Enrico Faccini nasce em Santa Margherita Ligure, na região italiana da Ligúria, em 1962. Após um período de aprendizagem sob a orientação de Giovan Battista Carpi e Romano Scarpa, a sua primeira banda desenhada, “Huguinho, Zezinho e Luisinho e o Rock Ribombante”, é publicada no n.º 1772 de Topolino, a principal revista disneyana de Itália, em 1989.

A partir de 1995, começa a escrever frequentemente os argumentos das suas bandas desenhadas, tendo também escrito diversas histórias para outros ilustradores. A partir de 2011, a revista Topolino (sendo esse o nome italiano de Mickey) começa a publicar tiras cómicas em todos os seus números, tornando-se Enrico Faccini um dos seus principais contribuidores, ou não fosse Faccini um dos autores italianos que se especializou no humor, dada a capacidade que tem de capturar o lado surreal, grotesco e divertido da vida. O domínio da técnica narrativa permite-lhe desconstruir os modelos formais desta, não sendo incomum as suas bandas desenhadas sem legendas evocarem o slapstick do cinema mudo.

Os personagens para os quais elabora mais bandas desenhadas são o Peninha e o Donald, tendo uma predileção pelo universo dos patos e o tipo de humor que proporcionam. No entanto, ao longo destas décadas, tem produzido bandas desenhadas com outros personagens disneyanos e de outros géneros que não o humor, relembrando constantemente aos leitores a abrangência das suas técnicas.

Ao longo da sua carreira, desenvolveu um estilo próprio para a ilustração dos personagens, sendo as bandas desenhadas que assina facilmente reconhecíveis pelos leitores.

Entre as BD favoritas que produziu, encontram-se “Peninha e a Metamorfose Arbórea” (2005), “Donald, Peninha e os Últimos Bubalús” (2009), “Mickey e o Mistério de Burgospetro” (2013) e “Gastão e o Lua Torta” (2014).

Toda a sua produção artística destina-se em exclusivo para a Disney, trabalhando paralelamente como técnico num jornal genovês.

Este reconhecido autor de banda desenhada italiano foi o vencedor de um “Topolino d’oro” em 2005 e 4 “TopoOscar” entre 2007 e 2014, tendo ainda direito a 7 nomeações e 1 prémio atribuído nos Prémios BD Disney, organizados pelo site Bandas Desenhadas.

No XV Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, os visitantes podem tomar contacto com uma mostra exclusiva do seu trabalho nunca antes exposta, concebida especificamente para o Festival, a qual está patente até ao dia 16 de junho na Casa da Cultura de Beja.

nota: versão atualizada do artigo publicado em Splaft! #15 (Bedeteca de Beja, 2019)

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.