ca_capaA quarta revista da Coleção Banda Desenhada distribuída com a revista Visão é uma reprodução da revista Cavaleiro Andante #510, originalmente publicada em 7 de outubro de 1961, propriedade da ENP – Empresa Nacional de Publicidade e tendo como diretor o escritor Adolfo Simões Müller.

A reprodução apresenta, tais como as restantes da coleção da Visão, o formato de 19×26 cm, equivalente ao original da primeira fase da Cavaleiro Andante mas  menor do que o da segunda fase da revista, a que o #510 pertence (aproximadamente, 21×29,5 cm).

Na presente revista, a capa dá destaque à BD O Sol Negro de João Valente (o aportuguesado detetive Jean Valhardi),  com uma chamada de atenção para Asterix (na altura, não acentuado), O Guerreiro Gaulês.

Adolfo Simões Müller prossegue neste número com algumas das BD interrompidas na Foguetão (maio a julho de 1961), com o cancelamento daquele periódico.

O Sol Negro, com argumento e desenhos de Jijé, foi publicado em álbum pela Dupuis em 1958, com uma capa idêntica à deste Cavaleiro Andante #510. Originalmente, tratava-se da sexta BD de Les Aventures de Jean Valhardi, uma série belga criada em 1941 por Jean Doisy (argumento) e o próprio Jijé (desenho) para o #40 de Spirou. Os leitores portugueses já tinham podido ler algumas das aventuras deste detetive tornado português na própria revista Cavaleiro Andante, sendo esta segunda fase de O Sol Negro (pós-Foguetão) publicada em 14 partes, nos #510-523. Metade das pranchas são publicadas a cores e metade a preto e branco. Seria a última BD de Valente publicada no semanário juvenil Cavaleiro Andante.

Idêntico tratamento teve a primeira aventura de Astérix. A segunda fase (pós-Foguetão) de Asterix, O Guerreiro Gaulês de Goscinny e Uderzo foi publicada em 16 partes, nos #510-525. Metade das pranchas são publicadas a cores e metade a preto e branco. O nascimento da série Astérix, o Gaulês está interligado com a criação do periódico infantojuvenil francês Pilote, dos quais os autores de Astérix são cofundadores. A série foi inicialmente publicada em Pilote entre 1959 e 1973 (e entre 1974 e 1979 em diferentes publicações, nomeadamente Le Monde, Sud Ouest ou Le Nouvel Observateur), sendo paralelamente publicada em álbuns pela Dargaud, com o primeiro tomo a ser publicado em 1961.

Em Portugal, as seguintes BD de Valente e Asterix seriam publicadas em Zorro.

A única BD completa ocupa 6 páginas, sendo metade coloridas e metade a preto e branco. Intitula-se Robert-Houdin, o rei da magia e é uma pequena biografia sobre Jean Eugène Robert-Houdin (1805-1871), ilusionista francês.

As restantes BD em publicação neste número são:
– Tony e Mimi (Pom et Teddy, no original): Alarme em Hollywood de François Craenhals (32.ª e penúltima parte, a cores): série originalmente publicada na revista belga Tintin; esta sua 4.ª aventura foi compilada em álbum pela Le Lombard em 1961.
– Blake & Mortimer: Armadilha Diabólica de E. P. Jacobs (7.ª de 31 partes, a cores e a preto e branco).
– Lili, Hospedeira do Ar (Liliane, hôtesse de l’air) de Marijac (argumento) e Christian Mathelot (desenho) (16.ª e última parte, a cores): série originalmente publicada entre 1954 e 1958 na revista francesa Mireille.
O Agressor Desconhecido (16.ª e última parte publicada, a preto e branco; autor não identificado).

Na página 2 encontram-se ainda 3 cartoons de autores diferentes, bem como 3 artigos ilustrados sobre curiosidades diversas – lâmpadas, relâmpagos e plantas carnívoras.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis a sinopse da editora:
Os leitores mais jovens foram grandes apreciadores desta revista. Era dirigida por Adolfo Simões Müller, um grande escritor de livros infantis e excecional diretor de revistas de Banda Desenhada, pois já se tinha ocupado dos destinos d’O Papagaio (onde por sua iniciativa apresentou pela primeira vez as aventuras de Tintin a cores, o que até aí não tinha acontecido a nível mundial em qualquer outra revista) e do Diabrete. Simões Müller foi também quem apresentou pela primeira vez no nosso país as aventuras de Lucky Luke e Astérix, além de outras personagens célebres. Esta publicação teve 556 números, editados entre os anos de 1952 e 1962. O formato foi sempre o A4, com um ligeiro aumento do tamanho a partir do número 327.

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.