Poderá a ciência vencer a morte? Em caso afirmativo, a que preço?

Stefan Wul, pseudónimo do francês Pierre Pairault (1922-2003), que também assinava com o pseudónimo Lionel Hudson, tem tido vários dos seus romances adaptados à banda desenhada no mercado franco-belga. A primeira vez que tal sucedeu foi com o seu romance de ficção científica de 1957 Niourk (publicado em Portugal em 1960 com o título Pré-História do Futuro pela editora Livros do Brasil na sua icónica série Argonauta).

A adaptação de Niourk aos três tomos banda desenhada foi realizada por Olivier Vatine, responsável pelo argumento e ilustração dos mesmos. Foi o início da série Les univers de Stefan Wul, editada pela Ankama, com álbuns produzidos por diferentes autores, entre 2012 e 2016.

Em 2018, a série passou a ser editada pela Comix Buro, em parceria com a Glénat, sendo o primeiro volume publicado após a mudança de editora A Morte Viva, com o regresso de Vatine à série enquanto autor, apesar de, desta feita, somente com o argumento, estando as ilustrações a cargo do português Alberto Varanda.

Quanto ao romance de ficção científica La Mort Vivante, tinha sido publicado em França em 1958, conhecendo edição portuguesa em 1966 com o título O Império dos Mutantes, novamente na série Argonauta da Livros do Brasil.

No mercado franco-belga, a banda desenhada A Morte Viva teve direito a uma edição a cores (aplicadas por Vatine e Isabelle Rabarot) e outra a preto e branco, acrescentada de 16 páginas de esboços. A edição portuguesa conta com a capa desta edição especial, sendo ainda enriquecida com o caderno gráfico nela publicado.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Eis ainda 2 páginas retiradas da edição francesa a preto e branco:

Eis a sinopse da editora:

Joachim, um jovem cientista que em Marte efectua pesquisas proibidas, é raptado por uma poderosa e misteriosa mulher enclausurada na antiga Terra: Martha. Para se refazer do drama que há meses a perturba, esta ordena-lhe o impossível: que ressuscite a filha, Lisa, a qual, durante umas escavações arqueológicas, deu uma queda mortal. Joachim, que vê nisso uma oportunidade de continuar as suas pesquisas em total liberdade, aceita esse papel de pai criador. Depois de conseguir reunir o material necessário, lança-se então nessa experiência que poderá ser irreversível. Porque não é impunemente que se dá vida à Morte…
Com esta narrativa, Alberto Varanda está de regresso assinando aquela que é provavelmente a sua maior obra-prima gráfica. Sobre um argumento e um story-board de Olivier Vatine, Varanda realiza um trabalho simultaneamente épico e extremamente minucioso, evocando tanto as gravuras de Gustave Doré, como Júlio Verne, Lovecraft ou Schuiten!
A edição portuguesa, a cargo da Ala dos Livros, inclui o caderno gráfico a preto e branco que foi objecto de publicação na edição de luxo da Comix Buro, permitindo dar uma outra ideia da dimensão do trabalho dos autores.

Olivier Vatine nasceu em 1959 no Havre. Ilustrador de publicidade, criador de décors para animação, realizador de story-boards para cinema, inicia a sua carreira na banda desenhada em 1984 com Les Aventures de Fred e Bob, a que se segue Stan Pulsar, tendo alcançado o êxito em 1988, com Aquablue (cujo primeiro volume foi publicado em Portugal pela Asa), uma das maiores séries francesas contemporâneas. Seguir-se-ão Star Wars, Adios Palomita, Angela e Tao Bang (tendo o primeiro volume desta última série sido editado em Portugal pela Meribérica/Liber). Criou e codirigiu com Fred Blanchard, até 2007 e também na editora Delcourt, a marca de sucesso Série B, e monta depois a colecção Sketchbook sob a denominação de Comix Buro em parceria com o distribuidor de produtos derivados Attakus. Em 2008, encontra Christophe Arleston com quem realiza a trilogia Cixi de Troy. Depois, em 2011, propõe a criação, sob a sua marca Comix Buro, de uma colecção de ficção científica para as edições Ankama: Os Universos de Stefan Wul. Aí adaptará Niourk, um dos romances mais conhecidos do escritor. Como resultado desta experiência inédita, a Comix Buro passa a realizar, sob a direcção artística de Olivier, ambiciosos projectos para grandes editoras, como a série-conceito Infinity 8 para a editora Rue de Sèvres, uma criação original de 8 álbuns com Lewis Trondheim. Em 2017, dá-se uma viragem na Comix Buro, que ao assinar um contrato de coedição com a Glénat se torna editora.

Alberto Varanda,nasceu em 1965 em Portugal, tendo chegado a França em 1968. Estuda escultura em madeira e, depois, grafismo publicitário e ilustração em Paris. Terminados os seus estudos, colabora na Rantanplan Presse e nas revistas Spirou e Tintin Reporter. Ministra depois cursos de desenho e conhece Croc, criador de Role-playing games (RPG) na Siroz. Da cumplicidade entre ambos, nascerão jogos como INS/MV, Bloodlust, Scales e Bitume. Nessa altura, realiza também ilustrações para Casus Belli. A sua colaboração com Ange começou com a BD Reflets d’écume. Seguir-se-ão as séries Bloodline (desta série, foram publicados em Portugal os livros “Lua Vermelha” e “A Batida” pela Meribérica/Liber), A Gesta das Amazonas-Dragões (título com que surgiu a primeira história da série aquando inicialmente publicada, em 1998, a preto e branco, na revista Selecções BD – II série da Meribérica/Liber; a mesma obra viria a ser objecto de publicação pelas Edições Devir, em 2002, a cores, com o título A Saga dos Cavaleiros Dragões) e Paraíso Perdido (série iniciada em Portugal pela VitaminaBD). Em paralelo, Alberto realiza capas de romances para a Fleuve Noir. Conhece depois Christophe Arleston, o argumentista de Lanfeust de Troy, com quem começa Élixirs. Realiza na mesma época uma série de telas que se tornarão capas de romances para as Editions Bragelonne. Em 2010, assina para a Soleil Edition, Petit Pierrot, uma trilogia de livros poéticos e sonhadores, destinada a pequenos e grandes. Para além de A Morte Viva, desenvolve com a Comix Buro uma nova série juvenil: Les Little Héros.

A Morte Viva (baseada na obra de Stefan Wul)
Olivier Vatine & Alberto Varanda
Editora: Ala dos Livros
Páginas: 96, a cores e a preto e branco
Encadernação: capa dura
Formato: 235 x 310 mm
ISBN: 978-989-54171-2-4
PVP: 19,90€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.