vencedores_spa2016A Palavra Perdida de Inês Fonseca Santos e Marta Madureira, foi considerado pelo júri do Prémio Sociedade Portuguesa de Autores 2016 (Rita Pimenta, Manuel Frias Martins e Luísa Mellid Franco) o melhor livro infanto-juvenil do ano.

premioA cerimónia de entrega do Prémio Autores 2016, teve lugar no na Sala Garret no Teatro Nacional D. Maria II, no passado dia 22 de março de 2016, com transmissão em directo pela RTP2. Entre as diversas categorias abrangidas, uma delas dedica-se à Literatura Infantojuvenil, que galardoou o supramencionado livro editado pela Arranha-Céus.

MELHOR LIVRO INFANTO-JUVENIL
“A Palavra Perdida” de Inês Fonseca Santos e Ilustração de Marta Madureira
Editora: Arranha- Céus

Este é o primeiro livro para a infância e juventude de Inês Fonseca Santos, que encontrou em Marta Madureira a intérprete certa para acompanhar com imagens desafiantes esta pequena viagem de descoberta da linguagem. Quase sem querer, o narrador descobre a importância das palavras para com elas descobrir o mundo e nomear as suas «partes»: as ruas, as casas, a família. O ritmo poético da narrativa vai sendo ilustrado, de modo quase abstracto, mas orgânico, por um conjunto de pequenas peças que nos ajudarão a compor, como num jogo, um destino. Para o Manuel personagem, mas também para nós seus leitores-parceiros.

Eis a sinopse desta obra destinada a leitores iniciais:
apalavraperdidaO Manuel perdeu uma palavra. Confirmou nos bolsos, onde costuma carregar palavras, passeá-las, e faltava-lhe uma. Não sabe exactamente que palavra é. Ou que palavra era. Ou que palavra foi. Pede ajuda aos amigos e aos primos. Para saber que palavras ainda guarda nos bolsos (que é como quem diz: no coração e debaixo da língua), tem que descobrir a palavra perdida. Terá?

INÊS FONSECA SANTOS (Lisboa, 1979) é jornalista e escritora. Tirou o curso de Direito (Faculdade de Direito de Lisboa) e fez o mestrado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea (Faculdade de Letras de Lisboa). Na televisão, trabalhou como jornalista nos programas Sociedade das Belas Artes, Laboratório (ambos da SIC Notícias), Câmara Clara e Diário Câmara Clara (ambos da RTP 2), do qual foi editora e apresentadora. Foi ainda responsável pelos conteúdos editoriais da série documental Tradições – Retalhos da Vida de um Povo (SIC Notícias). Escreveu os livros de poesia As Coisas e A Habitação de Jonas (ambos da Abysmo). Escreveu ainda para o Prontuário do Riso (Tinta-da-China) e colaborou com várias revistas: Ficções, Relâmpago, Textos e Pretextos, Elle, entre outras. Textos seus figuram em antologias portuguesas e estrangeiras. Na Casa Fernando Pessoa, coordenou o ciclo Humor de Pessoa (2013) e, ao longo de 2014, é responsável, com Filipa Leal, pelos debates Os Espaços em Volta. Mantém o blogue PIM!, onde escreve sobre criações para a infância.

MARTA MADUREIRA (Porto, 1977) é designer de comunicação e ilustradora, disciplinas que lecciona no Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, na licenciatura de Design Gráfico e no mestrado de Ilustração e Animação. Foi distinguida com alguns prémios relevantes dentro da sua área, entre os quais: Jovens Criadores Bienal de Nápoles, Itália 2005; Menção especial Prémio Nacional de Ilustração 2010; Menção especial Prémio Nacional de Ilustração 2011; 1o prémio – 3×3 Magazine of Contemporary Illustration 2012. Conta com cerca de 20 livros ilustrados com textos de Álvaro Magalhães, Vergílio Alberto Vieira, Manuel António Pina, Adélia Carvalho, José Vaz, Ana Luísa Amaral, entre outros. Autora e realizadora da série de animação As Máquinas de Maria financiada pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual. Fundou, com Adélia Carvalho, a editora Tcharan.app

A Palavra Perdida
Inês Fonseca Santos & Marta Madureira
Formato: 15 x 20 cm
Páginas: 38 + guardas
Apresentação: capa dura
ISBN: 978-989-98056-9-9
PVP: 13,00€

nota: imagens cedidas pela editora.