BD² – Base de Dados de Banda Desenhada

DC Vertigo

Atividade: 1993 – presente
Filiação: DC Comics
Sede: Nova Iorque, EUA
Anterior designação: Vertigo Comics

DC Vertigo é uma chancela da editora norte-americana de banda desenhada, inicialmente designada por Vertigo Comics. Foi criada em 1993 com o objetivo de publicar BD que não estivesse sujeita ao Comics Code Authority, o que permitia à editora publicar banda desenhada em que fosse explícita a violência, sexualidade, calão e outras tópicos controversos. Se inicialmente tanto eram publicadas BD com direitos autorais detidos pela editora e outras BD com os mesmos detidos pelos seus autores, ultimamente tem-se focado neste últimos. Nos EUA, foi pioneira em coligir sistematicamente em livros as BD publicadas nas revistas, os quais são reimpressos de modo a manter as BD disponíveis nesse formato. Muitas bandas desenhadas publicadas pela Vertigo foram agraciadas com prémios e adaptadas para o cinema e televisão.

Esta chancela foi fundada por Karen Berger, uma antiga estudante de literatura e história de arte que se encontrava a trabalhar para a DC Comics desde 1979, inicialmente como editora assistente. Na década de 80 do século passado, Berger era editora das revistas Wonder Woman e Amethyst, Princess of Gemworld, tendo começado a recrutar argumentistas britânicos como Neil Gaiman, Jamie Delano, Peter Milligan e Grant Morrison para escreverem bandas desenhadas para a DC Comics, dado a sua escrita ser mais sensível, mais complexa e menos infantil do que a habitualmente publicada nas revistas dos super-heróis da DC. Com eles e com Alan Moore (que já tinha sido contratado por Len Wein), trabalhou em revistas de super-heróis / ficção científica que era sugeridas para “leitores maduros”: Animal Man (Homem-Animal), Doom Patrol vol. 2 (Patrulha do Destino), Shade the Changing Man vol. 2 (Shade, o Homem Mutável); Kid Eternity (Kid Eternidade), Black Orchid (Orquídea Negra), The Books of MagicThe Sandman vol. 2, Hellblazer e The Saga of the Swamp Thing. A sofisticação destas revistas refletiu-se no apreço da crítica e público, tendo a DC incumbido Berger de criar uma chancela onde fosse incluída este tipo de banda desenhada inovadora. Paralelamente, algumas das séries que seriam publicadas sob uma chancela da Disney Comics que se denominaria Touchmark Comics mas que entretanto tinha sido cancelada, numa parceria com a DC Comics, transitaram para a chancela Vertigo: EnigmaSebastian OMercy e Shadows Fall (Ao Cair das Sombras).

A Vertigo foi lançada em janeiro de 1993 com um catálogo constituído por uma mistura de séries em continuação previamente existentes, novas séries, novas minisséries, compilações de um único volume e one-shots. As séries já existentes que fizeram a transição para a chancela foram Shade the Changing Man (a partir do #33), The Sandman (#47), Hellblazer (#63), Animal Man (#57), Swamp Thing (#129) e Doom Patrol (#64). O primeiro título novo foi a minissérie Death: The High Cost of Living (Morte: O Alto Custo da Vida) e o segundo a série limitada Enigma. Seguiu-se a série Sandman: Mystery Theatre e o one-shot Mercy. Nos meses seguintes, estrearam-se, entre outras BD, a nova série de Kid Eternity, Sebastian O, Jonah Hex: Two-Gun Mojo,Black Orchid, o crossover The Children’s Crusade e a nova série de The Books of Magic.

Posteriormente, trabalhos que foram originalmente publicados pela DC Comics e outras chancelas que entretanto tinham desaparecido (como a Helix e a Paradox Press) e que se enquadravam na linha editoral da Vertigo, passaram a ser republicados sob esta chancela. Para além do material dos primeiros números das séries da DC que transacionaram para a Vertigo, tal abrangeu, por exemplo, as BD V for Vendetta (V de Vingança),Transmetropolitan e A History of Violence.

À medida que as séries chegavam ao seu fim natural ou eram canceladas, eram substituídas por outras, como The Dreaming (O Reino dos Sonhos), The Sandman Presents (Sandman Apresenta), The Invisibles (Os Invisíveis), Preacher, 100 Bullets (100 Balas), Lucifer, Y: The Last Man (Y: O Último Homem), DMZ ou Fables (Fábulas) e os seus spin-offs.

Ao longo da sua história, a Vertigo lançou diversas subchancelas, nomeadamente Vertigo Visions, Vertigo Voices, Vertigo Vérité, V2K, Vertigo Pop!, Vertigo X e Vertigo Crime.

Em dezembro de 2012, Berger anunciou que deixaria de trabalhar na DC em março de 2013. O seu cargo foi ocupado por Shelly Bond, que trabalhava na Vertigo desde o segundo mês da sua fundação. No entanto, em 2016, a DC reformulou internamente a Vertigo, eliminado esse cargo, tendo passado a supervisão da Vertigo para o editor Jamie S. Rich, antes de Mark Doyle se tornar o novo editor em maio de 2017.

Em 2018, a DC realizou um relançamento da Vertigo, alterando inclusivamente a sua designação para DC Vertigo. Deste relançamentos fazer parte 4 séries baseadas em SandmanBooks of Magic, The Dreaming, House of Whisperers e Lucifer. Paralelamente, iniciaram-se novas séries mensais.

Séries publicadas em Portugal

O Bandas Desenhadas está atualmente a elaborar a base de dados referentes ao ano corrente. Está interessado em colaborar com a BD² quanto aos anos anteriores? Envie-nos os dados e dar-lhe-emos crédito pela sua colaboração.

Início | Autores | Editoras Nacionais | Editoras Originais | Séries de BD

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.