O quinto mês editorial de banda desenhada em Portugal em 2019.

Maio é o primeiro mês do ano que agrega um conjunto de forças motrizes importantes para o lançamento de banda desenhada. Por um lado, as editoras especializadas apostam em lançamentos prévios ou coincidentes com o Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja (este ano, com o primeiro fim de semana repartido pelo mês de maio e junho). Por outro, maio e junho foram também os meses em que se realizou a 89.ª Feira do Livro de Lisboa, o que potencia os lançamentos editoriais em geral, com algumas edições pontuais de BD.

Como seria de esperar, à medida que o ano vai decorrendo, são cada vez menos as editoras que se dedicam (quase) exclusivamente à banda desenhada que ainda não iniciaram o seu ano editorial, situação que também se verifica junto das editoras generalistas (de maiores ou menores dimensões) que com alguma frequência também o realizam.

PUBLICAÇÕES

O Bandas Desenhadas identificou os seguintes números de novidades de banda desenhada (publicações com BD em mais de 50% das suas páginas), segundo o formato:
– Livros: 28
– Revistas: 2
– Jornais: 1
– Outros (brochuras, etc): 12

Destes 43 lançamentos, 16 têm distribuição alternativa, isto é, não são distribuídos no canal livreiro nem em pontos de venda de periódicos. Nenhum lançamento de maio é distribuído em exclusivo nos pontos de venda de periódicos; os que utilizam este canal de distribuição têm concomitantemente ou terão posteriormente distribuição em livrarias. Em resumo:
– Canal livreiro: 27 (alguns dos quais, só foram ainda distribuídos em bancas ou em eventos)
– Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 0
– Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 16

Conclui-se então que 37% das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Das 43 publicações de maio, 20 são edições de material originalmente português. As restantes publicações têm como país de origem:
– Bélgica: 5
– Brasil: 1
– Espanha: 1
– EUA: 8
– França: 3
– Japão: 3
– Reino Unido: 1
– Suíça: 1

Registe-se que, apesar do material nacional corresponder ao 1.º lugar de publicações por país, do total das 20 edições, somente 5 conhecem ou conhecerão distribuição no canal livreiro. Ou seja, 75% das publicações de autores portugueses em maio não tiveram distribuição para o grande público.

No que toca à originalidade das obras sob o formato de papel no nosso país, das 43 publicações verifica-se a existência de:
– Inéditos mundiais: 18
– Inéditos em Portugal: 15
– Reedições: 10

Eis as editoras das publicações identificadas:
– Acidental Praia Edições: 1 
– Ao Norte: 1
– Arcádia: 1
– Arte de Autor: 3
– Asa: 5 
– Bizâncio: 2
– Chili Com Carne: 1
– Ciência Viva & Imprensa da Universidade de Coimbra: 1
– ComicHeart & G. Floy: 1
– Devir: 3
– Ditirambos: 1
– Escola Artística António Arroio: 1
– Escorpião Azul: 3
– G. Floy: 2
– Gorila Sentado: 1
– Gradiva: 2 
– Joana Afonso: 1
– Levoir: 1
– Mosi: 1
– Nuvem de Letras: 1
– Planeta: 2
– Planeta Satélite: 2
– Serafim & Malacuéco: 2
– Tágide: 1
– Véte: 2 
– VMComics: 1

E as respetivas capas:

Para esta análise não são contempladas reimpressões. Também não fazem parte desta análise as revistas e livros importados em língua francesa e na norma brasileira da língua portuguesa, distribuídos nos pontos de venda de periódicos.

Por fim, uma breve nota quanto às edições sobre BD. Em maio foram lançados o Splaft #15 e o Juvebedê #75. Às estatísticas anuais de publicações sobre BD no final deste artigo adicionou-se também o Boletim do Clube Português de Banda Desenhada #148, que já tinha sido lançado em março.

BD PORTUGUESA EM DESTAQUE

Registe-se que, apesar do material nacional corresponder ao 1.º lugar de publicações por país, do total das 20 edições, somente 5 conhecem ou conhecerão distribuição no canal livreiro. Ou seja, 75% das publicações de autores portugueses em maio não tiveram distribuição para o grande público.

O Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja foi o catalizador e/ou uma oportunidade para a disponibilização de obras de autores portugueses que não conhecem distribuição nos pontos de venda de periódicos e/ou no mercado livreiro. Entre as novidades, identificámos Capitão Bacalhau e outras histórias de Luíz Cruz Guerreiro; Ditirambos: Êxtase de Diogo Carvalho, Francisco Ferreira, Nuno Filipe Cancelinha, Raquel Costa, Ricardo Baptista e Sofia Neto; Teller #1 de André Mateus e Daniel da Silva Lopes; Tempices de Joana Afonso; Bagels for Breakfast de Mosi; Outras Bandas #0 de António Coelho, Maria João Claré, Mário André, Patrícia Costa e Shania Santos; Ashcan El Hombre Pulpo e Love Is Just a Word, ambos de Véte; e Deiciders #2 de André Mateus e Pedro Mendes.

Foi também maio que a Ao Norte prosseguiu com a série O Filme da Minha Vida, desta feita com O Sangue, da autoria de André Pereira.

Por outro lado, em maio foi editado o Fanzine de BD: A António Arroio, com trabalhos de André Pereira, Bernardo Ganhão, Carolina Fernandes, Catarina Oliveira, Catarina Lima, Catarina Cirne, Cláudia Potes, Eduardo Matias, Eduarda Pereira, Eva Alexandre, Francisca Olivença, Frederico Militão, Gonçalo Cabral, Gonçalo Ramos, Guilherme Figueiredo, Iara Henriques, Inês Neto, Joana Barbosa, Joana Faustino, Joana Pereira, João Gil Sousa, João Ramos, Madalena Sabino, Mafalda Fialho, Maria Ana Marta, Maria Cabral, Maria Passô, Mariana Fralda, Mariana Silva, Mariana Sousa, Marta Paula, Miguel Nunes, Miguel Risso, Patrícia Furtado, Rita Fonseca, Rita Pereira, Sofia Felicidade, Tiago Gomes, Tomás Bento e Tomás Richter.

No Free Comics Book Day, Ricardo Baptista disponibilizou um número especial de Tiny Comics nas lojas Mundo Fantasma e Kingpin Books, cada uma com direito a uma edição com capa diferente.

Por seu turno, a chancela Serafim & Malacuéco, Inc. prosseguiu as comemorações do 1.º centenário de Eduardo Teixeira Coelho, com a adaptação de O Tesouro de Eça de Queiroz por ETCoelho.

As Luzes do Príncipe, de João Ramalho-Santos e Rui Tavares, foi também lançada em maio durante o evento Eddington na Sundy – 100 anos depois na ilha do Príncipe com distribuição posterior nas escolas portuguesas e nos Centros de Ciência Viva.

Quanto à banda desenhada destinada às bancas e/ou livrarias, maio contou com os lançamentos de O Colega de Sevilha de Arlindo Fagundes; Urso de Jorge Mateus com Paulo Caetano e Miguel Brandão Pimenta; Mar de Aral de José Carlos Fernandes e Roberto Gomes, Tangerina de Rita Alfaiate; e A Viagem da Virgem de Pepedelrey, Jorge Coelho, Rui Gamito e Rui Lacas.

BD ESTRANGEIRA EDITADA EM PORTUGAL

Em maio, iniciaram-se duas novas séries de BD estrangeira, ambas editadas pela Devir. Trata-se dos mangas The Promise Neverland de Kaiu Shirai e Posuka Demizu; e Tokyo Ghoul: re de Sui Ishida.

Por seu turno, a Chili Com Carne editou Música para Antropomorfos dos brasileiros Fábio Zimbres e Mechanics, sendo parte da tiragem acompanhada do CD de música homónimo em parceria com a Zerowork Records.

Quanto à Escorpião Azul continua a apostar nas obras do espanhol Miguel Ángel Martín, tendo editado The Space Between.

A G. Floy, concentrada na publicação dos comics de Millarworld, editou Reborn/Renascidos, de Mark Millar e Greg Capullo.

Por outro lado, a Gradiva continua a editar obras em BD que permitem um fácil acesso a leigos a diferentes disciplinas, com a publicação de Introdução à Psicologia dos norte-americanos Danny Oppenheimer e Grady Klein.

A Levoir começou a explorar a chancela DC Black Label com a publicação de Batman: Cavaleiro Branco de Sean Murphy.

Quanto à Planeta, editou a adaptação em banda desenhada do filme norte-americano Creepshow, com argumento de Stephen King e desenhos de Bernie Wrightson.

Para além destes lançamentos, as editoras prosseguiram as suas séries: a Arte de Autor com Agatha Christie e Corto Maltese, a Asa com Spirou e Fantásio de Franquin, a Bizâncio com Baby Blues, a Devir com Assassination Classroom, a G. Floy com Uncanny X-Force, a Gradiva com Descobridores, a Nuvem de Letras com Bia e o Unicórnio e a Planeta com Star Wars.

O ANO DE 2019, ATÉ AO MOMENTO

Os primeiros 5 meses de 2019

Adicionámos os números identificados em janeiro, fevereiro, março e abril aos números obtidos em maio, para caracterizar o ano editorial nos primeiros cinco meses do ano de 2019.

Total: 
132 publicações de BD

Formato:
– Livros: 100
– Revistas: 9
– Jornais: 1
– Outros (brochuras, etc): 22

Distribuição:
– Canal livreiro: 106 (alguns dos quais, só foram ainda distribuídos em bancas ou eventos) 
– Pontos de venda de periódicos, em exclusividade: 1
– Distribuição alternativa a livrarias e bancas, em exclusividade: 25
Cerca de um quinto (18%) das publicações identificadas não teve distribuição para o grande público.

Países de origem:
– Alemanha: 1
– Argentina: 1
– Bélgica: 8
– Brasil: 1
– Espanha: 1
– EUA: 43
– França: 13
– Itália: 4 
– Japão: 11
– Portugal: 46
– Reino Unido: 2
– Suíça: 1
Registe-se que somente 16 (ou seja, 35%) das publicações de material nacional identificadas teve distribuição para o grande público.

Originalidade:
– Inéditos mundiais: 41
– Inéditos em Portugal: 70
– Reedições: 21

Publicações por editora: 
– Acidental Praia Edições: 1 
– Ala dos Livros: 2 
– Ao Norte: 2
– Arcádia: 1
– Ar.Co: ½ 
– Arte de Autor: 6 
– Asa: 6
– Bizâncio: 2
– Chili Com Carne: 3 ½ 
– Ciência Viva: ½
– Cogita: 1
– ComicHeart: 1 ⅓ 
– Devir: 11
– Ditirambos: 1
– Documenta: 2 
– Dom Quixote: 1
– Escola Artística António Arroio: 1
– Escorpião Azul: 5 
– Fanzines, Incorporated: 1 
– G. Floy: 17 ⅓ 
– Gailivro: 1 
– Gorila Sentado: 2 
– Gradiva: 7
– Kingpin: ⅓ 
– Imprensa da Universidade de Coimbra: ½
– Joana Afonso: 1
– Levoir: 15
– Manufactura: 1
– Mário José Teixeira: 1
– Mosi: 1
– Museu Bordalo Pinheiro: ½ 
– Nuvem de Letras: 2 
– Pato Lógico: 2 
– Planeta: 5 
– Planeta Satélite: 2 
– Polvo: 1
– Porto Editora: 2 
– Quarto de Jade: 1
– Saída de Emergência: 1
– Serafim & Malacuéco: 9
– TailorMade: 1
– Tágide: 1
– Tentáculo: ½ 
– Véte: 2 
– VMComics: 1
– Zé Burnay: 1
– Zone Komics: 4
A G. Floy lidera o segmento do mercado com 17 ⅓ edições (que correspondem a 19 livros de BD), seguida da Levoir com 15 lançamentos, da Devir com 11 publicações e da Gradiva com 7 edições. Registem-se também os 9 fanzines da Serafim & Malacuéco, Inc. na distribuição alternativa à comercial.

Edições sobre BD:
– Câmaras Municipais: 2
– Editoras especializadas em BD: 1
– Organizações especializadas em BD: 3
Do total de 5 publicações, somente 1 (17%) teve distribuição para o grande público.


nota: considerem-se os números apresentados neste artigo como pré-definitivos até à publicação do artigo referente ao ano de 2019.

SOBRE O AUTOR |

Nuno Pereira de Sousa
Nuno Pereira de SousaAdministrador
Fundador e administrador do site, com formação em banda desenhada. Consultor editorial freelance e autor de livros e artigos em diferentes publicações.