para fazer o elixir do amor, logo pensamos que, por certo, vai haver uma Aventura na Madeira. 

Uma Aventura na Madeira
Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
Ilustrações: Arlindo Fagundes
Coleção: Uma Aventura n.º 58
Número de Páginas: 232
Editora: Caminho
Dimensões: 18.0 x 1.2 x 12.0 mm
ISBN: 9789722127851
Tiragem: 15000 exemplares

nota: imagens cedida pela editora.

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.