A apresentação formal do coletivo Tágide realiza-se com a publicação Outras Bandas #0.

Integrado no 1.º curso de Iniciação à Arte Sequencial, no Montijo, o fanzine Cadavres para Iniciantes #1 tinha sido o resultado de um desafio colocado aos formandos, com vista à aplicação dos conhecimentos adquiridos nas aulas e ao desenvolvimento de sinergias criativas entre o grupo, que realizou coletivamente uma banda desenhada em sistema cadavre exquis, aliás cadáver excelente, um sistema de criação coletiva encadeada, adotada originalmente por artistas surrealistas no final do séc.XIX, com vista a provocar associações livres e ideias descontextualizadas do que seria esperado, na qual cada novo interveniente desenvolve sob a participação imediatamente anterior, usando-a como premissa para a sua própria improvisação criativa, a qual pode complementar ou descartar o rumo da anterior. Em banda desenhada, este método tem sido frequentemente adotado em iniciativas por autores portugueses. Esta edição marcou a estreia editorial na produção de uma BD para muitos destes alunos. O trabalho foi proposto de modo a cada artista assinar apenas meia página, dando continuação ou reinterpretando a prestação precedente, realizada por outro colega. Esta obra tinha reunido vinhetas por António Coelho, António Pires, Bernardo Aldeias, Capitolina Rabanete, Filipe Duarte, Maria João Claré, Mário André, Patrícia Costa, Rui Serra e Moura, Shania Santos, Tiago Martins e pela formadora Susana Resende, a quem coube concluir o exercício narrativo, sendo editado pelo Curso de BD no Montijo em fanzine de formato A5, numa tiragem de 75 cópias sem propósito comercial. Contou com a edição de Eduardo Martins e a direção de Susana Resende. Esta publicação foi inclusivamente apresentada no 411.º encontro da TertúliaBD de Lisboa no dia 4 de dezembro de 2018, na Casa do Alentejo (Lisboa), com a presença dos autores.

O referido curso e publicação seriam os primeiros passos para a formação do coletivo Tágide, um grupo informal de banda desenhada, composto em grande parte por residentes do Montijo, sendo estes autores profissionais ou experientes, artistas amadores, colecionadores e leitores de BD, que quinzenalmente se reúnem na sala polivalente da Quinta do Pátio d’Água (Av. dos Pescadores), gentilmente cedida ao grupo pelo município, para ali partilharem as suas criações em BD e ilustração, para discutir leituras e temas relacionados, e também para colaborar em iniciativas culturais. Surgido no seguimento dos cursos Iniciação à Arte Sequencial, promovidos pela Câmara Municipal de Montijo em 2018 e coordenados pela autora Susana Resende, os cofundadores do grupo foram António Coelho, António Pires, Daniel Maia, Eduardo Martins, João Mateus, João Pedro Afonso, Maria João Claré, Mário André, Patrícia Costa, Rui Serra e Moura, Shania Santos e Susana Resende. Desde então, o coletivo tem-se expandido, atingindo atualmente cerca de vinte membros.

Os Encontros da Tágide são ateliers criativos de natureza informal que decorrem na 2.ª e 4.ª sextas-feiras de cada mês, dirigidos aos elementos do grupo e a demais interessados que queiram participar. É intenção do coletivo publicar o fanzine trimestral Outras Bandas, de cariz eclético e aberto a novos colaboradores, tendo ainda como objetivos promover colaborações artísticas, como o desafio Ossadas do Ofício (título genérico de uma BD coletiva feita em sistema cadavre exquis) e exposições de trabalhos em eventos da especialidade ou noutras ocasiões/locais. O Tágide também pretende organizar com o município colóquios com autores e editores convidados, para, deste modo, apresentar ao coletivo e ao grande público da região alguns dos protagonistas do mercado português de BD e áreas de afinidade, contribuindo para a experiência cultural da cidade.

Embora o coletivo já se reúna regularmente desde março de 2019, o Tágide será apresentado no XV Festival Internacional BD de Beja, em conjunto com o lançamento de Outras Bandas #0 e antevisão da antologia BD Montijo ‘2018, que compila os trabalhos finais dos formandos dos 1º e 2º cursos Iniciação à Arte Sequencial.

O fanzine antológico Outras Bandas, a publicação-estandarte do coletivo Tágide, que se pretende de periodicidade trimestral, visa promover os talentos do município e dos arredores, dimensionados para a criação de banda desenhada e ilustração. O título carateriza-se por ser uma publicação independente de cariz eclético, aberto a diversas sensibilidades e a estilos gráficos, estando disponível também para a participação de novos colaboradores. O fanzine considera conteúdos em banda desenhada, prancha/tira humorística, conto ilustrado e galeria de ilustração temática, sempre com histórias curtas autoconclusivas, em técnicas de preto/branco.

Pautado por histórias de esperança e desespero, e por narrativas fantásticas e alegóricas, a edição inaugural reúne obras curtas realizadas originalmente para concursos de BD nacionais e internacionais, pelos membros do grupo António Coelho (Prémio de Cartoon na categoria C+ do 24º PNBD; 2014), Maria João Claré, Mário André (Menção Honrosa no Concurso de BD do 12º BDteca; 2018), Patrícia Costa (Prémio de BD na categoria A+ do 29º PNBD; 2018) e Shania Santos, sendo a capa ilustrada por Susana Resende. A edição é de Daniel Maia e a produção de Eduardo Martins.

Outras Bandas
 #0
 é apresentado no XV Festival internacional de Banda Desenhada de Beja pelos autores e editores no domingo, dia 2 de junho, às 12h30, na Bedeteca de Beja, sita na Casa da Cultura, tendo direito a uma tiragem de 150 exemplares.

Clique nas imagens para as visualizar em toda a sua extensão:

Outras Bandas #0
vários autores
Chancela: Tágide
Páginas: 36, a preto e branco
PVP: 2,00€

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.